Bia Arantes, a Alexia de Malhação, virou atriz para combater depressão
Mariane Azevedo

Solteira, Bia Arantes afirma que seu foco agora está no trabalho
Foto: Divulgação - Rede Globo

Para Bia Arantes, a misteriosa Alexia de Malhação, a felicidade que está vivendo agora, como uma das protagonistas da novela, é resultado de um momento de muita dor. Isso mesmo. Bia fazia balé e precisou parar por causa de um trauma no joelho, o que a levou a uma depressão muito grande. Mas o lado positivo dessa experiência é que, após o episódio, ela descobriu seu talento para a arte da interpretação. E, hoje, sente-se realizada e determinada a crescer e evoluir na profissão. "Estou vivendo um sonho. E não quero acordar", diz a atriz, que também estuda ciências políticas.
 

Está sendo difícil interpretar a Alexia?
Ela tem uma carga emocional muito pesada, porque vive a angústia de não saber se o namorado de fato morreu ou não. Disso, ninguém sabe! Mas, a princípio, ele perdeu a vida num acidente de moto. Toda a história se desenrola em torno do número 1046, que aparece constantemente nos sonhos dela.

Alexia é muito ligada a esoterismo, signo... Você também acredita nisso?
Sou de Peixes, então, tenho essa coisa mais mística, mas igual a Alexia, eu nunca vi. Eu gosto de acompanhar meu signo e acredito mesmo. As características sempre batem muito. E tenho outras coisas em comum com Alexia, já que ela participa de uma ONG como voluntária e eu integro duas ONGs... Ela também gosta de desenhos, assim como eu...

Como você definiria o caráter de Alexia, que tanto sofre?
Nesta temporada, ninguém é totalmente bom ou mau. É como na vida, nós temos fases boas e fases ruins, afinal, temos vários defeitos, não é mesmo?

Malhação não é sua estreia na TV...
Não. Fiz outro trabalho na própria Rede Globo, a novela Cama de Gato (2009), mas depois precisei parar por um tempo por causa da faculdade de ciências políticas e do curso de interpretação que estou fazendo. Já para Malhação, fiz o teste para interpretar a Alexia e, logo que saiu a resposta, já começamos os trabalhos.

Quando percebeu que queria ser atriz?
Na verdade, fiz balé a minha vida toda, mas, como eu tive um problema muito sério no joelho, precisei parar. Daí, entrei em depressão! Falava: "Ai, meu Deus, eu vou morrer!" Então, decidi fazer teatro, comecei aos 11 anos. Na época, eu fotografava bem, era modelo e foi surgindo... Fiz esse teste na Globo por acaso, porque nunca nem pensei em levar a sério essa coisa de ser atriz. Mas rolou! No primeiro teste que fiz já entrei para Cama de Gato e me apaixonei pela profissão.

Teve o apoio da família?
Sempre tive o apoio da minha família. Meus pais são uns anjinhos, admiram tudo o que faço (risos). Acredito que a criação conta muito e meus pais educaram muito bem a mim e a meu irmão. Somos muito unidos!

Está namorando?
No momento, não. Mas estou muito bem, viu?! Meu nome agora é trabalho (risos)!

Culpa do ritmo das gravações?
Acho que não (risos). É claro que tudo está muito intenso, mas estou amando! Já gravei muita coisa, está maravilhoso.  Esse ritmo é novo para quase todo mundo da equipe. Estou adorando tudo, é um sonho!