O colunista

Luiz Gasparetto
Luiz Gasparetto

Autor de 26 livros sobre desenvolvimento emocional, mantém o espaço Vida e Consciência, em São Paulo

Site: www.vidaeconsciencia.com.br

MDEMULHER TV

(none)

Aprenda como superar a solidão

Basta assumir a responsabilidade pela sua própria vida e ter coragem de romper com velhas crenças e valores

[an error occurred while processing this directive]

A solidão é um tema que mexe muito com todos nós. A solidão envolve uma sensação de abandono e amargura, de desprezo, mesmo! Superpoderosa, ela corta a nossa alegria de viver e vai sufocando tudo o que há de bonito dentro da gente. É impressionante como a maioria das pessoas acha que solidão é a falta de gente no nosso convívio, quando, na verdade, ela é a falta de nós mesmos. A solidão é um fenômeno interior, não depende de terceiros. Você pode, inclusive, sentir solidão estando no meio de amigos que lhe querem bem. A solidão, no fundo, representa o quanto você está longe de si. O quanto você não se aceita. O quanto você não está do seu lado. O quanto você se vê negativamente. O quanto você se culpa e se reprime. Esses processos naturais de auto-rejeição levam você a se sentir sozinha, longe de si.

O primeiro passo, portanto, para acabar com a solidão, é assumir a responsabilidade pela sua própria vida. Quando adota essa atitude, você conquista o poder de lidar com qualquer situação, porque sai da posição de vítima e faz algo concreto para seu próprio bem. Fazer algo por nós mesmos é fundamental para quem quer melhorar a vida. Mudando suas atitudes, um mundo novo e cheio de possibilidades se abre.

O segundo passo é enfrentar a si mesma. Isso significa bater de frente com todos aqueles valores e crenças ultrapassados que vinham regendo sua vida. Significa abrir mão de pensamentos e atitudes que não têm mais nada a ver com as suas reais vontades. Quando conseguir fazer valer suas próprias escolhas, você diminuirá a distância que tem de si mesma. E, quanto menor essa distância, menos solidão você sentirá

Assim, sua personalidade pode mudar. E o mundo também muda! Se você enfrenta a si mesma e rompe com idéias velhas e comportamentos antigos, as pessoas vão olhá-la diferente e vão respeitá-la, porque vão sentir que você está com uma energia diferente. Com essa nova energia, as situações da sua vida vão se abrir maravilhosamente bem. Por quê? Porque, se você passou a se tratar bem, a vida, em resposta, também vai lhe tratar bem.

Então, vamos lá: abandone já seus valores do passado. Nada de ser uma pessoa bonitinha para o mundo, só para ter a aceitação de todos. Apóie suas próprias verdades e não tenha medo de nada. Ninguém vai aceitá-la se você não se aceitar antes. Ninguém vai amá-la, antes de você se amar. Para aquela idéia do ser ideal, diga “tchau”! E diga para si mesma: “Quero ser o que sou. Quero me sentir bem. Quero assumir 100% do meu modo de ser. Não quero censura. Não quero agradar aos outros, mas a mim mesma. Tiro agora o poder que dei para os outros e o tomo em minhas mãos. O poder sobre o meu mundo é só meu”.

Assuma essa nova postura e nada de ficar se martirizando com o que já passou, viu! Você errou, sofreu com as atitudes que adotou no passado, mas tudo ficou lá trás. O que importa é que, a partir de agora, você está do seu próprio lado. Você está disposta a mudar para ser o que é melhor para si mesma. Você reconheceu seus erros, aprendeu as lições e agora tem forças para dizer NÃO quando for preciso. Lembre-se: você não tem mais força para fazer o que os outros dizem que é certo. Não tem mais forças para ser igual ao que a maioria das pessoas espera, ao que a religião espera ou ao que a sociedade espera. Você só tem forças para ser o que é realmente. Esteja sempre consigo mesma, se assuma – e você verá que nada mais vai assustá-la, porque você estará sempre do seu lado. E, assim, o universo também estará do seu lado!

[an error occurred while processing this directive]

Comentários

[an error occurred while processing this directive]

Comentar

[an error occurred while processing this directive]
Rede MdeMulher
Publicidade