Adoro ver meu marido transar com outras mulheres

Mesmo assim, tenho ciúmes dele. Estabelecemos regras para que seja prazeroso pra nós dois. Vale tudo, menos beijo na boca. Intimidade real, só entre mim e ele

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 30/04/2009 em

Sou+Eu

um conteúdo de

Adoro ver meu marido transar com outras mulheres
Kátia Kazedani

O que mais me excita é ver meu marido  com uma garota Eu fico olhando a cena  enquanto toco e beijo a menina
Foto: Roberta Borges

Tudo começou há dez anos, quando eu levei meu marido a uma casa de swing. Era aniversário dele e eu queria fazer uma surpresa. A ideia era realizar a fantasia do meu amor, que morria de vontade de conhecer uma dessas casas noturnas. Mal sabia que a surpreendida seria eu: não só gostei de ver casais transando em público como fiquei excitada em imaginar meu marido com outra mulher na minha frente.

Pode tudo, menos beijar na boca!

Pensa que não tenho ciúmes? Claro que tenho! Por isso, decidimos estabelecer regras antes de colocar outra pessoa na relação. Fizemos uma lista do que seria permitido e proibido.

De início, poderíamos apenas trocar carícias com outras pessoas. Por exemplo, meu marido poderia masturbar uma mulher e outro homem poderia fazer a mesma coisa comigo, mas parava por aí. Na hora de transar, seríamos apenas nós dois.

No entanto, depois de uns três anos frequentando a casa de swing toda semana, fomos evoluindo até que nos permitimos a penetração com nossos “convidados”. No entanto, o beijo é totalmente proibido nas nossas transas com outros parceiros até hoje. E acho que será difícil um dia isso acontecer.

Nós consideramos que o beijo é uma intimidade apenas do casal. Afinal, é uma demonstração de amor, sentimento que não existe quando transamos apenas pelo prazer.

A sala “vale-tudo” é a nossa predileta

Todas as nossas relações começam e terminam na casa de swing. Normalmente, trocamos olhares na pista de dança com as pessoas que nos interessam. Depois, vamos para as salas que existem na casa noturna.

Há vários tipos de salas, mas gostamos de uma que se chama “vale-tudo”. Como o próprio nome diz, lá rola troca de casais, sexo com três ou mais pessoas e por aí vai.

Mas, acredite, a abordagem acontece sempre com muito respeito. As pessoas normalmente demonstram que estão a fim de sexo segurando em nossas mãos. Nunca aconteceu de ninguém passar a mão na minha bunda ou algo assim. Caso um de nós não queira, ninguém insiste.

Mais