12 dicas para seu filho começar o ano escolar com o pé direito

Todo ano a sensação é a mesma: será que ele vai se adaptar? Vai conseguir manter as boas notas? Confira as dicas dos especialistas para ajudar no desempenho de seus filhos

Será que ele vai se adaptar? Fará amigos? Acompanhará a explicação dos professores? E as notas? Essas são apenas algumas das perguntas que os pais se fazem na volta às aulas. Mas saiba que, se algumas atitudes forem tomadas desde já, o perrengue no fim do ano pode ser evitado. Para a psicóloga Daniela Chagas, é fundamental que a família esteja presente sempre e mostre interesse na rotina escolar. A pedagoga Mariângela Chenta acrescenta que a educação da criança é um trabalho conjunto da escola e dos pais. Veja outras dicas por idade das especialistas:

Para crianças de até 10 anos

É a escola certa?

Cada uma tem um método de ensino e responde de maneira diferente às situações do dia a dia. Para não se frustrar, saiba se a metodologia adotada pelo colégio se enquadra no perfil da família. “Existem diversas linhas pedagógicas. Não tenha medo de perguntar qual é a da escola escolhida por vocês”, ensina Mariângela.

Entrando na rotina

Estabeleça horários e ordem para dormir e acordar, fazer as refeições, tomar banho, brincar… Tudo deve estar dentro de um cronograma. “Fique atenta com a hora de dormir. Noites em claro diminuem o rendimento no dia seguinte”, acrescenta a pedagoga.

Respeito com o colégio

Ensine a criança que muitas regras que precisam ser seguidas em casa também se aplicam à escola, como organização, higiene e cuidado com móveis e objetos.

Ele precisa de colinho

Os menorzinhos estão aprendendo a se comunicar e, por isso, ainda usam o choro para demonstrar os sentimentos. Não ignore seu filho caso isso aconteça. “A postura da escola e dos pais deve ser acolhedora. Atenção individualizada, às vezes, é necessária. Fique atenta e cobre isso da professora”, afirma Daniela.

Tal pai, tal filho

Mostrar que as obrigações fazem parte do dia a dia ajuda a diminuir a resistência da criança com relação à escola. Diga-lhe que, assim como os pais saem para trabalhar, ela também deve cumprir suas responsabilidades indo ao colégio.

A conversa prévia, em família, pode evitar os famosos escândalos no portão da escola

Sempre interessada

Procure saber, ao longo da semana, como a instituição trabalha e promove mudanças e adaptações. “Observe a reação da criança dia a dia e avalie a satisfação com relação à escola. Normalmente, a confiança nos professores aumenta com o passar dos dias. Você perceberá isso diante da alegria dela ao chegar e sair da escola”, conta Daniela.

Dos 11 anos em diante

O valor das coisas

Leve a criança junto na hora de comprar o material escolar. Esse é um bom momento para mostrar como aquilo é importante e custa bastante dinheiro. “Saber o preço de cada coisa ajuda seu filho a dar mais valor ao que tem”, diz Mariângela.

Sexo e drogas às claras

A falta de informação pode tornar seu filho alvo fácil de pessoas mal-intencionadas. Por isso, o melhor é falar abertamente sobre esses assuntos em casa, expondo os riscos do uso de drogas e do sexo desprotegido. “Além de ter as conversas com ele, verifique como a escola discute o tema com os alunos”, afirma a psicóloga Daniela.

Participação é tudo

Tão importante quanto o método de ensino é a maneira como a escola trabalha as relações pessoais. Frequentar as reuniões, conhecer os professores e saber o que eles pensam é fundamental para ter certeza de que seu filho está em boas mãos. “Bom aluno é, antes de tudo, um cidadão responsável”, pontua Daniela.

Computador na dose certa

Apesar de ser uma ótima fonte de pesquisa, o computador pode tornar-se um vilão na hora de estudar. Por isso, acompanhe seu filho durante as pesquisas na rede.

Fique por perto e mostre que está atenta. A oferta de jogos e outras atividades na internet pode tirar o foco dos adolescentes

Ajuda é sempre bem-vinda

Notas baixas são sinal de que algo não vai bem. Acompanhe os resultados de seu filho desde as primeiras avaliações. Procure identificar de onde vem o problema e pergunte aos professores como corrigi-lo a tempo.

De olho nas companhias

É fundamental saber com quem seu filho anda e observar o comportamento dos colegas dele. Se no ano passado o jovem teve atritos com alguém ou convivia com um aluno que era má influência, e os dois estão de novo na mesma sala, redobre a atenção. Se necessário, converse com a escola.

Os professores reclamam que seu filho não para quieto e tem dificuldade para se concentrar? Fique de olho: ele pode ter o chamado Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Detectar o problema logo no início do ano facilita o trabalho dos professores. Com o acúmulo do conteúdo ensinado, o quadro se agrava no segundo semestre. No fim do primeiro mês de aula, pergunte aos professores como o pequeno anda se comportando. Se houver muita reclamação, leve-o ao médico.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s