A um passo de trair

Ele é lindo, sedutor, inteligente. Toda vez que seus olhares se cruzam, o coração só falta pular pela boca. Sua vontade secreta é se entregar ao desejo. Detalhe: você é comprometida. E agora?

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 09/01/2009 em

NOVA
A um passo de trair
Karina Hollo

A traição pode ser emocionante,
mas também muito perigosa.
Foto: Dreamstime

Apesar de ser apaixonada pelo noivo, Kátia, de 21 anos, não conseguia tirar os olhos azuis de Marcelo da cabeça. "Não fui capaz de trair meu futuro marido, mas fantasiei loucas aventuras ao lado do Celo", confessa. Quantas de nós não imaginaram como seria dividir a cama com o bonitão do escritório, mesmo tendo um cobertor de orelha em casa? Se você também já pegou carona no bonde do desejo e pensou em descer na estação da infidelidade, saiba que pisar fora da linha pode ser tão emocionante quanto perigoso.

Anatomia do desejo proibido

Você namora há algum tempo, gosta de passar as tardes de domingo com ele no sofá... Mas seu coração dispara mesmo é quando encontra o moreno sedutor do curso de especialização. Pior (ou melhor): o moço parece retribuir os olhares. E agora? Para começar, nada de se martirizar por desejar outro homem. De acordo com o dr. Paulo Gaudencio, psiquiatra e colunista de NOVA, é natural, já que a novidade funciona como combustível do erotismo. Tem mais: só nos vemos às voltas com esse tipo de dilema, antes exclusivamente masculino, porque conquistamos igual direito à liberdade sexual. "Estamos mais exigentes afetiva e sexualmente", aponta a psicoterapeuta de casais Sandra Samaritano, do Instituto Paulo Gaudencio. E essa busca por satisfação leva muitas de nós a começar a achar a grama do vizinho mais apetitosa, vigorosa...

Ocasiões que fazem a pecadora

Como nasce essa vontade? O principal gatilho é a insatisfação entre os lençóis. Foi o que descobriu a pesquisa feita pelo ginecologista Amaury Mendes Jr., com 245 cariocas. Outras razões apontadas pelas entrevistadas: carência, vontade de ser admirada ou desejo puro e simples. A psicóloga da PUC-SP Rosa Maria Macedo acredita que as mulheres também pensam em pisar fora da linha para castigar o parceiro. "É uma forma de autodefesa e de se sentirem amadas." Brenda, de 21 anos, que sonha em enfeitar a cabeça do amado sempre que ele fala com a ex, concorda: "Uma vez, de tão insegura, chamei um antigo affair para ir à praia. Na hora do beijo, fugi, pois colocaria tudo a perder só para satisfazer meu ego". Outra situação que balança muitas garotas é dar de cara com ex-namorado. "Encontrei o Caco em uma festa e agora sonho com ele todas as noites", conta Ana, de 23 anos, comprometida. "Pior: ele me telefona; não sei até quando vou conseguir dizer não." Para o sexólogo Joaquim Motta, autor de Amores Humanos, Traições Divinas (All Books), ficar com um antigo amor é uma tentativa de preencher um vazio do passado. Ou seja, você procura viver algo que faltou na relação.Já a psicanalista e sexóloga Regina Navarro Lins, autora do novíssimo Fidelidade Obrigatória e Outras Deslealdades (Best Seller), defende um ponto de vista polêmico: que tudo não passa de instinto. "É natural termos prazer em variar. E o que você faz longe do parceiro é problema seu, não dele." A questão é que, por enquanto, poucas conseguem pensar em dar o passo sem olhar para trás.