Regras de convivência para casais para garantir o "felizes para sempre"

Quando prometeram ser fiéis companheiros, vocês se comprometeram a muito mais. Confira dicas para evitar futuros dilemas no relacionamento.

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 03/05/2013 em

NOVA

um conteúdo de

Regras de convivência para casais para garantir o "felizes para sempre"
Reportagem: Carol Lementy - Edição: MdeMulher

Alguns dilemas da convivência só surgem com o tempo.

Foto: Chris Clinton

Então você descobre a vida real, na qual nem tudo são drinques e sexo selvagem. Vocês dormem todos os dias de conchinha, delícia! Mas também precisam discutir sobre as contas da casa e ir ao supermercado. A convivência tem seus problemas. “É por esse motivo que existem regras de sobrevivência no casamento. E a mais importante é o compromisso”, diz a terapeuta de casais britânica Trina Dolenz, do reality show americano Tool Academy, que melhora a convivência entre casais. Algumas regrinhas ninguém lembra de nos contar no altar— e a gente só descobre lá pelo quinto ano de convivência.

Não desenterrem brigas antigas

O que aconteceu no passado fica... no passado! E o melhor jeito de fazer isso é resolvendo os problemas quando eles acontecem. No presente. Você pode e deve falar o que incomoda, mas sem fazer a louca, assim. Fique atenta também às críticas excessivas, ao desrespeito (usar adjetivos como burro, gordo etc.), ficar sempre na defensiva (tentar justificar seus comportamentos, mesmo quando você está errada) e não dar a mínima para o outro.

Contem quando tiverem contato com algum ex

Um pedido de amizade no Facebook feito pelo colega de trabalho que paquera você ou um encontro com o ex no shopping parecem tão inofensivos que nem vale a pena contar. Mas esconder pode causar um climão. Apenas aja com naturalidade. Tente assim: “recebi um cutucão de um colega sem noção do escritório, mas ignorei”. Ou “encontrei meu ex no shopping hoje. Ele parecia bem feliz!”

Não carregue o outro nas costas

Você nem pede mais para seu marido ajudar a planejar a viagem de férias. Ele nunca checa a validade do passaporte e você acaba fazendo o trabalho (e brigando com ele). E isso vale para a planilha de gastos dele (já que você é mais controlada). Quando percebe, está fazendo tudo sozinha... e morrendo de raiva. A culpa é sua, que decidiu dar uma de mulher maravilha e acabou sobrecarregada. Pare já! Se for muito complicado deixar as obrigações na mão do gato, tente uma troca: “Eu cuido da casa e você do cachorro”.

Protejam o relacionamento

O gato merece sua confiança e respeito. Você pode e deve desabafar com alguém em quem confia. Apenas tome o cuidado de filtrar as palavras. Sua amiga vai concordar que ele “não presta”. E fica chato para todo mundo quando vocês fizerem as pazes. Se não tem certeza de que ele traiu você, não espalhe isso para sua família. Antes de acusar o outro, conversem. A confiança anda juntinho com o compromisso, sabia?

Escolham pelo que faz sentido brigar

Vale mesmo a pena armar um barraco toda vez que ele joga videogame ou deixa a toalha molhada em cima da cama? Pense em quais hábitos do gato são insuportáveis e com os que você pode conviver. Então explique (com educação) por que certas coisas a irritam tanto

Não divulguem a vida de vocês no Facebook

Você tem o direito de não estar a fim de compartilhar com toda a timeline dele o papo de vocês durante o almoço. E ele pode não querer ser marcado na foto constrangedora das férias. Os dois precisam respeitar. Por isso, vale a pena definir alguns limites. Frases, fotos e qualquer outra coisa sobre a intimidade do casal devem ser conversados antes de parar na internet. Ah! Nem pense em desabafar sobre a briga da noite passada. Lavar roupa suja em público é a receita perfeita para piorar as coisas. E deixar vocês com fama de casal indiscreto.