Perdi 11 kg com a dieta do iogurte

Além de diminuir a fome e a vontade de comer doces, ele ajuda a deixar a pele e os cabelos mais bonitos!

Passei a ter consciência de que comer 
não deve ser um hobby na vida. Com o 
tempo, a diferença vem na balança.
Foto: Leo Caldas

Sempre tive um corpo de dar inveja. Um belo dia, ao me olhar no espelho, me deparei com a visão do inferno: eu, com 1,57 m e 64 kg! Que horror! Para emagrecer, eu teria que deixar de lado meu passatempo predileto: devorar besteiras. ”Nunca mais poderei comer doces?”, me perguntei, em desespero. A sorte foi que, ao sair para minha primeira compra light, vi algo delicioso que eu poderia comer tranquilamente: o iogurte natural. Foi o que me salvou!

Meu companheiro número 1!

No começo, pensei que o iogurte só me fizesse bem por suprir aquela vontade incontrolável de comer doce. Eu tomava todos os dias, no lanche da tarde e na ceia, com adoçante. Uma delícia. Mas, com o tempo, descobri que sua contribuição ia muito além. Ele ajuda na reconstrução da pele, unhas e cabelos, além de fornecer nutrientes e saciar a fome. Foi meu companheiro número 1!

Já no primeiro mês e meio perdi 7 kg. Aí, veio a parte mais tensa. Sempre ouvi as pessoas dizerem que os últimos quilos são os mais difíceis de sumir. Pois é a pura verdade! Senti isso na pele. Então passei a fazer caminhadas e sequei mais 4 kg em mais um mês e meio. Andava 7 km por dia, de segunda a sábado.

Chutei o balde

Na adolescência, eu era a Olívia Palito. E olha que eu abusava, viu? Comia fritura, açúcar… Mesmo assim, tinha pernas grossas, barriga chapada, bumbum durinho… E logo depois que tive meu filho, fiquei ainda mais magra. Todo mundo comentava: ”Nossa, como a Rafaella ficou bem depois do neném, né? Até mais bonita”.

Mas, um ano depois, eu e meu ex-marido nos mudamos para Belém do Pará. Como era temporário, não tínhamos sequer fogão em casa. Logo cedo, em jejum mesmo, eu já encarava um pastelão na barraquinha que ficava ali perto. Almoçava aquela pratada gostosa, com várias carnes gordurosas. E o refrigerante acompanhava: um litro e meio em cada refeição! À noite, pra fechar, mandava ver mais refrigerante com dois hambúrgueres supercompletos.

Engordei muito

Não preciso nem falar no que deu, né? Em 20 dias, cheguei aos 64 kg. ”Nossa, Rafa, que mudança… Tá cheinha, hein?” Não aguentava mais escutar isso! Ainda mais porque nunca tive esse problema. Para o meu ex-marido estava tudo ótimo, sempre: “Tá gorda, não. Tá linda”. Só quando resolvi me cuidar é que ele revelou o verdadeiro motivo dos elogios: “Ah, Rafa, vou ficar gordo sozinho?”. Mas ele emagreceu comigo.

Carnaval 2010

Ai, que delícia! Afinal, eu já estava no manequim 40 e voltei para o 36. Passei a ter consciência de que comer não deve ser um hobby na vida. Existem outras opções pra isso: sair para dançar, passear… Com o tempo, a diferença vem na balança. Pensei que teria de sacrificar meu Carnaval deste ano, mas, graças à minha dieta do iogurte, vou curtir e desfrutar meu corpinho de volta!

Iogurte estimula queima de gordura

O iogurte natural nada mais é do que o leite sob a ação de duas bactérias específicas: o lactobacilo e o estreptococo. Elas consomem toda a lactose e liberam o ácido lático, substância responsável por coalhar o leite. Assim, apesar de preservar as vitaminas e minerais do leite, o iogurte fica muito mais leve e de fácil digestão. 

Segundo a nutricionista Fernanda Machado, do Rio de Janeiro, entre os benefícios do iogurte está a liberação da serotonina, substância responsável pela sensação de prazer. ”Assim, ele diminui a fome, a ansiedade e aquela vontade incontrolável de comer doces fora de hora. Isso ocorre porque o iogurte é rico em vitaminas do complexo B, que melhoram a absorção dos nutrientes e regulam o trânsito intestinal, deixando pele, unhas e cabelos com aspecto muito mais saudável e bonito”, explica a especialista. 

O cálcio presente no iogurte (cerca de 120 g em cada 100 ml do produto) é excelente para os ossos e também ajuda a emagrecer. ”É um dos protagonistas da respiração celular. Ou seja, ele aumenta a produção de energia do corpo, acelera o metabolismo e, consequentemente, a queima de gorduras” diz. 

São encontrados muitos tipos de iogurte nas prateleiras dos supermercados. Mas, se sua intenção é sumir com aqueles quilinhos que incomodam, fique atenta! A nutricionista explica que, embora todos sejam igualmente saborosos e nutritivos, o recomendável é optar por aqueles que possuem baixo teor de gordura: o desnatado, o ”0 %” (isento de gordura), o light (baixo teor de açúcar e gordura) e o tipo ”Activia” (enriquecido com nutrientes probióticos que estimulam e auxiliam ainda mais o trânsito intestinal). Agora é só escolher o tipo de iogurte mais adequado ao seu paladar e aos seus objetivos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s