Erika Lust: a diretora feminista de filmes pornôs

Um dos maiores nomes na pornografia atualmente, a sueca fala, direto da Espanha, sobre a necessidade do olhar feminino nos filmes e seu novo trabalho.

Ângulos ginecológicos, mulheres objetificadas e fantasias masculinas em evidência. Estas são as regras que os filmes pornôs mais tradicionais precisam seguir para continuar atraindo o seu principal público: os homens. Cansada desse padrão, a cineasta sueca Erika Lust está tentando mudar esse cenário começando por um dos pontos principais: seus filmes são direcionados a mulheres. 

A primeira experiência de Erika com pornô ocorreu na adolescência e foi como a de muitas outras mulheres: a excitação acontece, mas o incômodo e o constrangimento também estão lá. “Eu me senti traída. As mulheres estavam sendo tratadas como objetos e como se não tivessem seus próprios desejos. Para mim isso parecia injusto, precisa mesmo ser daquele jeito?”, questiona a sueca.

Alguns anos depois, Erika encontrou uma forma de unir seus ideais feministas ao seu interesse por pornografia. “Foi quando eu estudava ciências políticas e gênero na faculdade e li “Hard Core”, um livro de Linda Williams, que abriu meus olhos sobre o pornô. Pude vê-lo como um discurso sobre sexualidade com alta influência em seus expectadores”, lembra.

Erika começou a se preocupar com a influência do pornô tradicional na relação das pessoas na vida real, principalmente em como os homens tratam as mulheres ou o que esperam delas na cama. “Gostando ou não, devemos admitir que a pornografia faz parte da nossa sociedade. Funciona como educação sexual não só para adultos, mas também para jovens que nunca fizeram sexo”, alerta Erika.

Foi o empurrão que ela precisava para deixar seu país natal e se mudar para Barcelona, na Espanha, com a missão de produzir filmes independentes quebrando os estereótipos de gênero pregados pela indústria tradicional.

Reprodução / Facebook Erika Lust

Reprodução / Facebook Erika Lust

Para testar a recepção das pessoas, Erika disponibilizou o seu primeiro filme, “The Good Girl”, para download gratuito na internet. Ele faz uma sátira daquele clichê dos filmes pornôs em que um entregador de pizza é um parceiro sexual em potencial. A protagonista do filme de Erika de fato transa com o seu entregador, mas o tempo todo é possível perceber que ela busca satisfazer a si mesma.

Resultado da experiência: 2 milhões de visualizações nos primeiros meses! Com o sucesso, Erika não parou mais. Logo seus filmes ganharam roteiros mais elaborados e produções ainda maiores. Ela se tornou um dos nomes mais comentados na indústria, principalmente por se intitular uma diretora feminista de filmes pornôs. Além do sexo mais realista na tela, ela tem como diferencial a fotografia de seus filmes, criando imagens fotograficamente mais bonitas.

Reprodução / Facebook Erika Lust Films

Reprodução / Facebook Erika Lust Films

Cena do curta “Rainha das Calcinhas”, de Erika Lust. Disponível no site XConfessions

Apesar de direcionar seus filmes para o público feminino, Erika conta que metade do público inscrito no XConfessions – site onde disponibiliza curtas e vende sua coleção de filmes – é composta por homens. Segundo ela, isso mostra o quanto a atuação sistemática dos filmes tradicionais pode acabar com o tesão de qualquer um.

“Meu público procura ver homens e mulheres de todas as formas e tamanhos, recebendo prazer numa relação igualitária, aproveitando sua liberdade sexual. Eles querem saber exatamente o que as mulheres querem, seus verdadeiros desejos e fantasias”, conta Erika. Como é possível desvendar tudo isso? No site de Erika, qualquer assinante pode postar seus fetiches mais íntimos para que a diretora escolha como tema dos roteiros.

Com essas histórias, o quinto volume da série de filmes XConfessions foi finalizado e tem previsão de venda em DVD no site para agosto. Segundo a diretora, as paisagens do norte da Espanha foram exploradas durante o verão europeu para que cenas deslumbrantes de sexo ao pôr do sol fossem criadas. 

Entre os curtas que compõe o novo trabalho, Erika destaca o seu primeiro filme sobre BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo).  

Reprodução / Facebook Erika Lust Films

Reprodução / Facebook Erika Lust Films

A diretora sueca já liberou uma preview do quinto volume de XConfessions, que começa a ser vendido em DVD em agosto!

Sempre ressaltando a importância de mostrar uma relação saudável e prazerosa para todos os envolvidos, Erika afirma: “Um filme sobre sexo pode ser sim positivo, alegre e igualitário! Assim como divertido de se assistir”.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s