Ideias para aproveitar melhor os momentos com os filhos

Garantir alguns minutos diários para brincar com os filhos traz recompensas que vão além da diversão, como maior afetividade. Veja algumas boas ideias para aproveitar esses momentos

Publicado em 24/08/2011

Suzana Lakatos e Fábio Mello

Mãe com filha

Quinze minutos por dia para se divertir com os filhos já fazem diferença
Foto: Getty Images

Brincar com os filhos fortalece o vínculo afetivo e rende deliciosos momentos de cumplicidade. O difícil é vencer o cansaço e a correria do dia a dia para garantir esse convívio. Pais que não brincam com os filhos perdem uma intimidade valiosa. "Tudo o que se passa com a criança transparece nas suas brincadeiras. É uma linguagem espontânea, à qual os pais devem ficar atentos", explica a psicóloga Vera Barros de Oliveira.

Mas vá com calma nas interpretações, pois as brincadeiras nem sempre refletem exatamente as vivências e os sentimentos da criança. O fato de sua filha pôr as bonecas em uma sala de aula e bancar a professora durona pode sinalizar tanto um sentimento de opressão na escola quanto a admiração pela figura poderosa da professora real. Já a falta de fantasia e iniciativa é um recado claro: a criança precisa aprender a brincar - e o incentivo dos pais é valioso.

Driblar a famosa falta de tempo pode ser mais fácil do que você imagina. "Quinze minutos por dia para se divertir com os filhos já fazem diferença", acredita a porfessora Maria Ângela Barbato. "O importante é que sejam momentos de entrega e dedicação exclusiva. Não adianta só fazer companhia enquanto assiste TV ou termina de ler um relatório. Também é fácil se divertir de modo espontâneo quando se consegue transformar em folia algumas situações do dia a dia, como o banho do bebê. Os maiores amam uma bagunça na cozinha enquanto ajudam a preparar uma receita, e o trajeto até a escola pode ganhar o tempero de adivinhas, jogos de palavras e cantorias.


Confira o que recomendam os especialistas para estimular a criançada a brincar mais e melhor.

Até 1 ano

É pelos sentidos que seu pequeno descobre o mundo e o próprio corpo. Brinque de fazer cócegas e caretas, cante com vozes diferentes, dance com ele no colo e dedilhe sobre o corpo dele simulando diferentes animais. O truque de esconder o rosto com uma fraldinha é sucesso garantido desde sempre. Até os 9 meses, seu filho estará sentando sem apoio e logo vai engatinhar, rolar, se arrastar... Prepare um cantinho seguro e confortável, no qual ele possa brincar sem riscos, e espalhe alguns brinquedos. Sente junto e divirta-se. Só não caia na tentação de facilitar demais o acesso a um brinquedo que esteja fora do alcance dele.

De 1 a 5 anos

No início desse período, muitos já andam e ensaiam as primeiras palavras. É hora de criar coreografias ao som de músicas infantis, mas deixando aos pequenos o prazer de "ensinar" a dança. O esconde-esconde e o pega-pega podem entrar em cena e oferecem oportunidade de alternar com as crianças o papel de "pegador". Elas adoram ainda encher baldinhos de areia e fazer bolotas de barro e de massinha. Imitar os movimentos e sons de bichos diverte quem começou a falar e logo entrará numa fase de muita fantasia - o que acontece perto dos 4 anos. É o momento de encenar histórias com fantoches e bonecos. Deixe seu filho ser roteirista, diretor e protagonista.

A partir dos 6 anos

A criança já entende regras e se interessa por jogos de estratégia. É uma boa oportunidade para propor competições de bola em família. Os jogos de tabuleiro também entram em cena. Comece pelos mais simples, como ludo, e aos poucos introduza damas, xadrez etc. Como a necessidade de atividade física é grande, estimule brincadeiras ao ar livre. Em uma programação diversificada, games também têm lugar. Prefira os que envolvem enigmas, desafios e estratégias, em vez de um simples aponta-e-atira.

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.