Descubra a escova de ostra, à base de queratina

Esse alisamento é o grande sucesso do momento - e é liberado pela Anvisa

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 05/11/2009 em

Sou+Eu

um conteúdo de

Descubra a escova de ostra, à base de queratina
Ainá Vietro

Produtos usados para fazer a escova de ostra
Foto: Divulgação

A escova de ostra é desenvolvida a partir da queratina desse animal. ''Por ser muito próxima à queratina humana, ela corrige as imperfeições da quebra capilar'', explica o diretor da marca Oyster Line, Leandro RC. Além disso, o procedimento deixa o cabelo liso com muito mais brilho e caimento. A composição não tem amônia e está dentro das especificações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A técnica em cabelos Fernanda Santos, de Florianópolis, diz que esse é o sucesso do momento entre as mulheres. ''Já fiz muitos tipos de escova, mas nunca tinha visto resultado igual.''

. Quanto custa
De R$ 180 a R$ 280

. Marca
Oyster Line
(48) 3257-4743
www.oysterline.com.br

. Manutenção
Depende do tipo de cabelo. Para os ondulados, a cada quatro meses. Para os muito crespos, mensalmente.

. Indicação
Para quem tem cabelo volumoso ou ondulado e quer ter fios lisinhos.

. Vantagens
Todas as mulheres podem fazer, inclusive as que têm química ou tintura no cabelo. O produto dá proteção externa aos fios, o que deixa o cabelo bem macio. E o resultado final é um liso com aspecto natural.

. Contra indicações
Não há. No entanto, todas devem fazer um teste antes de utilizar o produto. A prova pode ser feita atrás da orelha ou no braço.

. Venda
Somente para profissionais. Não é um produto para ser manipulado em casa, por quem não é cabeleireira.

Agora saio de casa de cabelo molhado

Samira Peruchi, 25 anos, professora, Florianópolis, SC

Descubra a escova de ostra, à base de queratina
Foto: arquivo pessoal

''Fui escrava da chapinha por dez anos. Dormia todo dia mais tarde por causa da saga: lavar o cabelo, secar e passar a bendita prancha. Mesmo quando surgiu a escova definitiva, eu fiquei receosa, porque sou superalérgica. Mas, quando a minha cabeleireira falou da escova de ostra, eu resolvi experimentar. Fiz o teste na pele para ver se não teria alergia, e deu certo. Nem acreditei que estava a um passo de me livrar da chapinha. O resultado foi maravilhoso porque o produto hidrata os fios. Fiz pela primeira vez em maio deste ano e só retoquei em setembro. Agora posso sair de casa com o cabelo molhado: mesmo quando ele seca ao natural, fica lindo! Fora isso, com a chapinha fora do caminho, posso investir na maquiagem, que ficava em segundo plano. Ou seja, de cabelo liso e bem maquiada, ninguém mais me segura!''