Pular para o conteúdo principal

PUBLICADO EM

29/10/2014

ATUALIZADO EM

29/10/2014

Namoro virtual: especialista em direito digital dá dicas de como não cair em uma roubada

A advogada Gisele Truzzi ensina quais situações evitar para aquela paquera online não virar uma tremenda dor de cabeça.
Namoro virtual: especialista em direito digital dá dicas de como não cair em uma roubada
Reportagem: Luciana Bugni - Edição: MdeMulher

Foto: Getty Images

· Pesquise na internet: entre nas redes sociais e nos sites de busca e digite o nome, e-mail e coloque a foto no Google. Para fazer isso, entre na página do Google Imagens e clique no desenho de uma câmera na barra da busca. Lá, você pode anexar o arquivo da foto.

· Desconfie até que se prove o contrário - em relacionamentos reais já é difícil desenvolver confiança, imagine na net.

· Procure nos sites do Tribunal de Justiça para ver se a pessoa tem algum processo.

· Reúna todas as provas possíveis (e-mails, sms, prints de tela com fotos, conversas e posts). Tudo isso comprova os crimes e é prova válida na hora de fazer um boletim de ocorrência. Ele pode ser enquadrado em falsa identidade (afinal, não usou o próprio nome) e estelionato (iludiu alguém para conseguir dinheiro).

· Qualquer valor de dinheiro dado configura crime, basta provar o histórico da movimentação no banco. As desculpas são variadas: "Preciso comprar uma passagem para ir te ver" ou "Tenho um doente na família". Não dê um centavo.

· Não é crime armazenar fotos de você nua. Mas é ilegal espalhá-las pela internet ou fazer chantagens.

Namoro virtual: especialista em direito digital dá dicas de como não cair em uma roubada

Foto: Getty Images

Vida real

Claudia Rodrigues foi iludida pelo namorado virtual e criou um grupo secreto no Facebook para ajudar outras mulheres. Confira o relato completo:

"Este ano, em fevereiro, recebi um convite pelo Facebook para usar um aplicativo. Entrei achando que era um jogo, mas descobri que era um site de relacionamentos. Cinco minutos depois, um homem teclou comigo e pediu para me adicionar na rede social. Eu permiti e, quando vi a cara dele, fiquei impressionada. Ele era lindo! Conversamos em inglês por três dias, com a ajuda do tradutor do Google, sem aparecer na câmera, até que ele perguntou se podia me ver. Quando eu liguei a webcam, fiquei mais impressionada ainda. Me contou que era turco e trabalhava na Marinha, então passava um mês no mar e um mês na base. Nesse dia, ele me pediu em casamento. Eu estranhei, porque foi rápido demais, mas entrei em sites e descobri algumas mulheres brasileiras casadas com turcos que afirmavam que eles eram assim mesmo. Ele disse que era divorciado e não tinha filhos. Era romântico e me chamava de minha princesa, meu bebê, meu anjo branco. Eu estava muito atraída e fui ficando completamente apaixonada. Conversávamos todos os dias, sempre quando ele estava no trabalho. Ele colocou que estava em um relacionamento sério no Facebook, me garantiu que viria ao Brasil depois de um mês e combinamos a viagem. Adicionou minha mãe nas redes sociais e parecia ser o genro ideal.

A primeira decepção

Cerca de duas semanas antes da viagem, uma mulher me mandou um e-mail e perguntou se eu o conhecia. Ela me contou que ele fazia sexo virtual com ela quase diariamente. Eu fiquei desesperada, tentei conversar com ele, mas ele não respondia. No dia seguinte pediu perdão, disse que aquelas mulheres eram prostitutas e comigo era diferente, que ele não queria que eu mostrasse meu corpo porque me respeitava. Realmente, ele nunca pediu para fazer sexo virtual comigo. Eu perdoei e pedi que ele nunca mais fizesse isso.

Ele fez um vídeo bem bonito com uma montagem de fotos minhas e uma música romântica de fundo. Mas descobri, no mesmo canal do YouTube onde ele postou a homenagem, um vídeo com uma criança. Digitei o nome da menininha no Google e vi um site de fotos em que ele aparecia com a mulher e mais dois filhos, em fotos de família. Enlouqueci e comecei a ir atrás de mais informações - ele enganava várias mulheres da mesma maneira e tinha mais de dez perfis falsos na internet! É uma prática comum entre os turcos envolver mulheres brasileiras e depois até roubar o dinheiro delas. Ele havia prometido para todas que viria ao Brasil, mas nunca ia aparecer! Descobri o endereço da mulher dele e denunciei, mas acho que ele tinha a senha do perfil, pois ela só disse "ok". Terminei tudo e ele falou comigo poucas vezes, para me ameaçar e mandar que eu parasse de vasculhar sua vida. Mas, sempre que vejo brasileiras interagindo com ele nas redes sociais, procuro adicioná-las e contar minha história para que ele não engane mais ninguém. Até hoje, seis meses depois, já alertei cinco mulheres - uma delas já havia até reservado hotel para ele.

A volta por cima

Montei um grupo secreto no Face para contar minha história e descobri que existe uma série de mulheres na mesma situação. Como a economia em alguns países é pior que no Brasil, eles nos enganam para dar golpes, ganhar dinheiro ou até conseguir um visto - os egípcios principalmente. Minha preocupação é alertar as mulheres para o perigo que essas relações podem representar - na Nigéria, há homens que usam fotos falsas, de soldados americanos, fazem sexo virtual com brasileiras e usam as imagens para chantageá-las.

O sexo virtual pode até satisfazer, mas é perigoso. O ideal é não fazer comum desconhecido e nunca mostrar o rosto na câmera. Coloque sempre o arquivo da foto do rapaz no Google: se ele for um pilantra, dá pra descobrir e alertar outras possíveis vítimas.

Hoje eu entendo que meu ex-namorado é um doente, que precisa enganar mulheres para se sentir bem. É muito fácil mentir quando ninguém está vendo você. Mas qualquer mulher pode se tornar uma investigadora e ficar esperta. Um cara que passa 24 horas na rede, por exemplo, não pode ser sério. Aqueles que não podem bater papo à noite são comprometidos, com certeza. Preste atenção e não deixe que nenhum golpista parta seu coração."

Claudia Rodrigues, 35 anos, assistente administrativa

Mais

Vote nas finalistas do 21º Prêmio CLAUDIA

Cultura

  • Anna Muylaert
    Anna Muylaert

    Diretora do filme Que Horas Ela Volta?, aqueceu a discussão sobre a exploração do trabalho doméstico no Brasil

  • Mari Corrêa
    Mari Corrêa

    Realiza oficinas de cinema em aldeias do Xingu e ensina os índios a registrar sua cultura, história e hábitos

  • Panmela Castro
    Panmela Castro

    Imprime sua arte em murais e performances e oferece oficinas para prevenir a violência contra as mulheres 

Negócios

  • Cristina Junqueira
    Cristina Junqueira

    Criou o Nubank, cartão de crédito que pode ser administrado pelo celular, dispensa o banco e não tem anuidade

  • Mariana Alves Madureira
    Mariana Alves Madureira

    Trabalha para impulsionar o desenvolvimento econômico de lugares pobres estimulando o potencial turístico

  • Carla Renata Sarni
    Carla Renata Sarni

    Criou uma rede de consultórios que oferece tratamento odontológico a um custo acessível na periferia

Consultora NATURA Inspiradora

  • Juthay Nogueira
    Juthay Nogueira

    Promove ações para evitar que os jovens entrem para o tráfico de drogas, em uma comunidade de Belo Horizonte

  • Nilcimar Maria Silvestre dos Santos
    Nilcimar Maria Silvestre dos Santos

    Fundou uma associação que apoia vítimas de agressão doméstica e estimula o empreendedorismo 

  • Rozimere Santos Oliveira Souto
    Rozimere Santos Oliveira Souto

    Líder que organiza a produção agrícola e o empreendedorismo entre as mulheres, no Sertão da Paraíba

Revelação

  • Alessandra Orofino
    Alessandra Orofino

    Esta à frente de uma ONG que conecta pessoas interessadas em solucionar problemas no Rio de Janeiro

  • Raquel Helen Santos Silva
    Raquel Helen Santos Silva

    Destaca-se por criar projetos de empoderamento e por conseguir apoio internacional para as causas feministas

  • Samantha Karpe e Letícia Camargo Padilha
    Samantha Karpe e Letícia Camargo Padilha

    Desenvolveram uma cobertura para ruas e estradas mais resistente, econômica e sustentável que a convencional

Trabalho Social

  • Marineide Silva
    Marineide Silva

    Criou uma ONG para ensinar corrida para mais de 500 crianças e adultos no bairro mais violento de São Paulo

  • Brigitte Louchez
    Brigitte Louchez

    Está à frente de uma ONG que luta para combater a exploração sexual de crianças e jovens em Fortaleza, no Ceará

  • Mônica Azzariti
    Mônica Azzariti

    A fonoaudióloga prepara policiais para que resolvam ocorrências nas favelas sem violência, evitando conflitos

Políticas Públicas

  • Heloísa Helena de Oliveira
    Heloísa Helena de Oliveira

    Monitora e argumenta com políticos para alterar projetos de lei que não favorecem os jovens do Brasil 

  • Maria Clara de Sena
    Maria Clara de Sena

    Única transexual no mundo no cargo de Mecanismo de Prevenção e Combate à Tortura, luta pelos direitos LGBTs 

  • Paula Johns
    Paula Johns

    Fundadora da Aliança de Controle do Tabagismo + Saúde, batalha para controlar o tabagismo  

Ciências

  • Adriana Melo
    Adriana Melo

    Especialista em medicina fetal comprovou a relação entre infecções por zika em e as malformações em bebês

  • Eliana Abdelhay
    Eliana Abdelhay

    Desenvolve pesquisas a fim de melhorar os prognósticos de doenças graves e agiliza o diagnóstico de câncer

  • Thelma Krug
    Thelma Krug

    Restringe o desmatamento nas florestas e emissão de poluentes, responsáveis pelas mudanças climáticas

#ESTAMOSJUNTAS

  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
    Se a Miss Brasil deve ser a embaixadora da beleza brasileira, por q...
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
    Em rara aparição, Eva, filha de Angélica e Luciano Huck, comemor...
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
    Underboob: mostrar a parte de baixo dos seios é a nova mania entre...
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
    Kéfera: como a youtuber adotou novos hábitos saudáveis e emagrec...
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
    22 celebridades mostrando que dá para ser chiquérrima sem alisar ...
  • Este campo genérico trata a saída do campo título do bloco card na view, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    Este campo genérico trata a saída do campo legenda do bloco card, e tem um template específico que está no tema mdemulher.

    O que é destaque no MdM
    O que acontece quando... você fica 21 dias sem glúten, açúcar, ...