Emagreci 40 quilos com a dieta do despertador

Fui dos 130 aos 90 quilos sem cirurgia. Fiz exercícios e estabeleci horários rígidos para me alimentar sempre e em pequenas porções

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 22/01/2009 em

Sou+Eu

um conteúdo de

Emagreci 40 quilos com a dieta do despertador
Marcela Delphino
Emagreci 40 quilos com a dieta do despertador

Tive muita disciplina. Só comia 
quando ouvia meu celular despertar
Foto: Bob Paulino

Toda turma de colégio tem um gordinho. Pois é, eu fui esse cara. Até que lidava bem com as brincadeiras. Cresci sem grilo de ir à praia sem camisa ou me esbaldar em um rodízio. Mas cheguei aos 30 anos com 130 quilos, e algo despertou em mim. Me dei conta de que só dependia de força de vontade pra melhorar meu estilo de vida e ter um corpo em forma.

Tudo começou com o fim do meu casamento. Eu fiquei muito triste e perdi o apetite. Quando vi, tinha emagrecido dez quilos sem perceber. Um dia, acordei decidido: ''Não vou mais sofrer por alguém que não me ama. Vou cuidar de mim''.

Na mesma semana me matriculei numa academia perto do trabalho e segui à risca o treino, de segunda a sábado. Saía às seis da tarde do escritório e ia direto à academia. Uma amiga, que é nutricionista, fez meu cardápio. Mesmo no domingo, quando não tinha treino e a comilança era liberada, eu me controlava à mesa e ainda fazia caminhadas.

Eu só comia quando meu celular despertava

Antes, meu prato não tinha nada de verde: era arroz, feijão, carne e batata frita. Com a dieta, além de comer salada, aprendi a apreciar o alimento, comer devagar, sentir o aroma. Outra coisa que não funciona é sair de casa sem tomar café, como eu costumava fazer. Pense bem, ninguém fica feliz com apenas dois pedaços de pizza se estiver com fome. Então, passei a fazer pequenas refeições ao longo do dia e fiz da dieta um jogo na minha vida. Coloquei meu celular para despertar nos horários em que eu precisava fazer as refeições. Não comia sem antes ouvir o bipe.

Para meu método funcionar, eu montava os kits das refeições assim que acordava, levava ao escritório e deixava na geladeira. Quando o celular apitava, eu fazia meu lanche. Nada de ficar beliscando.

Quero experimentar coisas novas

Em um ano cheguei aos 100 quilos e mantive esse peso por seis meses. Não porque eu tivesse deixado de emagrecer. Na verdade, eu estava trocando gordura por músculos. Comecei a fazer drenagem linfática e massagem modeladora três vezes por semana. Isso me ajudou a não ficar com pelancas.

Voltei a perder peso e cheguei aos 90 quilos. Minha meta é atingir os 85 quilos, pra fazer uma cirurgia de retirada da pele da barriga. Mas já me sinto bem melhor, não me canso tanto. Além disso, percebi que o interesse das mulheres por mim aumentava conforme eu emagrecia. Hoje minha auto-estima é bem diferente de quando eu era o gordinho da turma.

Às vezes, me sinto uma criança querendo experimentar coisas que antes não podia, sabe? Como ir a um parque de diversões sem me preocupar se o cinto de segurança vai fechar. Estou programando um pulo de paraquedas com os colegas.

Pra selar essa nova fase da minha vida, prometi aos meus amigos que, quando começasse a namorar, largaria o cigarro. Bom, não fumo há dois meses.