Não adianta brigar com a criança porque tirou notas ruins. Dar apoio é fundamental: diga que você confia em sua capacidade e que tem certeza de que ela vai conseguir melhorar!
Getty Images

Amor, carinho, proteção e ajuda na resolução de problemas geram segurança emocional para seu filho. Mas, se a dose for muito grande, ele ficará sufocado
Foto: Getty Images

Pesquisa da Universidade Macquerie, na Austrália, sugere que a proteção materna excessiva torna a criança insegura. A psicoterapeuta Sâmara Jorge (SP) indica o melhor caminho: deixe seu filho exercer a própria autonomia. Veja como...

Incentive a criança a fazer escolhas

Até mesmo as menorzinhas, a partir de 2 anos, podem tomar pequenas decisões, como eleger o brinquedo que querem levar para a casa da vovó. Você só supervisiona, ok?

Peça ajuda nas tarefas simples

Que tal convidar a criança para esticar os lençóis da cama ou recolher as roupas do varal com você? Ela se sentirá útil e confiante.

Não interfira na elaboração dos sentimentos

Se o pequeno está chateado com um colega, evite dizer o que ele deve fazer. Ouça a história e faça apontamentos sutis, que levem à reflexão. Assim, você o estimula a pensar numa saída.