Foi trocada por uma mulher mais nova? Dê a volta por cima!

Saiba o que fazer para abandonar o papel de vítima, superar a situação e seguir adiante. Pondere se vale perdoar ou não.

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 01/07/2013 em

AnaMaria

um conteúdo de

Foi trocada por uma mulher mais nova? Dê a volta por cima!
Reportagem: Mariana Viktor - Edição: MdeMulher

Antes de tudo, resgate seu amor próprio.
Foto: Getty Images

Descobrir que o companheiro partiu atrás de um rabo de (míni) saia é doloroso até para mulheres fortes como a Pilar, personagem de Susana Vieira na novela Amor à Vida. César (Antonio Fagundes), seu marido, está de caso com Aline (Vanessa Giácomo), a secretária mais nova. Pilar ainda não descobriu, mas anda desconfiada. Quando uma traição como essa vem à tona, a primeira coisa que vai ao chão é a autoestima da mulher traída. “Deixei de ser atraente”, é o pensamento mais comum. Antes de decidir se vai perdoar ou não, o resgate do amor próprio é essencial para superar o baque e crescer.

Três passos para se fortalecer

1. Comece a pensar o que se perde (ou se ganha) com a separação. Faça uma lista do que ganharia dando um ponto final ao casamento e outra do que perderia se o mantivesse. Coloque as duas listas na balança e veja o que pesa mais.

2. Lembre de alguma sensação de vitória como se tudo estivesse acontecendo agora. Recorde do quanto você é, sim, capaz de lidar com tudo o que surgir.

3. Mude de atitude. Se ficar em casa faz você se sentir melancólica, saia. Matricule-se em algum curso, visite amigas divertidas (evite ficar perto de pessoas tristes neste momento). Quebrar a rotina ajuda! Quando voltar para casa e o desânimo bater, tire os móveis do lugar, coloque uma manta o sofá e guarde objetos que trazem lembranças doloridas.

Por que a traição acontece?

O tempo, às vezes, faz o casal deixar o cultivo do amor de lado, o que pode criar brechas para um  caso extraconjugal. “Um relacionamento se constrói com conquistas diárias”, aponta Eliana da Cruz Caligiuri, psicanalista da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. “Em alguns casos, o casal torna a relação morna porque para de investir em sexo e em conversas”. Claro que isso não justifica a pisada de bola do outro, mas nos ajuda a parar para repensar a relação e decidir se vale a pena ou não continuar nela.