Ômega 3: o óleo que tira a fome

Entenda como a substância vai ajudá-la a emagrecer e conheça os alimentos que devem ser incorporados à sua dieta

Publicado em 01/02/2011

Fabrício Pellegrino

Conteúdo VIVA!MAIS

Perca a fome - e alguns quilos - ao incluir no seu cardápio o ômega 3
Foto: Thinkstock

Você come e nunca está saciada. Estranho? Nem tanto. Segundo pesquisa realizada pelo nutricionista Dennys Cintra, uma dieta pobre em nutrientes promove alterações nocivas ao organismo. Entre elas, uma que para de enviar ao cérebro mensagens de satisfação depois de se empanturrar. Conclusão: você come mais e engorda! O que fazer? Apostar em alimentos com o óleo ômega 3 em sua composição.

O principal benefício deles é fazer o cérebro voltar a entender quando o organismo está satisfeito, controlando o apetite. Aí, a matemática fica fácil: você come menos e seca. Conheça melhor a dinâmica que a ajudará a emagrecer e descubra os alimentos indicados para tirar proveito dos efeitos do ômega 3.

 

Inclua em seu cardápio alimentos ricos em ômega 3 e potencialize sua dieta
Foto: Camila Fontana

Conheça os alimentos ricos em ômega 3 e saiba  como consumí-los

Ariane Pereira, nutricionista da Naturalis Nutrição & Farma, mostra quais são as principais fontes do óleo e ensina como ingeri-las para conquistar seus benefícios:

 

Peixes
Os que vivem em águas profundas e frias - como atum, salmão, cavala e arenque - são os mais ricos em ômega 3.
Como consumir: Entre 120 g e 150 g, de duas a três vezes por semana. Prepare o peixe assado, cozido ou grelhado.


Linhaça
De preferência, use a farinha do produto, que já vem moída e estabilizada. Caso prefira ingerir as sementes, triture-as no liquidificador ou processador para melhor aproveitamento de seus nutrientes. Nesse caso, para evitar a oxidação da linhaça, ela deve ser consumida na hora.
Como consumir: Ingerir de uma a duas colheres (sopa) diariamente. Polvilhar sobre saladas de folhas ou de frutas, bater com sucos, vitaminas e iogurtes ou misturar nas refeições, até mesmo nas comidas salgadas.

 

Óleo de canola
Como consumir:
Recomenda-se utilizar uma colher (sopa) do óleo de canola na preparação dos alimentos. No entanto, não é indicado para frituras, pois em altas temperaturas pode ocorrer saturação e, consequentemente, a perda de propriedades

 

Cápsula de óleo de peixe
Como consumir:
Em média, duas cápsulas ao dia, 20 minutos antes das principais refeições. Quem tem facilidade para sentir o gosto característico do peixe e não gosta do sabor, pode tomar a cápsula imediatamente antes das refeições.

 

Óleo de linhaça em cápsula ou a granel
Como consumir:
- Cápsula: duas ao dia, antes das principais refeições.
- A granel: diariamente, despeje uma colher (sopa) em saladas de folhas. O aumento da temperatura - assim como no caso do óleo de canola - pode levar à saturação das propriedades do produto. Por isso, esse óleo é indicado principalmente para preparações frias.

 

Rica em ômega 3, a sardinha é uma opção barata
Foto: Dreamstime

 

Poderosa sardinha!

Entre todos os alimentos fontes de ômega 3, a sardinha, com toda a sua simplicidade, é a grande campeã. Mas e os tais peixes de águas gélidas e profundas? Sim, eles também carregam uma boa dose do óleo. Afinal, para suportarem as baixíssimas temperaturas, criam um isolante térmico formado por gordura constituída de ômega 3. Porém, quem degusta com prazer os olhos ou o fígado de um salmão, arenque, atum ou cavala? E, segundo o nutricionista Dennys Cintra, é justamente nessas áreas dos aquáticos que se encontra a substância que tanto nos interessa. Agora, se o peixe em questão for uma sardinha, enlatada ou não, ninguém resistirá à ideia de devorá-la por inteiro a qualquer hora.

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.