Manicure trans faz unhas de graça para combater a transfobia

Tudo que a ativista britânica pede em troca é que as clientes estejam abertas a uma conversa sobre a realidade das pessoas trans

É praticamente impossível não ficar de bate-papo com a manicure enquanto as unhas são feitas E todo mundo gosta de coisas de graça. A manicure e ativista trans Charlie Craggs teve a sacada de criar uma iniciativa de combate à transfobia unindo essas duas verdades.

Leia também: Mitos sobre pessoas trans e travestis que precisam ser combatidos

Em seu salão pop-up Nail Transphobia, Charlie faz as unhas das clientes de graça, desde que elas estejam abertas a conversar sobre a realidade das pessoas trans.

Funciona assim: Charlie instala seu salão móvel em eventos, festivais, museus e qualquer outro lugar que esteja disposto a recebê-la – por enquanto, apenas no Reino Unido. A cada cliente que chega, ela fala sobre como é ser trans e tira as dúvidas que a pessoa possa ter a respeito do assunto. “Quero que as pessoas vão embora com mais do que unhas feitas, quero que elas vão embora como aliadas”, diz Charlie em seu site.

Was invited to bring my pop up salon to @lcclondon the other day and it was honestly one of my favourite events everrrrrrrr, I literally became best friends with half the people who came to get their nails done (and the boys at LCC are hella fine lol 💦💦) THANK YOU SO MUCH FOR MAKING THIS HAPPEN @theofficialned & @rosemarycronin ❤️❤️ if any other uni's wanna book me to bring my pop up salon to your campus and tackle transphobia / flirt with your male students hit me up at misscharliecraggs@gmail.com 💅💑 #nailtransphobia #lcc #ual #nails #nail #nailart #nailstagram #nailswag #trans #transgender #transgirl #transsexual #lgbt #lgbtq #transphobia #transactivist #activist #activism #fabulous #fabulousactivism #feminist #feminism

A post shared by Charlie Craggs (@charlie_craggs) on

Além de circular com o salão pop-up, Charlie apresenta workshops gratuitos para ajudar mulheres trans e pessoas não-binárias a passar pelo processo de transição e se amarem.

Tomara que iniciativas semelhantes se espalhem cada vez mais pelo mundo!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s