(none)

Quem deve pagar a conta?

O garçom traz a conta. Silêncio na mesa. Como agir? NOVA e duas consultoras de etiqueta acabam com as dúvidas que atormentam muitas mulheres. E declaram: homens gentis não têm preço

Atualizado em 25/06/2012

Reportagem: Angela Senra - Edição: MdeMulher

Quem deve pagar a conta?

Mesmo que o jantar pode ter sido ótimo, a hora de pagar a conta quase sempre gera uma tensão
Foto: Getty Images

Prova de que nesse assunto não há certo ou errado e de que só você pode decidir como agir. Para saber o que diz a etiqueta moderna, consultamos Célia Leão, autora de A Etiqueta da Sedução (STS), e Márcia Zoladz, autora do blog Etiquetésima. A partir de agora, a única saia justa que haverá entre vocês é a que vai vestir para impressioná-lo!

Que ansiedade: é o primeiro encontro

Você leva a tarde toda para decidir que modelito vestir, ensaia caras e bocas no espelho para mostrar seu lado mais sexy, imagina uma lista de temas que podem interessar ao bonitão, escova o cabelo, faz as unhas, passa perfume em pontos estratégicos do corpo... Não bastasse o frio na barriga que dá sair com um potencial príncipe encantado, você ainda tem que pensar no que fazer quando o garçom trouxer a conta? Tenha dó! Bem, aqui vai uma boa notícia: a regra básica número 1 da etiqueta nessa largada para um namoro, segundo Célia Leão, ainda é "Quem convida paga". E como geralmente quem toma a dianteira é ele, respondido está.

A torcida feminina agradece. Tem maior sinal de gentileza e cavalheirismo nesse início de paquera? Ainda assim, dizem os rapazes que quando a mulher se oferece para rachar (mesmo que eles, do alto de seu cavalo branco, não aceitem) ganha pontos. Em compensação, aqueles que assumem a despesa com segundas intenções vão para a lanterna. Bem, se der de cara com esse tipo de troglodita, melhor pensar se deseja um segundo encontro.

Vocês estão saindo...

Mesmo passada a primeira prova de fogo - de papo, de pele e de etiqueta financeira -, o tema continua dando o que falar. É que as opiniões divergem conforme o significado que a atitude de pagar a conta tem para você e para ele, fora o saldo bancário de cada um. A consultora Márcia Zoladz acrescenta: "Nós, mulheres modernas, agimos assim por instinto". No entanto, se o gato continua insistindo em assumir as despesas, não há problema em aceitar. Dá para retribuir a gentileza de outras formas. "Vale presenteá-lo com aquele livro que ele está louco para ler, sem nenhuma ocasião especial", diz Márcia. Nessa fase, talvez surja outro impasse difícil de resolver: o da despesa do motel. Aí a polêmica esquenta, pois muitas mulheres acham o fim dividir, enquanto boa parte da ala masculina defende que o prazer será dos dois. É uma situação delicada, de raiz cultural. E então, mais do que saber o que diz a etiqueta, vale o que você sente. "Depois que já estiverem namorando, quem não ficar à vontade pelo fato de pagar deve explicar seus motivos", fala Márcia. Usar argumentos que venham do coração aumenta suas chances de sucesso, mais do que ir acusar o rapaz de ter escorpião no bolso.

O namoro engatou

Quando vocês já passaram pelos primeiros três meses de experiência, a tensão romântico financeira tende a diminuir. É natural, inclusive, que cada um pague o que consome. Verdade que nem sempre dá para acompanhar o ritmo do moço. Se você sai com um felizardo que ganha o triplo do seu salário e ele sugere um programa mais caro, não se envergonhe por perguntar: "É um convite? Porque no momento não estou podendo fazer esse tipo de gasto..." Márcia garante que falar de dinheiro evita uma porção de mal-entendidos.

Promessa de amor eterno

Muito bem: os pombinhos não veem a hora de juntar as escovas de dentes, falta só comprar o apartamento. É justo querer que ele economize se você não abre mão de renovar o guarda-roupa toda estação? Dá para continuar vendo o fofo gastar os tubos com equipamentos para o carro enquanto você faz manicure em casa para salvar preciosos reais em prol da casa própria? Segundo as consultoras, casal que quer construir um amor eterno precisa trabalhar junto tanto na hora de dividir as contas quando na hora de poupar. "Lógico que quem ganha menos ou consome menos arca com menos. Se o seu amor tem um salário polpudo e você ainda faz estágio, ele não pode imaginar que vá rachar a conta ao meio - a menos que façam programas acessíveis ao seu mirrado orçamento", diz Márcia.  Quer mais uma forma de o dinheiro unir uma dupla? "Abrir uma poupança para que cada um deposite uma quantia mensal", fala Márcia. "Isso mostra que têm metas para o futuro e esclarece as perspectivas da relação. Quanto mais cristalina a questão financeira estiver, maiores serão as chances de o casal viver momentos de muito amor."