Ciúme: como controlar o seu

Aprenda a controlar o sentimento de possessividade, para que o ciúme não destrua sua relação (e nem sua felicidade!)

Zelar é querer o bem do outro. Ter ciúme demais é querer ”ser dona” dele. Cuidado!
Foto: Getty Images

Comportamento de uma ciumenta

”Este telefone que não pára de tocar, está sempre ocupado quando eu penso em lhe falar. Quero então saber logo quem lhe telefonou, o que disse, o que queria e o que você falou.” Os versos da música Ciúme de Você, de Roberto Carlos, mostram o típico comportamento de alguém ciumento.

”Essas pessoas, geralmente, olham o parceiro como sendo sua propriedade”, explica Eduardo Ferreira Santos, psicoterapeuta de São Paulo e autor do livro Ciúme, o Medo da Perda (Ed. Claridade, R$ 39). Apesar de parecer um monstro, quando bem dosado, o ciúme pode ser benéfico para o casal. ”Pequenas pitadas são necessárias porque entende-se que quem ama zela”, diz Ildo Rosa da Fonseca, terapeuta familiar, de São Paulo.

Quando o ciúme vira problema

O ciúme pode deixar de ser saudável num piscar de olhos. ”A principal pista de que se exagerou na dose é quando o ciúme indica que algo não está bem no relacionamento”, diz Eduardo. O estado patológico combina uma série de emoções, como ansiedade, depressão, raiva, vergonha, insegurança, culpa e até vingança. A pessoa começa a seguir o parceiro para ver onde vai, depois vasculha seu celular para saber para quem ele ligou e, na busca por uma prova de traição, chega até a proibi-lo de sair de casa.

Quem experimenta a situação sofre demais. ”A ciumenta acredita que, por causa da sua dor moral, tem todo o direito de fazer com que o parceiro sinta o tormento na pele. Daí protagoniza escândalos em lugares públicos ou parte para a agressão. Nesse ponto a melhor saída é buscar ajuda profissional e avaliar se a relação está mesmo valendo a pena.

7 atitudes para acabar com o ciúme

1. Pense muito antes de despejar suas frustrações no parceiro. Com a emoção à flor da pele é muito fácil passar dos limites e fazer bobagens.

2. Converse com seu amado e ouça o que ele tem a dizer. Exponha o que você pensa, sem medo de mostrar suas inseguranças.

3. Mantenha-se tranqüila. Vale praticar uma atividade relaxante ou um exercício de respiração.

4. Saia com as amigas, divirta-se com outras pessoas que não seja o companheiro.

5. Lembre que é impossível manter ao seu lado uma pessoa que se sente acuada. Permita que o parceiro tenha vida social.

6. Envolva-se em uma nova atividade, pode ser um esporte, um curso, um trabalho artístico ou voluntário.

7. Mantenha a auto-estima elevada. Coloque uma roupa bacana, arrume o cabelo e deixe de se comparar a outras mulheres.

Ciúme: 5 questões para você refletir

1. Não seja a mãe
Zelar é querer o bem do outro. Ter ciúme demais é querer ”ser dona” dele. Cuidado!

2. Confie no seu parceiro
Sempre que o ciúme aparecer, converse e exponha seus sentimentos. Isso evita brigas e desconfianças.

3. Valorize-se
A segurança que você busca em seu parceiro também existe dentro de você.

4. Observe-se
Analise o seu ciúme. Se ele tem ver com seus relacionamentos passados, esqueça-o.

5. Enfrente a situação
Não valorize demais a pessoa de quem você tem ciúme. Afinal, todo o mundo tem seus defeitos

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s