05 abr

time dos casados

Casais que vivem grudados são chatos!

Por Alex Xavier postado em 05/04/2012 às 19h48

Comentários (30)

casal inseparavel

Foto: thinkstock

 

Há algumas semanas, escrevi que não acreditava nessa história de “dar um tempo”e continuo achando um modo de fugir dos problemas em vez de encará-los. Mas existe outro fator na complexa equação do amor no qual coloco mais fé: chama-se “dar espaço”. Seja na fase da paquera ou quando já existe algo mais sólido entre o casal, nada é mais sábio em um relacionamento do que aprender a manter a distância ideal em cada momento.

Dosar o quanto devemos nos aproximar e nos afastar de alguém é uma verdadeira arte. Nem tão perto a ponto de sufocar, nem tão distante que se perca de vista. Lembra quando seguimos um carro em uma estrada. Você não vai colar na traseira dele correndo o risco de colisão em uma freada repentina. E também não vai ficar para trás, deixando outros veículos separarem vocês.

Mas manter este equilíbrio o tempo todo é bastante complicado. Diria até impossível. Considero-me uma pessoa bastante prática. Mesmo assim, meu retrospecto entrega que já pequei algumas vezes tanto por ser afoito como por parecer ausente – pensando na metáfora do parágrafo anterior, talvez tenha a ver com o fato de eu ser um péssimo motorista…

Quando nos tornamos um casal, os convites não chegam mais só para um de nós. São para ambos (em geral, de outros casais, para algo sossegado). Mais tarde, os presentes também seguem pelo mesmo caminho (vai entender isso quando começar a ganhar, no seu aniversário, utensílios de cozinha ou objetos decorativos para a sala). Pelo bem da relação, porém, nenhum dos dois deve abrir mão de sua individualidade. Como na canção do U2, “We’re one, but we’re not the same” (“Somos um, mas não os mesmos”).

Acha que os marmanjos comprometidos que religiosamente batem uma bola com os amigos se interessam tanto assim por futebol? Pois, duvido que eles entrem em campo para levar canelada, suar em bica e compartilhar o chuveiro com os camaradas. Mesmo sem se dar conta, estão à procura de uma atividade da qual suas mulheres não façam parte. O mesmo acontece com o marido que chama de seu um canto da garagem de casa para ficar martelando sabe-se lá o quê.

Casais que andam grudados o tempo todo são chatos. Não importa muito como, mas o homem e a mulher devem encontrar algo que gostem de fazer independente da participação do outro. Apóio que, eventualmente, cada um vá para um lado, promovendo “boys night” e “girls night”. Até viagens curtas separados podem fazer bem de vez em quando. É preciso ter a chance de sentir falta do outro. Saudade é um sentimento positivo. Não se trata de perda, mas da carência de algo que ainda faz parte de nossas vidas, apesar da ausência momentânea.

Dê espaço. E esteja presente nos momentos certos.

 

Alex Xavier

Devo ter cara de bom moço. A maioria das mulheres que não quiseram nada comigo e até algumas que um dia quiseram não vêem problema em falar comigo sobre outros caras. E como tenho mais amigas do que recomendam os médicos, ouço muitas histórias. Só posso oferecer a minha visão prática masculina. Ou seja, se a ideia é apenas ter alguém que escute seu desabafo, bata no seu ombro e diga "eu entendo", procure uma mulher. Sou homem e dou minha opinião mesmo quando não solicitado.

amigomacho.nova@gmail.com

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.

Para ter seu próprio avatar no site é preciso se registrar no gravatar.com

Comentários (30) em "Casais que vivem grudados são chatos!"

  1. Carol disse:

    Muito bom mesmo. Pensamento corretíssimo, ao meu ver. Parabéns pelo texto, acompanho todos :]

    • Alex Xavier disse:

      Obrigado pela leitura, Carol. Aproveite que acompanha sempre e mande para o meu e-mail alguma sugestão de tema que gostaria de ver tratado aqui
      beijos

  2. sa disse:

    quem escreveu esse texto é casado e tem filhos?

  3. Maria Luiza disse:

    Concordo plenamente!Ja tive uma relação que não suportou tanto grude e tanta falta de espaço,passavamos praticamente 24 hrs por dia grudados,ficou insuportavel,e foi quando coloquei um ponto final!

    • Alex Xavier disse:

      Acho que até o Brad Pitt e a Angelina Jolie se cansam de vez em quando um da cara do outro e se afastam com a desculpa de cumprir algum compromisso humanitário

  4. Dafne Palmieri disse:

    Exatamente isso! Eu preciso sentir falta pra poder sentir.

    • Dafne Palmieri disse:

      Todo mundo precisa de espaço. Para mim, mais dia ou menos dia limitar o outro só pode acabar em chororôs ou brigas interminaveis. O fato de estar junto de alguem não significa passar a habitar até os pensamentos do parceiro, afinal nenhuma promessa de amor eterno sobrevive quando se tem um GPS com necessidades biológicas acoplado!
      Sem contar que em toda e qualquer relação é preciso confiar no outro e ter autoconfiança. Você pode até ficar em cima, mas se ela (e) quiser se aventurar em campos “fora da área de cobetura”, farácom certeza!

      • Alex Xavier disse:

        haha acho que muita gostaria de mudar o plano para aumentar a sua áre de cobertura.
        Mas tem toda razão. conquistar a confiança é mais eficaz que ficar marcando território o tempo todo

  5. renatinha disse:

    Amei!!
    e isso mesmo!!!

  6. Moni disse:

    Concordo,acho tão bacana um relacionamento em que cada um tem sua privacidade,mas hoje em dias eu vejo muitos homens totalmente grudados e dependente das mulheres.

  7. San disse:

    Acho tão complicado dá esse espaço, a vida já é tão corrida com trabalho e estudo q acho q os tempos livres é para estarmos juntos, acho q qdo isso não ocorre é pq a companhia do outro não agrada.

    • Alex Xavier disse:

      Claro que o problema não é gostar da companhia do outro, mas gostar APENAS da companhia do outro. E ter um espaço não só para curtir a amizade com outras pessoas como também para aproveitar os momentos em que preferimos ficar sozinhos com nossos pensamentos

  8. Cínthia disse:

    Excelente texto! Por mais óbvio que se possa parecer, ainda é tão distante nas relações que acompanhamos. Sou casada e exercito (porque o exercício ainda é um treino…) essa teoria desde o namoro. Acho fundamental o ‘perceber-se como indivíduo’ antes de se declarar a tampa da panela. Relações existem para somar, acrescentar valores, ideais e objetivos; nunca para homogeinizar o que as diferenças tornam tão poético.
    Parabéns!

    • Alex Xavier disse:

      É por aí, Cinthia. Um pouquinho de egoísmo pode ser bom, para nunca esquecermos de fazermos algo por nós mesmos de vez em quando

  9. Gabriela disse:

    Nossa, adorei o post.! Mas é tão difícil, Alex… Namoro a 3 anos e, desde os 12 anos, estudamos na mesma escola, e às vezes na mesma turma. Agora, aos 19, passamos para faculdades diferentes e não estamos mais nos vendo com tanta frequência… Está sendo muito difícil para nós dois essa nova rotina, porque ele sente que eu estou muito ausente, preocupada demais com o meu curso. Vou tentar seguir o seu conselho e dosar melhor as coisas. Obrigada ;D

  10. Isabella disse:

    Concordo Alex, o desafio é achar a medida.

    Um beijo!

  11. Juliana disse:

    Alex,
    e quando o casal só tem o fim de semana pra ficar junto, é chato a namorada ficar todo final de semana na casa do namorado, é muito grude, ou compensa o fato de eles não se verem a semana toda?

    • July disse:

      Boa pergunta… Tb gostaria de saber sua opinião à respeito.

      • Alex Xavier disse:

        Não acho grude, não. Namoro só tem graça se há contato. Nunca fui fã de namoro à distãncia, por exemplo. Aparentemente, funciona para alguns, mas acho difícil construir uma relação de verdade assim. Já considero o contrário do grude, é o desprendimento total. Se o tempo de vocês é restrito, acho normal que queiram ficar juntos quando podem

  12. Barbara disse:

    concordo!! eu como mulher não vivo sem um tempo só meu…

  13. Lorena disse:

    Meu marido quer essa liberdade, mas nao quer me dar, eu concordo plenamente, mas se eu comentar com ele isso, ele ja acha que eu to querendo me livrar dele….ele é possessivo e controlador.Ele tem carro, sempre que vou em algum lugar sozinha, ele pergunta se quer que ele me busque, e eu falo que nao, prefiro ter meus momentos, sozinha, vou onde eu quero, na hora que quero, sem ninguem pra me controlar..E tmbm fazemos musculaçao em academias diferentes.Isso é otimo.

    • Alex Xavier disse:

      Diga ao seu marido que é impossível ele ganhar espaço sem ceder algum a você. Pode perguntar a qualquer mestre de Física. Mas, sério, não falo de liberdade total. Isso seria a tal da relação aberta, tema para outro post. Dosar o espaço que damos e que pedimos é complicado. Depende também do nível de confiança que existe entre o casal (se bem que eu acho bem equivocado viver inseguro e segurar o outro por perto com a rédea curta por conta de desconfianças, como ele parece fazer).

  14. Juliana disse:

    Sou Muito Dependende Psicologimente ashashha
    Preciso dele Perto de Mim
    Sei Que Sufoco..
    Mais Nao Sei o Que fazer Pra Tentar Dar Essa segurada Na Saudade..

  15. Paula Regina disse:

    Concordo com você, exceto na parte “(..) Mas manter este equilíbrio o tempo todo é bastante complicado (…)”. Para quem confia no parceiro, este equilíbrio é tão natural que nem precisa haver uma “conversa” sobre o assunto e nem estipulação de regras para tal.

    Sempre fui a favor de que cada uma das partes deveria ter sua vida social e individual e para mim, o grude era uma coisa terrível!!! Conheci algumas pessoas que não saiam de casa se o parceiro não estivesse junto e mesmo quando o casal saia junto, tudo era motivo para ciúmes.

    Meu namorado pensa como eu e conseguimos administrar isto muito bem. Não precisamos ficar ligando um para o outro toda hora e avisar onde vai, com quem vai, porquê vai, e etc. Ele manteve todas as amizades dele e eu as minhas e já saimos muitas vezes separados, cada um com a sua turma, e também já saimos com a turma dele, é muito bom, mas quando estamos juntos, é só nós dois. Se ele estiver com um amigo e eu ligar, ele não larga os amigos para ir me ver, mas quando está comigo e os amigos ligam, ele também não me larga para ficar com eles, é muito natural e na maioria das vezes só ficamos sabendo que o outro saiu no dia seguinte e isto não causa nenhum mal-estar.

    No meu namoro nada foi imposto e meu namorado conversa sobre tudo comigo : desde como está o tempo até coisas que o incomodam e isto faz com que eu confie muito nele.

    Por isto, acho que manter esta abertura não é complicado, mas as pessoas complicam demais os relacionamentos e isto acaba dificultando as coisas. Os posts anteriores mostram isto: pessoas que querem liberdade mas não a dá para seus parceiros; pessoas que acham que ausência e individualidade são sinônimos de desniteresse…

    Tudo é uma questão de confiança e talvez confiar no outro seja a parte mais difícil pois sem confiaça não se conquista o equilíbrio e sem o equilíbrio, não é possível ser feliz com seu parceiro.

  16. Nayara disse:

    Alex, seus textos são sempre ótimos. Me considero uma mulher muito prática, por vezes até acho que meu cérebro é meio “masculino”, pois ajo sempre diferente das minhas amigas (que se encaixam perfeitamente neste seu texto). Percebo que mesmo que a mulher dê essa liberdade e aproveite-a também, as vezes os homens não entendem que mesmo sendo “desencanadas”, existe o dia em que precisamos de um carinho, uma atenção diferenciada. Acho que tudo na vida do casal gira em torno da capacidade de conversar. Por isso que sempre que me pedem conselho eu digo pra analisarem como andam as habilidades de comunicação dos dois. Se isso estiver falho, todo o resto estará. (lembrando sempre que homens e mulheres tem formas diferentes de falar e entender as coisas…rs)
    Adoro seu blog! Parabéns!!

  17. Fernanda disse:

    Pensamento mais que correto!
    Espaço é bom, é necessário para qq relacionamento!!!
    Curti muito o texto, parabéns Alex!