Suplementos sob medida para a mulher

Formulados especialmente para nós, eles prometem silhueta magra, curvas definidas e pele mais firme. Será? Fomos investigar!

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 26/06/2014 em

Boa Forma

um conteúdo de

Suplementos sob medida para a mulher
Reportagem: Thaís Cavalheiro - Edição: MdeMulher

Não importa qual é o seu objetivo, há um suplemento para específico para ele
Foto: Thinkstock

Se você é fã de academia, na certa já ficou tentada a investir em um produto destinado a melhorar o resultado do treino e ajudar na conquista do corpo dos sonhos - bem delineado, durinho e com tudo no lugar. E ainda mais atraentes essas fórmulas parecem se contiverem substâncias adequadas ao organismo da mulher. 
 
Basta uma visita a uma loja especializada e lá estão elas, em número cada vez maior, piscando para você, em embalagens com sutil toque feminino, de cor ou formato. Com tantas ofertas, surge a dúvida: fazem mesmo a diferença ou não passam de marketing? Experts têm uma resposta na ponta da língua: esses suplementos têm nutrientes e ativos em dosagem adequada à nossa necessidade. Faz sentido. Metabolismos com ritmos diversos, como são o do homem e o da mulher, têm necessidades também diferentes. 
 
Ainda há poucos estudos comprovando que os produtos formulados sob medida para nós surtem os efeitos prometidos. De concreto mesmo, só a observação dos profissionais nos consultórios. Assim, baseados na própria experiência, especialistas em atividade física e alimentação saudável põem fé na eficácia de muitos deles. Associados à atividade física, afirmam, os resultados costumam aparecer após cerca de dois meses de consumo regular. Mas fazem suas ressalvas e alertam: os suplementos devem ser consumidos com orientação.
 

Para ganhar músculos

A base do suplemento que faz o músculo crescer e aparecer é a whey protein, uma proteína extraída do soro do leite, de alta digestibilidade, que ajuda a reparar o desgaste muscular provocado pelo treino. Algumas marcas são acrescidas de BCAA, aminoácidos que atendem pelos nomes de leucina, valina e isoleucina. Abundantes nas carnes, esses "tijolos" que formam as proteínas não são produzidos pelo organismo. Estudos sugerem que esse tipo de suplemento favorece a produção de serotonina no cérebro, reduzindo os sintomas de fadiga relacionados ao exercício. As fórmulas para a mulher incluem nutrientes importantes para os ossos, como vitamina D e cálcio. Embora a osteoporose seja mais comum a partir dos 45 anos, aos 35 a perda de massa óssea começa a ocorrer naturalmente. Então, quanto mais cedo você investir numa espécie de poupança óssea, mais reserva terá para afastar a doença. Já os ácidos graxos essenciais, como os ômegas 3 e 6, contidos em alguns produtos ajudam a controlar processos inflamatórios associados à obesidade.
 
A palavra dos experts
 
"A adição de nutrientes à proteína é bem-vinda", diz Veronica Lucena Mendes, pós-graduanda em nutrição funcional, de São Paulo. Mas ela faz uma ressalva: "Mais importante do que um suplemento específico para a mulher, é uma whey protein de boa qualidade". Para saber isso, leia o rótulo antes de comprar. "Os bons produtos têm pelo menos 80% de proteína e cerca de 5 gramas de BCAA por porção", explica a especialista, acrescentando: "Prefira a hidrolisada, que é mais bem absorvida pelo organismo, e verifique se ela encabeça a lista de ingredientes, o que indica que a substância é a mais importante na composição do suplemento". 
 
Uma dose de whey fornece cerca de 100 calorias, mas dá saciedade e se encaixa bem nos lanches entre as refeições. O ponto negativo é a presença de creatina em grande parte das fórmulas. A substância, eficaz no ganho de massa e de força, tem a retenção líquida como efeito adverso. "Isso é tudo o que uma mulher não quer", diz Veronica. Mulheres fisicamente ativas precisam consumir entre 1,5 e 2 gramas de proteína ao dia por quilo de peso, segundo o nutricionista esportivo Rodolfo Peres, de São Paulo. Faça a conta: se você pesa 60 quilos e treina regularmente, vai precisar de 90 a 120 gramas de proteína por dia. Uma porção de 100 gramas de carne vermelha fornece 20 gramas. "Então, o suplemento, em conjunto com o consumo de carnes e ovos, pode ajudar a complementar essa cota", diz. O aproveitamento é total? "Isso vai depender de fatores como digestão, saúde intestinal e tipo de whey", responde Veronica. Ela recomenda o consumo de alimentos ricos em fibras (vegetais e grãos integrais) para garantir o bom funcionamento do intestino. "Isso facilita a absorção de proteínas e, consequentemente, o ganho de massa magra. 
 
Fernanda Furmankiewicz, nutricionista da rede de academias Companhia Athletica, também aprova o suplemento, mas faz um alerta: "O resultado não é tão bom sem atividade física regular e sem um cardápio rico em nutrientes". Os ômegas, célebres por ajudar no equilíbrio hormonal, são o plus de algumas marcas. Já para tirar proveito do BCAA, a nutricionista Cynthia Antonaccio, da Equilibrium Consultoria em Saúde e Nutrição, em São Paulo, recomenda: "Como qualquer outro suplemento, seu uso deve ser feito apenas em algumas fases do treinamento e prescrito por um nutricionista". Ingerido aleatoriamente, pode acarretar problemas renais e hepáticos no futuro.
 
Quando consumir 
 
A recomendação é ingerir o suplemento de proteína de 30 minutos a uma hora após o treino, quando os músculos mais precisam de um help para se regenerar. 
 

Para queimar gordura

Aqui, as estrelas são as substâncias estimulantes como cafeína e o óleo de cártamo. Elas aceleram o metabolismo ao elevar os batimentos cardíacos e agem nas células do tecido adiposo. A concentração desses princípios ativos leva em conta o metabolismo e os mecanismos que regem a fome e a saciedade específicas da mulher. 
 
A palavra dos experts 
 
"Os ativos agem da mesma forma em ambos os sexos", diz Fúlvia G. Hazarabedian, nutricionista especializada em fisiologia do exercício. "Mas, como atuam na gordura localizada, fazem efeito em regiões diferentes - nas mulheres, a perda se dá sobretudo nos quadris, exatamente onde acumulamos mais gordura." Alguns compostos, como os extraídos da planta Carthamus tinctorius, ou óleo de cártamo, prometem acelerar essa perda também na região da cintura, além de ajudar a produzir substâncias anti-inflamatórias e prevenir a celulite. Em outras palavras, o ativo, ao reduzir a quantidade de gordura, é capaz de amenizar o detestado aspecto de casca de laranja que atormenta todas as mortais. Outro benefício: com menos gordura estocada, os músculos ficam mais aparentes e o corpo mais bonito. "Atribui-se ao óleo de cártamo o poder de retirar as gorduras da corrente sanguínea e de transportá-las para os adipócitos, ou células de gordura", explica Fúlvia. "O organismo, então, usaria essa gordura estocada como combustível, o que contribuiria para a sua eliminação", completa. 
 
Outros ativos, como a cafeína, prometem quebrar as moléculas de gordura, transformando-as em ácidos graxos livres que cairiam na corrente sanguínea e depois seriam eliminados. "Mas são os exercícios que potencializam o efeito do ativo na redução da gordura corporal. Sem eles e sem uma alimentação adequada, os resultados só com suplementos são muito pequenos", fala Fúlvia. Suas propriedades anti-inflamatórias e drenantes também favorecem o combate à celulite. Sem contar que a cafeína dá saciedade e tem efeito diurético, o que diminui o inchaço. A nutricionista Cynthia Antonaccio cita estudos sobre o efeito da substância na atividade física: "Eles sugerem que para quem faz exercícios a substância ajuda a reduzir a percepção do esforço, pois modifica o limiar da dor, e isso melhora a performance". 
 
É preciso tomar certos cuidados quando se trata de estimulantes. A médica nutróloga e ortomolecular Liliane Oppermann, que também é diretora de Comunicação da Associação Médica Brasileira de Oxidologia (Ambo), adverte: "Substâncias que queimam gordura podem desencadear efeitos colaterais, como insônia, ansiedade, palpitações e arritmias cardíacas, aumento da pressão arterial, tontura e náusea". Por isso, não consuma sem supervisão médica, principalmente se você for hipertensa ou tiver doença cardiovascular. Segundo ela, suplementos manipulados são mais indicados do que os prontos para o consumo. "São como roupas feitas sob medida na costureira", compara. 
 
Quando consumir 
 
Esses suplementos só devem ser ingeridos com supervisão de um médico ou nutricionista e são mais indicados antes do exercício ou de uma das refeições principais. Não devem ser tomados à noite, pois provocam insônia. 
 

Para firmar a pele

Colágeno, proteína que forma e sustenta as fibras da pele, é a matéria-prima básica para afastar as rugas, firmar a pele do corpo e do rosto, tornar o cabelo mais brilhante, fortalecer as unhas e proteger as articulações. De quebra, seus aminoácidos também ajudam a construir músculos. Se ingerido antes da refeição principal, o produto pode até afastar a fome. Embora nosso organismo produza essa proteína, a partir dos 30 anos começa a ocorrer uma perda de 1% ao ano. Aos 50, o organismo só fabrica cerca de 35% do colágeno de que precisamos. Embora a carne vermelha seja uma boa fonte, apenas a alimentação não consegue fornecer a quantidade de colágeno necessária ao nosso organismo. 
 
A palavra dos experts 
 
"O colágeno em pó hidrolisado é a melhor forma para o consumo, pois a quebra das moléculas de proteína facilita a absorção pelo organismo", diz a nutricionista Cynthia Antonaccio, acrescentando: "A formulação em pó possibilita uma assimilação de mais de 90%". Embora não apresente contraindicação, não tome mais do que 10 gramas por dia (essa é a quantidade recomendada do suplemento para que a gente produza os 2 gramas necessários, já que não conseguimos absorver toda a proteína que ingerimos). Além de não aumentar o benefício, o excesso proteico pode sobrecarregar os rins, sem contar as calorias. "São 35 em 10 gramas, mas se o suplemento for consumido sem controle e a dieta for rica em calorias, pode haver ganho de peso", alerta Cynthia. 
 
Cheque o rótulo e verifique se o colágeno é puro. Se tiver maltodextrina, não é tão puro assim e, provavelmente, esse carboidrato vem em maior quantidade do que o próprio colágeno. A versão em bala também é eficaz. Estudo realizado pelo Instituto de Bioengenharia da Pele da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, mostra que essa apresentação aumenta em até 77% a proteção antioxidante e estimula mais de cinco vezes a produção de colágeno. Para aumentar a síntese dele, consuma alimentos ricos nas vitaminas C (limão, melão, acerola) e E (castanhas, azeite de oliva), além dos minerais selênio e zinco (amêndoa, castanha-do-pará, peixes). 
 
A esta altura, você deve estar se perguntando: posso tomar os três tipos de suplemento? Pode, mas, para tirar o melhor proveito de cada um deles, observe os horários mais indicados. Veja também se a relação custo e benefício é vantajosa. E não deixe de procurar um nutrólogo ou um nutricionista especializado em atividade física. São eles os profissionais mais indicados para orientar a sua escolha. 
 
Quando consumir 
 
Tome o suplemento antes de dormir, pois durante o sono o organismo tira mais proveito do colágeno.