Dieta dos alimentos vermelhos diminui o inchaço, reduz a fome e têm poucas calorias

"Gritaram: sai do meio da rua, sua gorda ridícula! Ser humilhada daquele jeito era demais para mim! Percebi que não podia mais continuar pesando 93 kg", conta Alana Alonso

Atualizado em 19/07/2012

Ricardo Régener- Dona da história: Alana Alonso, 30 anos, gerente de relacionamento, Campinas, SP

Conteúdo SOU MAIS EU!

Alana Alonso foi dos 93 kg para os 66 kg
Foto: Alan Teixeira / Arquivo pessoal

Tudo na minha vida aconteceu muito cedo. Trabalho desde os 14 anos, sou casada desde os 15 e tenho filho para cuidar desde os 16. Por causa dessa rotina puxada, me descuidei da saúde e da alimentação e minha obesidade também foi precoce. Na adolescência, já pesava 75 kg! Aí, as situações vexatórias foram se acumulando na minha vida. Na última delas, no ano passado, eu estava passeando de bicicleta na rua quando umas garotas passaram de carro e gritaram: “Gritaram: sai do meio da rua, sua gorda ridícula!”. Ser humilhada daquele jeito era demais para mim! Percebi que não podia mais continuar daquele jeito.

Usava calças desabotoadas!
Gastei muitos anos fazendo dietas malucas e tomando remédios para tentar perder peso. Foi inútil. Graças à minha jornada tripla - trabalho, estudos e família -, fui me acostumando a fazer refeições mais práticas e pouco saudáveis. Na hora de comer, escolhia sempre o mais rápido. De manhã, tomava só um cafezinho. À tarde, comia pão, bolacha, bolo, um salgadinho.... No almoço e no jantar, só fritura. Nunca cheguei a ser compulsiva por comida, mas os muitos anos de hábitos alimentares ruins tiveram um efeito devastador sobre o meu corpo. Comecei a engordar aos 17 anos e fui subindo sem parar. Aos 25, logo após o parto da minha segunda filha, bati nos 85 kg. E continuei ganhando peso. Em janeiro do ano passado, atingi os 93 kg. Aí, não tinha roupa que entrasse em mim! Cheguei a usar as calças desabotoadas...

Alana ficou linda e saiu na capa da SOU MAIS EU!
Foto: Reprodução da revista SOU MAIS EU!

Até minha filha me achava grande
Sempre tive um maridão. Apesar de ser magro, ele nunca me pressionou nem me criticou por eu estar acima do peso. Já minha filhinha pequena era muito sincera... “A mamãe é grande”, ela dizia. Mas nada me abalou tanto quanto ser chamada de “gorda ridícula” naquele dia do passeio de bicicleta. Depois de chorar muito, reuni forças para assumir uma postura radical na minha vida. Decidi encarar uma dieta a sério. Sempre fui muito esforçada e não ia perder essa luta para mim mesma! Por sorte, nessa época, janeiro de 2011, reencontrei uma grande amiga que não via há uns dez meses. Ela estava linda. Muito mais magra do que da última vez que tínhamos nos visto. Perguntei qual era o segredo da mudança. Ela disse que tinha entrado para o grupo Vigilantes do Peso. Também aderi ao programa e pude montar meu próprio cardápio com alimentos saudáveis e emagrecedores. Comecei fazendo substituições simples. No café da manhã, troquei o pão francês pelo integral e a margarina pelo requeijão light. No almoço, passei a fazer o arroz com bem menos óleo. Em vez de fritar batatas e nuggets, comecei a assá-los. Ainda substituí o bife frito pelo grelhado e o refrigerante pelo suco natural. Mas o grande segredo da minha dieta foi consumir alimentos vermelhos nos intervalos entre as refeições. Passei a comer muito morango, goiaba vermelha, melancia e tomate. Pesquisando na internet, descobri que essas frutas são pouquíssimo calóricas e têm muitas propriedades emagrecedoras.

Agora o maridão ficou ciumento!
Funcionou! Um mês e meio depois, já tinha perdido 8 kg. Ainda não era o corpinho que eu queria, mas as calças fechavam melhor e eu até já conseguia usar blusas mais justinhas. Foi a motivação de que eu precisava para manter minha luta nos meses seguintes.Mais disposta, comecei a correr três vezes por semana. Aí, não deu outra: após 11 meses de dieta, perdi 27 kg e cheguei aos 66 kg! Meu Deus, virei outra mulher! Ganhei um rosto mais fino e uma cinturinha modelada. Já pude até desfilar de biquíni na praia! E agora o maridão ficou ciumento, acredita?! Não gosta que eu use roupa justa. Que delícia!

A substância que deixa os alimentos vermelham é uma poderosa emagrecedora
Foto: Getty Images

O poder vermelho

O licopeno é a substância natural que dá a cor avermelhada à maior parte dos alimentos vermelhos. Mas ele não é apenas um corante natural: o licopeno combate os radicais livres, substâncias que intoxicam o corpo e desregulam o funcionamento do organismo, prejudicando o metabolismo, a renovação celular e dificultando o emagrecimento.

Conheça o cardápio de Alana Alonso
 

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Camila Nascimento - Ficou linda de bonita....Parabens! - 02/08/2012 15:38:54

Cristiano - Trabalhamos com medicamentos em geral: Roacutan, VICTOZA, Sibutramina, Desobesi-M, Dualid, Moderine, Fagolipo, Diazepam... entre outros! Para mais informações entre em contato através do e-mail: medicamentosonline@live.com - 26/07/2012 12:21:26

Luara - comecei a seguir as dicas dos alimentos vermelhos e ainda reforcei com umas cápsulas de licopeno que comprei (são baratas, paguei 33 reais e comprei no site da lojadojardim.com ) - incrível, mas está dando certo! estão tão feliz que resolvi compartilhar a dica. bjssssssssssssss - 24/07/2012 17:11:18

monica - estou em baixa comigo mesmo tenho 1,60 estou com 85 kilos nao aguento mas parar de comer me ajudem por favor - 23/07/2012 11:46:02

tatiana - ficou linda. - 21/07/2012 13:21:09

NELMA RIBEIRO - amei esses artigos!. gostaria de receber sempre informa¿¿es. Nelma - 19/07/2012 14:03:51

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.