11 set

Bem-estar

Musculação ou Pilates: qual o melhor?

Por Karla Precioso postado em 11/09/2011 às 14h00

Comentários (1)

Todos os amantes de atividades físicas sabem que, por mais que se dediquem e apreciem um esporte  em especial, necessitam de uma ou mais atividades complementares, tanto para re-equilibrar o corpo e relaxar tensões decorrentes dessa prática como também para intensificar o treinamento e aumentar a performance.

Escolher uma atividade complementar para a corrida é imprescindível, mas nesse momento podem surgir algumas questões quanto ao que fazer e quando. Algumas questões têm surgido quanto à possibilidade do Pilates substituir a musculação nessa tarefa. Antes de definir qual atividade seria mais adequada ou se uma pode ser substituída pela outra, é necessário considerar o tipo de prova, o perfil do atleta, se amador ou profissional e os objetivos que se pretende alcançar. Inicialmente, precisamos compreender os objetivos e princípios de cada atividade e os benefícios que cada uma proporciona. Pilates e musculação têm filosofias e princípios completamente diferentes, embora ambos promovam fortalecimento e aumento da resistência muscular. Como ainda existem  pouquíssimos trabalhos científicos sobre Pilates, não é possível mensurar se o trabalho de força e resistência muscular adquirido com a prática de Pilates é exatamente o mesmo do conseguido com a musculação. 

A musculação é um treinamento resistido com variáveis de carga, tempo de contração e velocidades controláveis que treina grandes grupos musculares com  o objetivo de aumento de força e resistência muscular. Pode ou não promover o aumento da massa muscular (hipertrofia) e possibilita um ganho de força e resistência relativamente rápido. Normalmente o corredor necessita de uma musculatura forte, resistente e definida, porém sem o aumento exagerado de massa muscular, uma vez que a qualidade necessária é a resistência a longas distâncias e não a força pura.

O objetivo do Pilates é a obtenção da saúde, trabalhando toda a musculatura do corpo, desde os músculos mais profundos aos mais superficiais de forma equilibrada, melhorando a postura, definindo músculos sem hipertrofia  e sem sobrecarga articular. No Pilates os exercícios são executados com no máximo dez repetições, com pesos de no máximo 2 Kg, com molas de tensões variáveis ou  com  o peso do próprio corpo. A evolução do treinamento se dá não pelo aumento do número de repetições, mas sim pelo aumento do número de exercícios para um mesmo grupo muscular, que será  solicitado intensamente de formas diferentes, já que o objetivo é o máximo controle e precisão de movimentos. Pilates utiliza como um dos princípios básicos a contração permanente da musculatura abdominal, a partir do acionamento dos músculos profundos do abdome. Em todos os exercícios o corpo é trabalhado como um todo, sem movimentos isolados. Além disso, em toda aula de Pilates se trabalha todos os grupos musculares numa seqüência específica de exercícios em um determinado ritmo, de forma que ao final da sessão a sensação é de um corpo trabalhado, sem tensão e equilibrado. Outra qualidade do método Pilates é a possibilidade de correção do gesto técnico da passada, alinhando e equilibrando a musculatura dos membros inferiores, trabalhando a propriocepção (a capacidade do corpo  fazer o movimento ajustando rapidamente a musculatura a uma irregularidade), a coordenação e o equilíbrio além de aumentar a consciência corporal. Desenvolver a concentração e o relaxamento terá uma influência direta na melhora da performance da corrida. Os benefícios são: maior controle dos movimentos, o que possibilita vencer a fadiga, manter a postura e realizar os movimentos com economia de energia, controlando a respiração e relaxando conscientemente músculos que estejam se contraindo de forma compensatória. Desta forma, o método também contribui para prevenir e diminuir o número de lesões, tanto para os atletas amadores como para os de alto nível. Os atletas mais preparados poderão usufruir da reorganização postural, do alívio das tensões causadas pela prática repetitiva de movimentos e os iniciante já começarão um trabalho muscular mais consciente, preparando a musculatura de uma forma mais equilibrada, desde o inicio.

Como se pode ver, a questão não é se podemos ou não substituir uma atividade pela outra.  Pilates e musculação são atividades diferentes que podem ou não servir aos mesmos objetivos e, apesar de terem características próprias, podem ser realizadas concomitantemente, já que Pilates convive maravilhosamente bem com qualquer tipo de treinamento esportivo. Com certeza, haverá ganho tanto na melhora da performance como na qualidade de vida!

fonte:  Cristina Abrami, fundadora e diretora técnica do CGPA Pilates,Licenciada em Educação Física pela EEFUSP, certificada no método Pilates pelo Physicalmind Institute e é Certified Pilates Teacher pela Pilates Method Alliance (PMA).

Karla Precioso

Karla Precioso é jornalista e amiga das leitoras de AnaMaria, com quem conversa todos os dias. Adora o contato com a natureza, onde geralmente se inspira para escrever mensagens em busca de uma vida mais feliz.

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.

Para ter seu próprio avatar no site é preciso se registrar no gravatar.com

Comentários (1) em "Musculação ou Pilates: qual o melhor?"

  1. ja disse:

    Acho que vocês estão falando isso por que ainda não viu o site http://www.tvdigitalnopc.com.br