MDEMULHER TV

guiaclaudianoivas
Claudia Noivas
  • JANEIRO - Fernando de Noronha

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-06.jpg

    Apesar do calor do verão e das praias cheias, a opção da maioria dos casais que saem em lua de mel no primeiro mês do ano é mesmo o litoral. Mas, como um pouco de privacidade não faz mal nessa hora, melhor se o cenário paradisíaco puder ser, de fato, uma ilha: Fernando de Noronha. Com 16 praias de areias brancas, piscinas naturais e golfinhos a vista, além de restrição para o número de visitantes, o local é, sem dúvida, o paraíso brasileiro para quem deseja namorar.

    O melhor: o clima é quente, mas, como trata-se de uma ilha, nada abafado. Dá para ficar na praia, só curtindo o sossego, ou sair para passeios de barco e mergulhos.

    O pior: é o pacote turístico mais caro do Brasil, com uma taxa de permanência diária exigida pelas autoridades e com preços bem "abusados" no comércio local até para itens básicos, como uma garrafa de água. Prepare o bolso.
    Foto: Divulgação

    Fernando de Noronha
  • FEVEREIRO - Lagos Andinos

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-08.jpg

    Você gosta de praia, ele prefere a montanha. Um curte o agito, enquanto o outro sonha com dias de tranquilidade. Além disso, a verba para a lua de mel está restrita. A viagem para os Lagos Andinos pode ser uma boa solução. Melhor ainda se for em fevereiro, quando a temperatura na Argentina ainda está amena e na medida certa para fazer passeios românticos em volta do lago Nahuel Huapi, em Bariloche. O cenário junta cordilheira de picos nevados cortadas por rios de águas cristalinas e coberta por bosques de flores silvestres. Paisagem e roteiro de cinema. Você ainda pode passar uns dias em Buenos Aires.

    O melhor: não há neve nessa época do ano, e você poderá aproveitar a cidade como mandam os argentinos, no calor.

    O pior: passar por Bariloche fora da temporada de esqui, que vai de junho a outubro.
    Foto: Divulgação

    Lagos Andinos
  • MARÇO - Litoral sul da Bahia

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-03.jpg

    Pode ser que vocês façam o gênero festeiros, que não dispensam um agito noturno na programação. Pode ser que tudo o que desejem na vida seja sombra e água fresca... Qualquer que seja seu pedido, o sul da Bahia atende. Da tradicional Porto Seguro à sossegada Itacaré - não há quem volte indiferente a esse lugar do Brasil. Em março, pós-Carnaval, quando o calor ainda é bom e não começou a época das chuvas, tudo fica ainda mais atraente.

    O melhor: ficar hospedado em um dos vários resorts do litoral baiano. As opções de preço e acomodação são flexíveis e a privacidade e o conforto estão sempre garantidos.

    O pior: não há grandes opções de passeios durante a semana, além de visita às praias. O que, convenhamos, não é um sacrifício tão grande...
    Foto: Divulgação

    Litoral sul da Bahia
  • ABRIL - Pantanal

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-05.jpg

    É o primeiro mês do início da vazante, quando as águas começam a baixar por lá e os animais podem ser melhor observados. Aves e mamíferos que não podem ser vistos em nenhum outro lugar do mundo, num espetáculo que atrai milhares de turistas. Para os casais em lua de mel, o mais recomendado é a acomodação no complexo hoteleiro Caiman, localizado numa área de 530 quilômetros quadrados ao sul do Mato Grosso do Sul. Antiga fazenda, transformada em reserva ecológica, oferece programação exclusiva.

    O melhor: o espetáculo das aves migratórias e pássaros nativos que vêm se reproduzir às margens das lagoas.

    O pior: embarcar em um programa muito puxado, como a Comitiva de Gado, atividade tradicional pantaneira, onde os hóspedes saem cedo para tocar uma boiada com 300 cabeças de gado. Melhor ficar com a opção do safári fotográfico e ter tempo para namorar.
    Foto: Divulgação

    Pantanal
  • MAIO - Disney

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-11.jpg

    O destino combina bem com noivos que curtem agitação, pois tudo o que vocês não terão na Disney é sossego. Mesmo assim, o lugar é um dos mais procurados por casais que não têm disposição de ficar fora por um mês inteiro. Na Disney World, vocês podem se hospedar em um dos 23 resorts do parque, que fazem, inclusive, as reservas pela internet. A vantagem é passar a lua de mel em um único local, sem fazer e desfazer malas.

    O melhor: A mordomia de ser hóspede dos resorts e ter ônibus exclusivo para se deslocar nos parques, além de entrada antecipada nos brinquedos.

    O pior: ficar duas semanas em um parque temático pode ser meio enfadonho, nesse caso, dá para alugar um carro em Orlando e passar alguns dias nos arredores.
    Foto: Divulgação

    Disney
  • JUNHO - São Luís do Maranhão

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-07.jpg

    A faixa litorânea que se estende do Maranhão até a divisa com o Piauí é um dos destinos mais procurados por quem curte viagens no estilo ecoturismo. Lá, o clima da lua de mel será iluminado pelo sol, pela história do lugar e pela animação das festas populares. O bumba-meu-boi, que começa a ser festejado em junho, é o principal motivo para decidir-se pelo lugar nessa temporada. Além disso, é também a estação de seca nos Lençóis Maranhenses, onde ficam as dunas mais famosas do país, intercaladas por lagoas de águas azuis.

    O melhor: o entardecer na Duna Bonita é de tirar o fôlego. Partindo de Barreirinhas, a 187 quilômetros da capital, duas horas de barco pelo Rio Preguiças.

    O pior: comprar um pacote que reserve apenas dois dias para o Parque de Lençóis, já que se gasta quase meio dia apenas para chegar até lá. Quatro dias é o ideal para curtir as belezas naturais.
    Foto: Valdemir Cunha

    São Luís do Maranhão
  • JULHO - Serra Gaúcha

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-02.jpg

    No inverno, nada melhor do que curtir o frio da montanha com bons vinhos e fondue na frente da lareira. Com essa proposta, as cidades de Gramado e Canela estão entre as preferidas nos roteiros nacionais de lua de mel, especialmente durante o inverno, quando a probabilidade de chuva é menor. Conhecida como o pedaço mais europeu do Brasil, a Serra Gaúcha oferece desde passeios em trilhas e lagos até eventos mais culturais e históricos, como a degustação de vinhos na Região dos Vinhedos.

    O melhor: esticar a estada até as cidades vizinhas de Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Garibaldi com suas colinas cobertas por videiras - é de encher os olhos.

    O pior: as geadas de fim de noite que castigam o Rio Grande do Sul no inverno. O termômetro atinge -10ºC.
    Foto: Divulgação

    Serra Gaúcha
  • AGOSTO - Grécia

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-09.jpg

    Agosto é o fim da temporada nas ilhas do Mediterrâneo, mas ainda dá para contratar um pacote de agência - mais vantajoso do que montar o roteiro por conta própria. O básico é ter 15 dias apenas para desfrutar as paisagens magníficas das ilhas, das clássicas e badaladas Mikonos e Santorini, que são próximas e bem acessíveis a partir de Atenas, até Patmos, mais distante, no caminho para a Turquia. Além disso, a viagem deve reservar um tempo para a visita às ruínas milenares, como Acrópole em Atenas e a Ilha de Rhodes.

    O melhor: o passeio de barco de Santorini até Patmos pelo mar azul cintilante do Mediterrâneo, que pode ser feito à noite, com a brisa refrescante.

    O pior: driblar o grande número de turistas que vai à Grécia nessa época do ano, principalmente os suecos e finlandeses que fogem do frio.
    Foto: Divulgação

    Grécia
  • SETEMBRO - Europa

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-04.jpg

    Com o clima mais ameno e os preços mais em conta, a Europa na baixa temporada é a viagem mais procurada pelos noivos em lua de mel. França, Espanha, Itália, Inglaterra e Portugal são os países preferidos e também os mais comuns nos pacotes de agências de turismo que investem nos destinos românticos. As opções são muitas: dos pacotes que percorrem vários países em alguns dias, até roteiros personalizados para regiões específicas.

    O melhor: escolher formas alternativas de hospedagem como antigos castelos e conventos - comuns na Itália e na França. É um investimento, mas o clima de romantismo vale a pena.

    O pior: perder tempo em escalas entre os países. Viajar de trem ou de carro é uma opção mais viável e agradável para um casal - mas cuidado com as malas, pare o carro em estacionamentos!
    Foto: Divulgação

    Europa
  • OUTUBRO - Taiti

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-01.jpg

    Uma foto da região diz tudo: mar azul e areias finas. É o sinônimo de lua de mel. O Taiti, como se acaba chamando toda a região da Polinésia Francesa com sua centena de ilhas, povoa a imaginação de vários casais em lua de mel. Para conhecê-lo é preciso escolher a temporada seca (até outubro) e também ter paciência: a viagem leva um dia inteiro a partir do Chile; depois, já do outro lado do mundo, são mais algumas horas a bordo de canoas, jipes e vôos domésticos. Mas vale a pena.

    O melhor: render-se à magia da cultura local e fazer a cerimônia do casamento de novo, na praia, com sarongue branco, colares e coroas de flores.

    O pior: o custo, tanto para chegar, quanto para se hospedar, comer ou fazer passeios turísticos, como mergulhar nos corais da baía de Cook ou visitar as aldeias de Tiki Village. Tudo tem um preço alto.
    Foto: Divulgação

    Taiti
  • NOVEMBRO - Chapada Diamantina

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-12.jpg

    O cartão de visitas desse local é o Parque Nacional da Chapada Diamantina, que acabou emprestando seu nome a toda a área do sertão nordestino. O local, espécie de oásis no meio da caatinga brasileira, revela lagos, cachoeiras, montanhas e vales que surpreendem. Um dos pontos mais visitados é a Cachoeira da Fumaça, uma queda d´água de 340 metros de altura. Para chegar lá é preciso encarar uma trilha de 6 quilômetros de pura emoção. Com a aproximação do verão, a região fica ainda mais atraente para mergulhos e passeios ao luar.

    O melhor: desfrutar a natureza quase intacta do Poço Encantado, escondido nas profundezas de uma caverna.

    O pior: embarcar numa viagem dessas sem preparo físico ou disposição para o turismo ecológico. Não dá para esperar o conforto do hotel cinco estrelas no meio do sertão!
    Foto: Divulgação

    Chapada Diamantina
  • DEZEMBRO - Austrália

    /imagem/bem-estar/galeria/lua-de-mel-destinos-10.jpg

    Entre a aridez do deserto e o azul das praias, fiquem com os dois, visitando a Austrália no verão. Mas é bom saber antes de embarcar: o país, chamado de continente é impossível de ser conhecido em apenas uma viagem. Por isso, para não ter estresse na lua de mel e poder desfrutar da viagem, combine direito o roteiro com seu agente ou, senão, corre-se o risco de passar o tempo todo na estrada.

    O melhor: fazer o passeio pela Costa Dourada, que é a costa leste do país com as famosas praias de surfe, um cruzeiro incluso para a Grande Barreira de Corais - o maior parque marítimo do planeta, onde qualquer amador pode mergulhar com os peixes do alto mar.

    O pior: encarar o vôo matutino de cerca de 20 horas a bordo, vindo direto da cerimônia. Mais indicado é aproveitar a escala em Buenos Aires, passar o dia lá e pegar o avião que sai à noite para Sydney.
    Foto: Divulgação

    Austrália

Como programar a lua-de-mel conforme os meses do ano

Programar a lua de mel conforme os meses do ano ajuda a escolher os destinos e fugir da chuva

Atualizado em

Comente

Rede MdeMulher
Publicidade