Ela pegou o meu marido, mas eu casei com o dela!

Eu queria apenas me vingar, mas me apaixonei. Não foi uma troca de casais

Os dois que haviam sido traídos 
tiveram um final feliz juntos
Foto: Cintia Sanchez

Quando a Sonia se tornou minha vizinha de parede eu não poderia imaginar que a minha vida mudaria completamente. Eu e meu marido Rudival tínhamos duas lojas de R$ 1,99. Como o Natal estava chegando, precisávamos de uma mãozinha no atendimento. Foi aí que pensei em dar uma oportunidade à Sonia, que não tinha emprego. Mal sabia eu que estava colocando uma cobra dentro de casa!

Em pouco tempo, a Sonia e o Rudival se tornaram bem mais que bons amigos. Ali, debaixo dos meus olhos, a minha funcionária começou a sair com o meu marido. E eu nem desconfiava…

Ele comprou uma sandália pra ela

A revelação veio da pior maneira possível. Um dia apareceu uma vendedora da loja de sapatos, que era na rua do meu trabalho. Ela estava meio sem graça, pois precisava perguntar se eu poderia arcar com o resto da dívida do Rudival. Ele tinha levado a Sonia na loja e comprado uma sandália pra ela. O Rudival parcelou o pagamento, mas não quitou a dívida.

Na hora fiquei desconfiada: por que o meu marido tinha comprado uma sandália pra apenas uma funcionária? Por que não deu nenhum presente aos outros? Peguei os papéis que comprovavam a compra e fui tirar satisfações.

Ele negou, claro. Mas os papéis provavam que ele tinha dado um presente pra outra mulher. E, pior: não pagou! Fiquei com aquilo entalado na garganta e abri bem os olhos. Num domingo, o Rudival tomou um banho e disse que ia sair de carro sozinho. Aquilo não era normal…

Avisei o marido dela sobre a traição

Gritei na casa ao lado e chamei o Américo, marido da Sonia, que já estava atento aos passos dela. Ela não estava em casa. Pegamos um táxi e fomos atrás dos rastros do Rudival. Quando vimos o carro, tive o maior choque da minha vida: o meu marido e a minha funcionária aos beijos. Que raiva!

Ah, eu armei um barraco! Briguei, xinguei… Foi feio! Mas a vingança mesmo só veio depois.

Conversei com o Américo, que também estava cheio de raiva, e propus um plano de vingança: e se ficássemos juntos uma noite, só para contar aos traidores que também nos divertimos? Ele topou.

Mas acabei dando um tiro no pé. Depois de ter saído com o Américo só para me vingar da Sonia, acabei me apaixonando por ele! A noite foi tão boa que depois eu só conseguia pensar nele. Dormia e acordava apaixonada! Então, comecei a mandar presentes pro Américo na casa dele. Eu agora queria guerra!

Da vingança nasceu o amor

Quando a história esfriou, a Sonia não estava mais com o Rudival, nem eu. Do outro lado da parede, o Américo deixou a Sonia e me levou embora da cidade. Os dois que haviam sido chifrados ficaram juntos e felizes!

De uma vingança surgiu o amor. Já faz quatro anos que eu e o Américo somos casados, cheios de amor e sem nenhuma traição! Eu acho que muita gente pensa que foi troca de casais, mas não foi, não! Eu estou feliz com o meu novo marido. Já o Rudival quis chorar sobre o leite derramado, mas era tarde demais. Arranjou uma outra namoradinha e sumiu da minha vida! A Sonia? Não sei. Tomara que tenha aprendido a não se engraçar com o marido alheio.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s