16 pensamentos sobre ‘Game of Thrones’: 6ª temporada, Episódio 1

Atenção: MUITOS SPOILERS.

Depois de um longo inverno de espera, 12 meses para ser mais exato, “Game of Thrones” voltou, na noite deste domingo (24), para sua sexta – e possivelmente penúltima – temporada. As expectativas, claro, estavam altíssimas e haviam muitas perguntas deixadas em aberto para serem respondidas. O que, obviamente, não aconteceu.

Sim, Jon Snow apareceu por lá ~descansando em paz~, o que não significa, claro, que esse seja o destino final do personagem, já que o corpo ainda não foi enterrado. E porque bem sabemos que nessa série tudo pode acontecer. 

Leia Mais: 5 bons motivos para começar a assistir “Broad City” AGORA

Com poucos momentos de ação, o episódio, para dizer a verdade, foi beeem arrastado, mas algo compreensível, já que era preciso situar o telespectador – e, principalmente, os novos fãs – dos últimos acontecimentos vividos no complexo universo da trama – e os reinos não param de se proliferar!

1. Que saudade dessa abertura!

2. E ainda bem que fizeram essa “recap” turbinado, afinal já se passaram 12 meses desde a última vez que estivemos em Westeros.

3. Os caras traíram o ~Lord Commander~ e basicamente ficou por isso mesmo. Eles falaram meia dúzia de abobrinhas para os poucos que ameaçaram fazer alguma coisa e FIM. É “Game of Thrones” imitando real oficial a realidade de muitos países…

4. Como assim o Sir Jorah achou o anel da Daenerys tão facilmente? #GoT, a gente te ama, mas desse jeito é difícil defender, não é?!

5. Aliás, Daenerys, Nascida na Tormenta, Mãe de Dragões, Mysha, Rainha dos Ândalos dos Rhoinares e dos Primeiros Homens, assim como Arya, precisa urgentemente que sua história seja desenvolvida. E essa coisa dela ser pega como escrava a gente já assistiu….

6. Cersei sangue nos olhos é maravilhosa, mas tem sido muito bom acompanhar essa fase mais ~paz e amor~ da personagem. Foi de cortar o coração a conversa dela com o irmão/ amante Jaime. Porque ela pode ser acusada de muitas coisas (ô, se pode!), mas nunca de não amar seus filhos. Foi um dos melhores momentos da estreia.

7. O plot das “Serpentes de Areia” + Jaime Lannister tinha sido a pior coisa da temporada passada. E com a inevitável morte da Myrcella tudo levava a crer que o enredo de Dorne tinha chegado ao fim. Afinal, tudo nessa trama deu errado e as cenas mais pareciam saídas de um filme dos “Trapalhões”. Porém, os produtores de #GOT acharam que era possível, sim, espremer mais algumas péssimas atuações de lá e resolveram trazer Ellaria Sand e suas comparsas de volta. O resultado? O pior momento desse estreia. Tudo ali foi forçado, a traição foi ridícula e as piadas não funcionaram. Seremos obrigados a aguentar isso durante mais um ano.

8. Ver a cara de perdedor do Ramsay Bolton não teve preço.

9. O melhor momento do episódio, sem dúvida, foi quando Brienne de Tarth salvou Sansa. Por pior que a garota seja, é impossível não torcer por ela e, principalmente, para que ela dê uma volta por cima. A aliança das duas foi algo que esperamos acontecer durante toda a quinta temporada. Foi algo bonito de se ver.

10. Agora, Arya, que durante quatro anos foi um personagem espetacular, continua sua insossa jornada em Bravos, terra dos “Homens Sem Rosto”. Cega, está passando por alguma espécie de treinamento que, se for seguir o padrão da temporada passada, vai se arrastar pelos próximos nove episódios. Espero que não. A garota merece uma história MUITO melhor do que essa do “Deus Das Mil Faces”. Espero que eu esteja errado.

11. Margaery Tyrell é um dos melhores personagens da série e já estávamos com saudade. Natalie Dormer também é uma excelente atriz. Mas, PLMDDS, por que colocaram aquela peruca nela? Galera de caracterização de “Game of Thrones”, vamos ficar de olho nisso?

12. A gente reclamava do Joffrey, mas aguentar a falta de pulso firme do Tommen é “osso” também.

13. CADÊ BRAN?

14. Mas, no fim das contas, a principal pergunta que o episódio deixou foi: ‘O QUE DIABOS ACONTECEU COM A MELISANDRE?’. A dama de vermelho revelou ser muito mais velha do que aparentava e, possivelmente, ser mãe do Gollum, de “O Senhor dos Aneis”, seja mais um de seus segredos. Brincadeiras à parte, ela deve ter uns 200 anos e não ficou muito claro como ela consegue ser vista como uma mulher fabulosa. O colar, talvez? Seria ela Dorian Grey?

15. Mas, bem, o que deu para perceber disso tudo, é que ela não está nada bem, já que ela acreditava MESMO que Stannis seria uma espécie de novo-Jesus, e sua fé se encontra muito abalada. E pior: ela era a esperança dos fãs – e minha também – para salvar Jonzinho Floco-de-Neve das garras da morte. Volta a ser f*dona, Melisandre?

16. Essa temporada promete demais, hein?! E nós, aqui do M/ Trends, vamos fazer essa resenha semanalmente. Até segunda-feira que vem!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s