Projeto fotográfico celebra a beleza das mulheres gordas

A artista responsável, Substantia Jones, vê na fotografia uma maneira de subverter a cultura do ódio.

Quando trabalhava introduzindo shows musicais, a fotógrafa Substantia Jones conseguiu perceber algo chocante: o público fica mais empolgado com as apresentações quando a aparência dos músicos corresponde a padrões tradicionais de beleza. “Isso independe dos seus talentos musicais. É desanimador, mas é da natureza humana, eu imagino”, opina ela, em entrevista ao Refinery29.

Entender isso foi essencial para que ela criasse o “Adipositivity Project“, galeria com imagens que mostram a beleza, a força e acima de tudo a sensualidade dos corpos gordos. O nome vem da junção entre as palavras “adiposo” (referente à gordura) e “positividade”, em inglês.

I wish I could say I always feel as majestic as this photo makes me look, but I don't. And I think it'd be some straight up fuckshit for me to imply anything else. I'm still the same hot headed, scatter brained, sometimes ditzy, always awkward person. Just today I got into a verbal sparring match with someone I love and trust me, I was fully prepared to verbally castrate a bitch. Frankly, my verbal sparring matches are a HUGE part of why I meditate- because the heat of my temper could strip the grease off a cast iron skillet. That's one of the great ironies of the yoga world- asana makes us look so "majestic" and beautiful on the outside only to be messy as hell on the inside. But actually, that's probably the majesty. And that's probably the beauty, too. I don't see any sense in trying to cover up the messiness. It's always there, whether you want it or not. 📸by my love Substantia Jones of the #AdipositivityProject. I'm proud to be an adiposer.

A post shared by Jessamyn (@mynameisjessamyn) on

Além da percepção sobre os shows, foi também a forma como a fotógrafa era tratada por um antigo namorado que a influenciou nesta criação. “Ele não apreciava o meu corpo na forma como eu sei que posso ser apreciada”, conta.

Com corpos gordos, nus e sem nenhum retoque no Photoshop, a ideia de Jones com seu projeto é pegar um artefato usado pela mídia para impor o padrão de beleza, a fotografia, e usá-lo para algo subversivo. Segundo ela, o Adipositivity tem “uma parte gorda, uma parte feminista e uma parte ‘vá se f*der'”.

Desde 2007, o site já recebeu mais de 10 milhões de visitantes. “O que começou como um blog de fotos minhas e de alguns outros cresceu, e se tornou maior do que eu jamais poderia imaginar. Nos últimos anos, dei palestras sobre meu trabalho em faculdades e universidades”, comemora ela. “É comum eu ficar sabendo que terapeutas especializados em distúrbios alimentares usam minhas imagens em suas sessões”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s