Conheça os benefícios emagrecedores do limão
Lígia Bazotti. Dona da história: Gabriela Marinho Barreto, 26 anos, São Paulo, SP

Gabriela foi dos 128 kg para os 76 kg
Foto: Luis Prado / Arquivo pessoal

"Eu me preparava havia quatro meses para realizar um grande sonho: fazer a gastroplastia, a famosa cirurgia de redução do estômago, em 2009. Já havia realizado uma bateria de exames, estava sob acompanhamento psicológico e tinha emagrecido 10 kg para encarar a operação. Estava na última consulta com a psicóloga quando contei que a minha menstruação estava atrasada. Em duas horas, fiz o teste de gravidez. Resultado: positivo. Meu mundo desabou!

Ser mãe era um sonho, mas ali, naquela situação, foi como sentir uma bomba caindo sobre mim. Primeiro, porque eu provavelmente teria uma gestação de risco, devido ao meu peso. E, segundo, porque eu estava quase na mesa de cirurgia para conquistar o sonho de ser magra.

Ganhei 20 kg

Sempre fui gordinha, mas na adolescência travei uma guerra contra o sobrepeso. Fazia todos os tipos de dieta e passava muitas horas sem me alimentar. E, claro, logo desistia dos cardápios radicais e voltava a comer tudo de novo.

Quando me casei, aos 20 anos, comecei a trabalhar fora e minha rotina alimentar ficou péssima. Comia besteiras o dia todo. Passei a sentir fraqueza. Essa vida refletiu no meu peso. Passei dos 85 kg para os 105 kg em dez meses!

Procurei um clínico geral e os exames constataram que eu estava com anemia ferropriva. Para tratá-la, tomei sulfato ferroso por seis meses. Curei a anemia, mas continuei acima do peso. E eu tinha culpa: recheava o prato com três conchas de feijão, bifes, linguiças, batatas ou ovos.

Como me sentia feia e nenhuma roupa me servia, entrei em depressão. Fiquei um ano sem querer sair de casa. Só chorava. E faltava ao trabalho com frequência. Até que fiz um acordo e fui demitida. A vontade de procurar outra ocupação era nula. Eu não me reconhecia no espelho. Não tinha alegria de viver.

Essa falta de ânimo causou uma crise no meu casamento. Ter relações sexuais com meu amor, então, nem pensar!

Em um ano, consegui vencer a depressão com minha própria força de vontade. Mas a obesidade só piorou. Dos meus 21 anos até os 25, ganhei outros 23 kg. Aí, já tinha plena certeza de que morreria gorda. A cirurgia de redução do estômago era a minha luz no fim do túnel. E eu estava disposta a arriscar! Mas não foi bem isso que o acaso reservou para mim.

Tive uma gestação bem difícil. Voltei aos 128 kg, tive pressão alta, inchaço, problemas na coluna e falta de ar. A partir do sétimo mês, já não aguentava o peso do meu corpo. Sentia dores no quadril e nos joelhos. Às vezes eles travavam e eu precisava de ajuda para não cair.

Meu bebê, o Matheus, nasceu em dezembro de 2009. Senti a felicidade infinita de ser mãe! Amamentei meu filho por apenas um mês porque meu leite secou. Aí, decidi cuidar de mim. Ou emagrecia por bem ou retomaria a ideia de me submeter àquela cirurgia.

 

Conheça os benefícios emagrecedores do limão

Gabriela ficou magérrima e saiu na capa da SOUMAISEU
Foto: Reprodução da Revista SOUMAISEU

 

Eu consegui!

Agendei uma consulta com o endocrinologista em março de 2010. Ele me passou um inibidor de apetite, que tomei por cinco meses, duas horas antes das principais refeições. Mas o segredo foi a reeducação alimentar. Com ela, aprendi que podia comer de tudo, mas na quantidade certa!

Restringi o consumo de frituras e deixei os doces para datas especiais. Também incluí os benefícios do limão nas minhas refeições. Sabia que ele era mais saudável do que outros temperos e fazia um bem danado à saúde. Acertei em cheio! Colocava a fruta na salada e bebia o suco todos os dias.

Em dois meses, eliminei 20 kg! Aí, comprei uma esteira e passei a caminhar 30 minutos por dia. Em oito meses, perdi 52 kg no total!

Quando me vejo magra, percebo que evitar a gastroplastia e todo o pós-operatório foi um presente de Deus. Agora quero fazer cirurgia plástica nas coxas, no abdômen e nas mamas, para tirar a flacidez."