O que homens e cachorros têm em comum

Nós deciframos as maiores verdades sobre o sexo masculino e - pasmem! - o comportamento deles é igual ao dos cães

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 15/06/2010 em

NOVA

um conteúdo de

O que homens e cachorros têm em comum
Liesa Goins

Segredo desvendado: os homens são meeeeeesmo de uma outra raça!
Foto: Getty Images

Ponha-se de prontidão num local repleto de homens num belo dia ensolarado e observe o que eles gostam de fazer: correr atrás de uma bola, rolar na lama e entrar numa briguinha sem mais nem menos. Tudo isso, naturalmente, sem falar daquele conhecido reflexo de girar a cauda, ou melhor, o pescoço, em direção ao primeiro exemplar do sexo oposto que passa diante do seu focinho, isto é, dos seus olhos.

Convenhamos, muitas vezes nossos adoráveis companheiros assemelham-se mais a cachorrinhos travessos do que a seres humanos. De fato, há muito a ser comparado entre cães e homens. A idéia, aliás, não parece nada absurda na visão da antropologia. Para Lionel Tiger, estudioso do assunto e autor do livro The Decline of Males (O declínio dos machos), a coisa toda faz sentido quando as atitudes de um e de outro - homem e totó — são analisadas em conjunto. ''Esse paralelo é viável porque, no final das contas, todos fazemos parte do reino animal'', afirma.

Para passar da teoria à prática, deciframos o que existe em comum entre o melhor amigo do homem e os nossos indispensáveis vira-latas.


Eles adoram andar em bandos

Pouco importa se o cão é daquele tipo que vagueia pelo mato ou vive preso num canil. Tanto um quanto o outro representam animais sociáveis ao extremo, fortemente ligados aos membros de sua raça. Os homens são dotados desse mesmo espírito. Eis a exata razão pela qual raramente saem em busca de diversão sem levar a própria trupe a reboque.

Como agradar o seu cãozinho A melhor maneira de levar um sujeito a esquecer a turma é fazer com que ele acredite não estar sendo forçado a realizar uma escolha. Os estudiosos afirmam que um animal pode deixar o bando de lado se a fêmea enviar um sinal de que não representa uma grave ameaça para o grupo. Isso posto, aproveite o ensinamento. Se, por exemplo, avistar um charmoso espécime sentado à mesa de um bar cercado por seus inseparáveis batedores, coloque-se num lugar estratégico e enderece a ele olhares sedutores, mas inofensivos. Quando o banzé perceber que você não está ansiosa por arrancá-lo de seu poste favorito, quer dizer, de seu posto, abanará o rabinho em sua direção.

A grande sacada é dar a entender que ele continua livre para ir e vir com os amigos. Já reparou como alguns cães que passeiam pelas ruas sem coleira sempre encontram o caminho de casa? Para conseguir a mesma coisa, basta que você não o obrigue a eleger um dos lados. Embora não seja necessário morrer de paixão pelos amigos dele, vale sair com a moçada para um chopinho de vez em quando: a certa altura, deixe seu amado à vontade em companhia dos rapazes e volte para casa, o que é uma maneira esperta de fazê-lo se sentir seguro. A fera vai descobrir que pode ter o melhor dos dois mundos, sem querer se livrar desesperadamente da coleira!


Eles trocam tudo por uma farra

Pequenos ou grandes, os cães adoram brincadeiras. Buscar objetos, entregá-los ao dono e começar tudo de novo faz a adrenalina deles subir e o rabo balançar à toa. Da mesma forma, os rapazes tendem a transformar tudo num jogo. Você já se deu conta de que alguns têm a mania de cumprimentar os amigos com os punhos fechados imitando golpes de boxe?

Como agradar o seu cãozinho Digamos que, em virtude de sua natureza competitiva, os homens transformaram a conquista em seu esporte favorito. É preciso captar o espírito da coisa e entrar na brincadeira se quiser carregar o seu troféu para casa. Isso significa não levar o jogo dele muito a sério e parar de buscar uma razão para cada movimento que ele fizer. Tente apenas se divertir com as idas e vindas de seu lulu, como se estivessem brincando num parque. Banque sua bolinha favorita de vez em quando. Como? Surpreenda-o com um jantar delicioso (em que a sobremesa é você) e depois deixe de atender as ligações dele por dois dias seguidos. Bolinhas, você sabe, de vez em quando desaparecem no meio dos arbustos...