Nova cor, nova mulher
Catarina Fávero

Legenda: Fernanda Souza trocou o 
castanho recatado pelo loiro exuberante
Foto: Isabella Kassow / Ag. O Dia

1. Evite mudar o look radicalmente de uma única vez. A chance de estranhar — e odiar — o resultado é maior em grandes metamorfoses. E se você se olhou no espelho e não gostou, aguarde três dias, tempo necessário para se acostumar com a nova cor. Não curtiu mesmo? Retorne ao cabeleireiro e peça para ele passar um tonalizante.

2. Tenha certeza de que gosta mesmo da cor escolhida — se o cabeleireiro falou que ficaria linda ruiva mas você não concorda com a sugestão, não arrisque.

3. O loiro é a pedida da primavera/ verão e, acredite, fica bem em todas! “Basta escolher o tom certo para cada tipo de pele”, indica o cabeleireiro e visagista Evânio Alves, do Studio Divas, do Rio de Janeiro. Branquinhas combinam com loiro-claro natural. “O platinado (aquele quase branco) está fora de moda”, alerta. Morenas devem apostar num fundo castanho-claro com luzes dois tons mais claras. Já as mulatas e negras podem manter o fundo castanho com reflexos dourados.

4. Os castanhos continuam com tudo. Porém, o cabeleireiro Tassio Moreira, do salão Jacques Janine do shopping Villa-Lobos, em São Paulo, recomenda: “Esqueça o efeito monocromático. A estação pede reflexos em nuances de loiro ou cobre”.

5. Os tons avermelhados, sensação nas estações mais frias, perdem a força pouco a pouco na próxima temporada — mas ainda permanecem na cabeça da mulherada que não abre mão do ruivo! Os mais próximos ao natural são perfeitos para quem tem a pele clara. Já os acajus caem bem nas morenas e os vermelhos mais fechados podem ser usados tanto por mulatas quanto por negras.

6. Aposte nas mechas californianas, também conhecidas como sun kissed — aquelas loiras, fininhas, que se concentram nas pontas do cabelo. “Mas o resultado deve ser natural, como se os fios tivessem clareado com a ação do sol”, recomenda Tassio Moreira.

7. Não se aventure a fazer uma coloração com reflexos em casa. O risco de danificar ou manchar é enorme! Vá a um cabeleireiro de confiança.

8. Esqueça o castanho-escuro e o preto, cores que destacam as imperfeições do rosto. “Os tons fechados não ficam bem em grande parte das mulheres. Só as descoladas devem usá-los”, diz Evânio Alves.

9. Antes de colorir, lembre-se de que a foto mostrada na caixinha da coloração e as amostras na cartela de mechas são apenas uma referência. Na prática, o efeito na sua cabeça pode ser bastante diferente, principalmente para quem já tem química nos fios.

10. Dê um intervalo de, no mínimo, 15 dias entre qualquer química. É importante também consultar um cabeleireiro. Somente ele poderá dizer se o seu cabelo tem condições de receber novo processo sem danificar.

11. E as sobrancelhas, como ficam? O visagista carioca diz que não é mais necessário adaptá-las à nova cor. “Hoje em dia não se exige mais que elas sejam mais claras que o cabelo. O importante é haver uma harmonia entre a tonalidade dos dois”, destaca.