(none)

Meus picolés viraram mania no Brasil todo

Se no começo da minha história eu não tinha dinheiro nem pros ingredientes, hoje tiro R$ 60 mil por mês usando as frutas exóticas do cerrado

Publicado em 19/06/2009

Carlos Eduardo Reche

Conteúdo SOU MAIS EU!
Foto: Weimer Carvalho

Pra começar a fazer picolés, peguei 
R$ 35 fiado no mercado e vendi cada 
um por R$ 0,50
Foto: Weimer Carvalho

Descobri os frutos do cerrado em 1996, quando me mudei para Goiânia, vindo do interior. O começo aqui na capital foi muito difícil. Como não conseguia emprego, tinha de fazer bicos. Um deles foi pegar picolés de um distribuidor e ir para a rua vender. Naquele dia só consegui que comprassem quatro picolés.

Eu estava bem desanimado quando um cara na rua, do nada, se aproximou. Ele disse que me trazia uma mensagem de Deus: eu seria um vitorioso. O homem disse que me via, no futuro, com muito dinheiro e sucesso. Aquilo ficou na minha cabeça.

No desespero, surgiu a ideia

Três meses depois, recebi um telefonema do meu filho. Ele tinha capotado o carro. Precisava de R$ 420 para pagar a franquia do conserto. Eu não tinha aquele dinheiro. Na situação em que estava, já não tinha nem mais amigos a quem pedir ajuda. Mas não havia tempo pra me desesperar.

Naquele momento meu telefone tocou. Desta vez, era um senhor de Minas Gerais me oferecendo um trabalho como representante de vendas de máquinas de sorvete. Eu venderia o equipamento e ganharia uma comissão. Aceitei, e aquilo ainda me deu uma ideia: fazer picolés caseiros pra vender.

Tentei vender minha geladeira por R$ 50

Mas eu ainda teria de resolver um problema. Eu não tinha dinheiro nem para os ingredientes da receita! Tentei vender uma geladeira velha por R$ 50 e não consegui. Então, fui ao mercado e comprei fiado 35 litros de leite para pagar em três dias. O dinheiro para o açúcar pedi a um irmão.

Preparei os sabores flocos, morango, leite condensado e creme. No dia seguinte, fui à porta de uma escola vender a 50 centavos cada um. Os professores e alunos aprovaram minhas receitas. Faturei R$ 460 naquele dia!

Criei novas receitas

Dias depois as máquinas de sorvete chegaram. Como percebi que levava jeito, resolvi usá-las para fabricar meus próprios produtos. Mas queria fazer receitas diferentes. Meu plano era usar frutas do cerrado. Comecei preparando sorvetes de murici, mangaba, cagaita, curriola, gabiroba, mutamba, bacupari, guapeva, buriti e pequi.

Muita gente não acreditava que minha aposta nas frutas exóticas do cerrado daria certo. Em 2004, abri a primeira sorveteria num bairro nobre de Goiânia. Era engraçado ver a reação das pessoas quando eu anunciava os sabores.

Cuido do meio ambiente

Hoje não consigo atender todos os pedidos. E nem quero, porque seria a destruição do cerrado brasileiro. Pra evitar a devastação, passei a plantar as árvores dessas frutas. A fé em Deus e o meu trabalho me ajudaram a chegar onde estou e tenho de ter esse compromisso com o meio ambiente. Pois é, quem acreditaria que aquele sujeito que não tinha nada venderia 20 mil picolés por mês a R$ 3 cada?

Nesta matéria

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

bibiana chita - vivo em luanda e quero iniciar meu negocio de picole e tenho procurando receitas de picole aqui em luanda angola e aqui usa-se mais sabores em po como coco banana chocolate abacate morango,etc a base de leite ou agua e gostaria que me ajudasse com algumas receitas porq estou adquirindo uma maquina com produçao de 150 picoles- hora ecom 3 carrinhos para venda por tanto agradecia que me ajudasse com receitasagradecia - 09/01/2014 19:15:37

Francisco Gregório da Silva - Gostei muito da sua historia foi com muita e perseverança que alcançou a vitória, estou aposentado e gostaria de entrar neste ramo atividade, o problema é que não entendo nada, gostaria muito de suas dicas para um iniciante como por ex: qual tipo de maquinas e marcas, matérias primas enfim tudo para um bom funcionamento, estou querendo trabalhar com carrinho com vendedores ambulantes de picolé neste caso tem alguma particularidade para tem problema com causa trabalhista. - 19/07/2013 08:26:09

Zeliane - Parabens pela sua historia de vida voce é um vencedor !!Gostaria que me enviasse orientacoes para fabricar sorvetes e picoles e onde encontro maquinas eprodutos, sou do Parana.Aguardo. - 23/02/2013 08:50:07

Leda Maria Freire Viana - Tenho pesquisado na internet sobre fabricação de sorvetees e picolés. Moro no interior do Estado do Rio , sou professora. Minha secretária, que trabalha já há 16 anos comigo está fazendo sorvetes em casa e vendendo. Vejo a vontade que ela tem de ter um negógio e resolvi ajudá-la. Queremos montar uma faábrica de sorvetes e picolés e a sua hístória me comoveu bastante. Primeiro porque Deus está nele e nós somos tementes a Ele e sabemos que nada sem Ele pode ser feito. Gostariamo que o Senhor nos enviasse receitas do basico para sorvetes e picoles cremoso e de frutas. Tinha escrito a nosso história mas não pode ter mais de 1000 caracteres. Abraço; Ana e Leda - 15/01/2013 15:19:54

Lo¿de - Que bela hist¿ria! Parab¿ns pra voce... Queria muito que algu¿m viesse me dizer que tenho um futuro promissor e que vou tirar o p¿ da lama... - 31/10/2012 17:24:09

Marcia Medeiros de Souza Oliveira - A parte que mais gostei foi que vc disse que um homem trazia uma mensagem de Deus e vc acreditou em Deus. Deus está em nosso lado nos momentos mais difíceis também. Estou te escrevendo esta mensagem chorando, pois moro de casa alugada faz 7 anos e sou doida pra ter minha casa e de pouco a pouco vou comprando as coisas, já comprei as ferragens. pro muro e dividi em 3x, mas a nossa renda é baixa e vou demorar muito pra construir meu sonho. Tô pensando em fazer picolé e sorvete pra vender, e vc me inspirou. Quero pelo menos ganhar mais pra realizar este sonho. Parabéns vc é m guerreiro. Faça o melhor pra Deus tb! - 23/10/2012 14:39:42

Veja todos os comentários

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.