Seja uma conquistadora!

Há seis perfis de mulheres que deixam qualquer homem rendido. O que interessa mesmo é a atitude e o charme. Descubra abaixo em qual descrição você se encaixa!

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 27/06/2012 em

NOVA

um conteúdo de

Seja uma conquistadora!
Reportagem: Felipe Machado - Edição: MdeMulher

Cada mulher é de um jeito, mas todas são conquistadoras
Foto: Getty Images

Há mulheres de vários tipos e com diversas personalidades. Mas todas têm uma característica mais interessante e atraente para os homens. Veja tipo de conquistadora você é!

Seja uma conquistadora!

Fotos: Pedro Rubens, Mari Queiroz, Danilo Borges

A mulher para casar: mulheres odeiam essa expressão. Talvez porque saibam que nós homens as dividimos em "para casar" e as outras. Na opinião feminina, todas deveriam ser "para casar". Mas tem, sim, um estilo de mulher que dá vontade de levar para a cama, outras que temos vontade de levar para o altar. Ser bonita, simpática e de boa família são qualidades óbvias. Ela tem que ter algo que faça com que você olhe para ela entrando em casa e a imagine entrando na igreja. Um rostinho tão delicado que dá até para imaginar o véu em volta. Como todo primata, escolhemos a parceira que nos dará segurança emocional. A palavra-chave é confiança. Por isso, quando a gente imagina nosso futuro, projeta a garota em várias cenas. Para você ver como é sério, nunca transamos com ela: fazemos amor. E não contamos aos amigos. A mulher para casar gosta de você. Melhor ainda, entende você. Ela é assim, perfeitinha!

A mulher fatal: todo mundo sabe quem ela é. Se não souber, é só correr os olhos pelo ambiente e procurar a roupa mais chamativa. A mulher fatal tem esse nome porque os homens praticamente morrem por ela. Não é apenas sexy; é criminosamente sexy. Ganhou o apelido por ser tão perigosa que até o ministério da saúde adverte: a mulher fatal pode causar problemas do coração. Ela tem aquele corpão sem um milímetro a mais ou a menos do que o ideal e só tem apetite para devorar uma coisa: homens. Confiante e poderosa, gosta de estar sempre por cima - e isso não é exatamente uma metáfora social. Quando dá o bote, engole o cara de uma vez só e depois puxa sua gravata lentamente pela boca, como os gatos fazem com as espinhas de peixe nos desenhos animados. Perigosíssima! Diz a lenda que um cara chegou ao orgasmo simplesmente depois que uma delas o encarou por cinco minutos. Falam que esse olhar fatal é capaz de destruir a vida de um homem, mas isso eu nunca vi. Ainda bem que virei o rosto antes.

A mulher exótica: existem vários tipos. Todos eles igualmente irresistíveis. Algumas são apaixonantes porque têm o sotaque meio diferente. Pode ser gaúcha ou argentina. Aquele jeitinho carregado ou errado como ela fala seu nome é tão sensual que você até pensa, realmente, em mudar de nome para se adaptar a ela. Conheci roqueiras radicais que também eram exóticas. Por exemplo, uma loira que só usava preto, do batom as unhas dos pés, passando pelas botas e a minissaia de couro. A única cor nela era uma enorme rosa tatuada, que subia pelas costas e terminava em um lugar que me deixa com saudades só de lembrar. Passaram por minha vida, na verdade, diversas mulheres exóticas, como uma garota viciada em ioga. Ela acordava às 6 da manhã todos os dias para saudar o Sol. Mas eu nunca reclamava, porque aquela técnica toda de ioga era sensacional entre quatro paredes. O que todas elas tinham em comum: pareciam viver em mundos distantes, feitos só para elas. Aonde não conseguimos ir sozinhos. Só nos resta torcer para que nos levem junto.

Seja uma conquistadora!

Fotos: Pedro Rubens, Mari Queiroz, Danilo Borges

A mulher bem-sucedida: a mais fácil de identificar: é aquela que manda em você. Mas a vida fica tão boa ao lado dela que você nem liga. Quem é que resiste quando essa mulher poderosa tira os óculos, solta o coque e beija você lentamente enquanto vinte caras estão esperando do lado de fora da sala de reunião? Depois de um tempo, você descobre que aqueles óculos são só charme, nem têm grau... Ela não é apenas bem-sucedida. Inteligente, culta, ambiciosa; já conquistou tudo que há para conquistar, inclusive o seu homem. Esse poder fascinante vai muito além do horário de trabalho: ela cita Proust no meio da transa, sabe os diálogos daquele clássico do cinema francês - e os reproduz sem o menor sotaque, já que estudou em Paris quando era mais nova. A mulher bem-sucedida é chique e adora as coisas boas da vida. Seu nome estava na lista da festa superdescolada que todos os seus amigos queriam ir e não conseguiram. Quando estamos ao seu lado, toda hora é happy hour. O único problema é que ela não namora, estabelece cases de relacionamento. Também não gosta de escrever cartas de amor - prefere colocar seus sentimentos mais nobres em planilhas de Excel. E é muito difícil vê-la interessada em conhecer gente nova: prefere prospectar futuros parceiros para uma intensa convivência social.

A mulher misteriosa: todo homem tem uma relação de amor e ódio com a mulher misteriosa, aquela que ninguém consegue controlar, não importa se o cara é casca-grossa ou o mais gente fina do mundo. Você pergunta onde ela estava na noite passada, ela diz que acabou caindo no sono (e você sabe que é mentira); pede para ligar para você tal hora, e ela jura que se esqueceu de carregar a bateria do celular. A misteriosa faz o que quer, e esse espírito incontrolável deixa a gente louco. Com uma mulher desse tipo não tem jogo ganho: todo dia é uma nova conquista. O problema é que ela é tão linda e misteriosa que não há a menor chance de você deixar de pensar nela 25 horas por dia, oito dias por semana. Costumo chamar esse tipo de mulher-gato, porque é manhosa, arredia e adora passar o dia na cama. O problema para os homens é que ela é mais ou menos como uma gata de verdade: dá sempre um jeito de escapar quando a gente quer agarrá-la. Em compensação, é capaz de fazer os carinhos mais incríveis quando você menos espera. O homem fica totalmente à  sua mercê - e ela, claro, sabe disso. Provoca até o momento em que o cara não aguenta mais e explode. Daí ela vem falando baixinho, ronronando no nosso pescoço... e logo depois de um beijo na boca já estamos apaixonados de novo.

A mulher real: ela pode ser essencialmente tão irresistível quanto as outras cinco, mas não se encaixa completamente em nenhum desses perfis. Apesar disso, está mais perto do que os homens imaginam, o que não significa que conquistá-la seja tarefa fácil. Ela é imperfeita, sim, mas quem disse que isso é um defeito? Tem coisa mais linda do que mulher de pijama vendo tevê debaixo do cobertor? Do que os óculos de professorinha que ela só coloca no escurinho do cinema? A mulher real tem uma vantagem que as outras não têm. Ela existe de verdade, e não só na nossa cabeça. E ainda pode ser a mulher para casar na noite em que está mais romântica; fatal quando quer tomar as rédeas na cama; exótica quando quer experimentar algo que vocês nunca fizeram; bem-sucedida naquele dia em que tudo deu certo no trabalho; misteriosa na hora em que o interessante é esconder o jogo. Também sabe que personagens só como vestidos de festa: você usa uma vez, deixa no armário durante um bom tempo e só tira quando estão no pique de brincar de ser outra. E não tenha dúvidas de que nós homens adoramos essa variedade nela. Afinal, a única mulher a que nós resistimos totalmente é a mulher-rotina.