O que fazer para tornar a TV uma aliada das crianças
Reportagem: Fábio Mello e Suzana Lakatos - Edição: MdeMulher

As crianças não devem ver programas para adultos, principalmente novelas e telejornais
Foto: Getty Images

Quando o assunto é televisão e criança, logo vem à mente uma lista de mazelas que inclui de obesidade a consumismo, passando por erotização precoce e empobrecimento cultural. Motivos para essas associações existem, claro, mas, à medida que avançam as pesquisas sobre essa relação, conclui-se que ela pode ser benéfica. “Bem usada, a telinha já se provou capaz de contribuir para o desenvolvimento infantil, ampliando interesses e proporcionando descobertas”, pondera a produtora Beth Carmona. Mas o que significa usá-la bem? Confira algumas dicas e veja como transformar a programação da TV em uma aliada do desenvolvimento sadio de seu filho

Com o controle na mão

Uma das maiores autoridades mundiais sobre o tema, a psicóloga Dorothy Singer, pesquisadora sênior do Centro de Consultoria e Pesquisa sobre Família e Televisão da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, é taxativa ao afirmar que os pais não podem abrir mão do controle sobre a TV. “Por mais arbitrário que pareça, é o mesmo direito que você tem de proibir seu filho de brincar com uma faca”, compara a especialista. Esse cuidado é particularmente importante na idade pré-escolar.

Cronômetro ligado

O abuso de televisão tem sido associado a passividade excessiva, baixa capacidade de reflexão e dificuldade de concentração. “Os cortes súbitos e o ritmo acelerado criam um padrão de estimulação ao qual o cérebro se adapta e que, por comparação, faz com que a vida real pareça lenta e desinteressante”, explica a psicoterapeuta Ana Olmos,

Cada coisa a seu tempo

Quanto menor a criança, mais importante que o tempo diante da TV seja subdividido em períodos pequenos, para que ela possa digerir e processar o que assistiu. E nada de fazer lição, comer ou dormir diante da tela. “Oferecer uma rotina organizada e estável, em que as atividades não se sobreponham, favorece a percepção de que a vida contempla múltiplos interesses”, ensina a psicóloga Ana Bock.

Selecionados a dedo

Montar o mix de programas a que os pequenos vão ter acesso é tarefa dos pais. A criança deve ser consultada, mas cabe à família enriquecer essas escolhas com opções de qualidade. Dependendo da situação, vale bloquear a TV para canais e horários que a família considere inadequados.

Censurado

Todos os especialistas ouvidos para esta reportagem concordam que crianças não devem ver programas para adultos, principalmente novelas e telejornais. No caso das novelas, os pequenos têm dificuldades em acompanhar as tramas, repletas de intrigas, traições e apelos eróticos. O problema com os jornais é que os pequenos veem aquela sucessão de crimes e desastres e não conseguem discernir o que pode ou não acontecer com eles.