nao

A um passo da traição

Ele é lindo, sedutor, inteligente. Toda vez que seus olhares se cruzam, o coração só falta pular pela boca. Sua vontade secreta é se entregar ao desejo. Detalhe: você é comprometida. E agora?

Atualizado em 25/06/2012

Reportagem: Karina Hollo - Edição: MdeMulher

Traição

A insatisfação na cama é a maior causa das traições
Foto: Getty Images

Você namora há algum tempo, é apaixonada, mas seu coração dispara quando encontra o moreno sedutor do trabalho. Pior: o moço parece retribuir os olhares. E agora? Para começar, nada de se martirizar por desejar outro homem. De acordo com o dr. Paulo Gaudencio, psiquiatra e colunista de NOVA, é natural, já que a novidade funciona como combustível do erotismo. Tem mais: só nos vemos às voltas com esse tipo de dilema, antes exclusivamente masculino, porque conquistamos igual direito à liberdade sexual. "Estamos mais exigentes afetiva e sexualmente", aponta a psicoterapeuta de casais Sandra Samaritano, do Instituto Paulo Gaudencio.

Como nasce essa vontade? O principal gatilho é a insatisfação entre os lençóis. Foi o que descobriu a pesquisa feita pelo ginecologista Amaury Mendes Jr., com 245 cariocas. Outras razões apontadas pelas entrevistadas: carência, vontade de ser admirada ou desejo puro e simples. A psicóloga da PUC-SP Rosa Maria Macedo acredita que as mulheres também pensam em pisar fora da linha para castigar o parceiro. "É uma forma de autodefesa e de se sentirem amadas”. Outra situação que balança muitas garotas é dar de cara com ex-namorado.

Para o sexólogo Joaquim Motta, autor de Amores Humanos, Traições Divinas (All Books), ficar com um antigo amor é uma tentativa de preencher um vazio do passado. Ou seja, você procura viver algo que faltou na relação. Já a psicanalista e sexóloga Regina Navarro Lins, autora de Fidelidade Obrigatória e Outras Deslealdades (Best Seller), defende um ponto de vista polêmico: que tudo não passa de instinto. "É natural termos prazer em variar. E o que você faz longe do parceiro é problema seu, não dele." A questão é que, por enquanto, poucas conseguem pensar em dar o passo sem olhar para trás.

Prazer ou dor de cabeça?

Não por acaso um dos receios que começam a rondar é: "Será que devo?", "Vou colocar meu namoro a perder?" Em uma pesquisa feita por NOVA com 3 400 leitoras, 38% disseram ter se arrependido da infidelidade e metade delas assumiu sentir culpa. A explicação, para o sexólogo Joaquim Motta, é que a mulher gosta de criar vínculos. A psicóloga Rosa Macedo concorda: "Para nós, é difícil separar sexo de amor". Quem garante que você não vai se apaixonar pelo reserva? Como lidar com a dor de cotovelo se não for correspondida? E, se for, o que fará com o titular?

Algumas garotas passam a precisar de ambos para garantir a felicidade. Segundo os especialistas, nesses casos de triângulo amoroso, o terceiro elemento vira essencial para a relação oficial. Você suporta a falta de humor de um porque o outro é engraçado. A situação é confortável aparentemente, pois basta tirar um deles do tripé que desmorona tudo. Como se não bastasse, mais um medo: ser tachada de infiel. Para Sandra, essa preocupação é sociocultural, uma vez que o machismo ainda atinge muitos homens - e mulheres!Ainda assim, há quem corra o risco para testar os sentimentos. A traição pode ser a gota d'água para o fim de um namoro sem futuro - ou a certeza de que você está no caminho certo porque vê o quanto seu namorado a satisfaz.

Para ajudá-la a decidir se vai em frente ou não, os especialistas sugerem reflexões: Como vai seu romance atual? Caiu na rotina? O que pretende fazer em relação a isso? É preciso repensar, saber se tem vontade de continuar com a relação. Caso a resposta seja sim, melhor marcar uma conversa com seu homem para tentarem, juntos, revigorar o amor. Caso contrário, será que não é melhor terminar, deixando os dois livres para seguirem o próprio caminho?

Trair ou não trair?

Especialistas ajudam a diminuir o tormento de duas leitoras que nos escreveram pedindo socorro.

P. Sou casada há dez anos e ele foi meu único homem. Acontece que eu e um colega de trabalho, também comprometido, estamos morrendo de desejo um pelo outro. Gostaria de propor uma transa e nada mais. Será?

Mariane, 28 anos, Poços de Caldas (MG)

R. Você está casada há bastante tempo. "Isso significa que talvez tenha uma curiosidade sexual muito grande", analisa o Dr. Paulo Gaudencio, psiquiatra e colunista de NOVA. Se o ponto é descobrir como seria transar com outro homem e você se sente segura para encarar o desejo sexual, pode seguir em frente. "No entanto, antes de dar esse passo, melhor refletir sobre seus valores para não sofrer ou se sentir culpada depois", alerta a psicoterapeuta de casais Sandra Samaritano, do Instituto Paulo Gaudencio. A psicanalista e sexóloga Regina Navarro Lins lembra que sentir tesão por alguém que não seja o parceiro fixo é natural. Se vai ou não viver uma experiência sexual extraconjugal, depende da visão que tem do amor e do sexo. "Quando num casamento não há dependência econômica ou emocional e ambos se têm consciência de que o relacionamento só vai existir enquanto for satisfatório do ponto de vista sexual e afetivo, um episódio extraconjugal pode ocasionar dois resultados. Ou ele é apenas passageiro e não rivaliza com a relação estável, que sai até reforçada ou a nova relação se torna mais intensa e prazerosa que a anterior, que é rompida", diz ela.

P. Sou casada há cinco anos, mas estou me sentindo atraída pelo meu novo chefe. Não paro de pensar nele e até perdi um pouco do tesão pelo meu marido. Socorro!

Nadia, 31 anos, Rio de Janeiro (RJ)

R. A psicanalista e sexóloga Regina Navarro Lins alerta: quando o casamento cai na rotina e não tem mais nada de estimulante, o "outro" amado sempre parece mais atraente, sensual e interessante que o marido. "O fato de ser inacessível é o que faz a relação extraconjugal conter um fascínio especial. O amor pelo amante existe no mundo da imaginação, ele se alimenta de fantasias. Sua natureza secreta e o afastamento do mundo cotidiano são exatamente o que promovem sua qualidade extraordinária." De novo, que tal olhar para dentro do seu casamento e checar como ele anda? É preciso repensar a relação, identificar qual foi sua contribuição para as coisas chegarem a esse ponto, se tem vontade de continuar nela.