Economizando água você também diminui as contas de casa

Além de fazer bem para o meio ambiente, a redução do desperdício ainda traz benefícios para o orçamento doméstico!

Desde julho de 2014, a região Sudeste sente na pele a situação grave da crise de água, a pior dos últimos 80 anos. O Sistema Cantareira, o responsável por suprir a demanda da grande São Paulo, utiliza o chamado volume morto, abaixo do considerado útil do reservatório, para alimentar as casas, empresas e indústrias. E existe a estimativa de que a recuperação da escassez só aconteça daqui 10 anos.

No dia a dia nem notamos a quantidade de água desperdiçada dentro de casa. Seja na hora de lavar a louça, tomar banho e até mesmo regar as plantas, a quantidade passa despercebida. Mas na hora de pagar a conta, é que vem o susto: a SABESP começou a aplicar a multa para quem ultrapassa a média de consumo, que vai de 40% até 100% do valor! A média que eles utilizam é a mesma conta no ano anterior. Por exemplo, se você tem uma conta de R$ 100 e gastou mais do que 20% da média, o valor vai subir para quase o dobro, explica o especialista em finanças e diretor geral da Konkero, Guilherme Prado.

“Se você mudou de apartamento ou nascimento de filhos, por exemplo, você precisa abrir um requerimento de justificativa para explicar esses acontecimentos. Não é preciso esperar a conta chegar”, alerta o especialista. Outra dica é ficar de olho nos encanamentos da residência: é melhor gastar um pouco a mais com um encanador, que pode arrumar os vazamentos, do que ter que pagar a multa de consumo.

Para quem mora em casa, o controle fica bem mais fácil: basta evitar o desperdício no banho, na louça, na limpeza da calçada e também no jardim. Já para os moradores de condomínios de prédios, vale conversar com o responsável pela administração do local para saber o que está sendo feito para não exceder o consumo de água. “O síndico comunica os moradores sobre a situação. Os moradores podem pedir a conta para acompanhar, além de se mobilizarem para economizar mais”, alerta Guilherme ressaltando a responsabilidade social que temos também em nossa comunidade.

E quando falamos de água, não podemos esquecer também da conta de luz: no Brasil, grande parte da energia elétrica vem de hidrelétricas, ou seja, é preciso água para poder gerar eletricidade. Na atual crise, o país importa energia das termoelétricas, que custam bem mais caro. Além disso, o governo aprovou uma proposta que vai multar quem gastar mais na conta. As chamadas “bandeiras tarifárias” são as cobranças extras de acordo com os custos de geração de energia por região. O custo de quem estiver na bandeira amarela é de R$ 2,50 por quilowatt-hora (KWh), e de R$ 5,50 na bandeira vermelha.

Economizar é uma atitude boa para o meio ambiente e também para o seu bolso! A estratégia do governo durante a crise hídrica inclui ainda um bônus para quem reduz o gasto: se você reduzir 20% do consumo, recebe 30% de desconto na conta; se ficar entre 15 e 20%, recebe 20% de desconto. Abaixo dos 15%, o bônus fica em 10%. Na ponta do lápis, significa que se você gasta R$ 100 mensalmente, o bônus de 30 % deixa o pagamento em R$ 70, o de 20% em R$ 80 e o de 10% em R$ 90.

Não pense na conta de um mês, pense na conta de um ano. Quem gasta R$ 60 e consegue economizar os 20%, acaba pagando R$ 42, mas em um ano são R$ 216 economizados. Você também pode convencer seus filhos a economizar argumentando que podem usar a grana guardada em passeios para a família

E já tem gente craque em economizar! A sócia e gerente dos restaurantes Fiore e Brado, em São Paulo, Anna Lu Fernandes dá dicas para reduzir o consumo de água em casa, principalmente na cozinha. Confira:

  • Quando for de lavar as louças, limpe e retire todos resíduos que restarem nos pratos e utensílios com um papel toalha, sem usar a água. Só depois ensaboe toda louça com a torneira fechada e enxague tudo de uma vez.
  • Não utilize mais detergente do que o necessário, pois além do desperdício do produto, o volume em excesso fará muito mais espuma e você terá que utilizar o dobro de água para enxaguar. Detergente de coco por exemplo, faz menos espuma que os demais, limpando da mesma forma.
  • Não descongele alimentos em água corrente. Além de não ser o procedimento correto, gasta muita água! O correto é tirar o alimento do freezer, colocar na geladeira para que ele vá descongelando aos poucos.
  • Substitua pratos e copos por descartáveis, se possível. Mas fique atenta ao custo: essa troca pode sair mais cara e não compensa para o meio ambiente.
  • A melhor forma de higienizar os alimentos sem utilizar tanta água, é não lavar legumes e verduras sob água corrente. O ideal é sempre deixar os vegetais de molho no “desinfetante” (produto especifico para higienização de legumes e verduras), dentro de uma bacia/saladeira grande. Sobrou água? Reutilize para regar plantas e até mesmo lavar a cozinha!

Leia também: Outras dicas espertas para economizar água

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s