(none)

Os problemas de visão que atingem os cães

Catarata, glaucoma e ceratite: saiba quais são os problemas de visão que atingem os bichinhos de estimação

Publicado em 19/05/2011

Elaine Moraes

Cão da raça lhasa

As doenças oculares podem ser congênitas, aparecerem com a velhice ou serem disparadas por um simples acidente
Foto: Dreamstime

Não importa a idade do seu animal, pois os problemas que atingem a visão sempre podem dar o ar da graça. E devem ser tratados no início para eliminar qualquer complicação. Levar o seu animal ao oftalmologista canino ajuda a manter tudo sob controle. Até os 2 anos, essa consulta deve acontecer ao menos uma vez. Assim você sabe se o filhote tem alguma predisposição a problemas como catarata e glaucoma e diminui os riscos de complicações futuras.

O oftalmo canino Luiz Felipe Moraes Barros, de São Paulo, tranquiliza: "Quando diagnosticadas logo no começo, as alterações oculares têm bons prognósticos. A ceratite tem cura e o glaucoma e a catarata são tratados com ótimos resultados". Saiba mais sobre cada uma dessas encrencas que afetam a cachorrada.

Ceratite

O que é: caracterizada por uma inflamação na córnea, sua origem pode ser um trauma, o mau posicionamento dos cílios ou uma fragilidade ocular. Ao notar o comprometimento, leve o animal imediatamente ao oftalmologista.

Tratamento: antibióticos orais ou em forma de colírio, que devem ser administrados, no mínimo, quatro vezes ao dia até a cicatrização. Lembre-se de que o cão não pode coçar o local. Segure as patas dele a caminho do atendimento. "As bactérias das unhas agravam a lesão. Sem contar que, coçando, ele pode perfurar os olhos", alerta Angélica Safatle, oftalmologista canino,  de São Paulo.

Raças com maior risco: aquelas com os olhos grandes, como o lhasa, o shi-tsu e o buldogue. Como a região ocular é maior, a lágrima evapora rápido, diminuindo a proteção natural.

Glaucoma

O que é: nessa doença, que ainda não tem cura, a pressão intraocular fica elevada. Devagar, vai causando a morte das células do nervo óptico, levando à cegueira. A idade contribui para o aparecimento do problema, que acaba surgindo entre os 4 ou 5 anos dependendo do cachorro.

Tratamento: se descoberta no início, a doença pode ser controlada com a aplicação intravenosa de um diurético que facilita a drenagem do líquido acumulado dentro do globo ocular, ajudando a aliviar a pressão. Além disso, colírios hipotensores deverão ser usados por toda a vida.

Raças com maior risco: cocker, sharpei, basset, basset hound, beagle, samoieda e husky, por uma questão genética.

Catarata

O que é: outra doença silenciosa que, nos cachorros, chega tanto na juventude como na velhice (acima dos 9 anos). O cristalino, lente interna dos olhos, fica opaco e não deixa que a luz chegue à retina. Por isso, o animal não enxerga.

Tratamento: "A cirurgia é o melhor meio de correção, pois retira o cristalino opaco", diz Barros.

Raças com maior risco: poodle, cocker, schnauzer, yorkshire e lhasa.

O que você deve observar:

· Alteração na coloração dos olhos

· Olhos vermelhos e irritados

· Secreção ou lacrimejamento

· Piscadelas frequentes ou o hábito de viver de pálpebras cerradas

Investigação a toda prova

O ideal é que, de tempos em tempos, um oftalmologista veterinário examine a estrutura ocular, a produção lacrimal, a medida da pressão intraocular e o fundo dos olhos, onde fica a retina. O primeiro exame deve ser realizado antes dos 2 anos porque assim o dono fica sabendo se o animal tem algum problema que poderá ser passado aos seus filhotes caso ele procrie. A partir dos 10 anos, a frequência dos exames deve ser anual mesmo que não haja sintomas de encrenca.
 

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.