9 regras de ouro para congelar a comida

Não é nada de outro mundo: são só dicas para evitar probleminhas futuros.

A casa de quem mora sem os pais – sozinha, com os melhores amigos ou com o(a) parceiro(a) – pode até não ter sofá, mas o freezer é essencial. E sempre precisa ter espaço de sobra para trazer os tupperwares da casa da mãe com comidinhas para a semana toda, não é mesmo?

1. Use etiquetas com as datas de validade

Parece frescurinha, mas não é: cada alimento tem tempo consumível diferente. E é bem normal a gente colocar algo lá e esquecer completamente que aquilo existe. Para cada saquinho plástico – daqueles específicos para congelar -, é importante colocar a data de validade, o que é a comida (ela tende a ficar zero identificável com o tempo) e por quanto tempo pode ser guardada. Ah, basta usar aqueles marcadores permanentes no saco para marcar as informações, certo?

Revista CLAUDIA

Revista CLAUDIA

2. Não lote o congelador

Quanto mais sacos e potes tiver ali, menos o ar vai circular entre eles. Consequentemente, isso reduz a capacidade de congelar e deixa os alimentos mais propensos a proliferação de fungos e bactérias. A proporção ideal é de ⅔ da capacidade do freezer.

Veja também: Como congelar frutas

3. Mas deixe as peças bem próximas umas das outras

“Os alimentos devem ser dispostos no freezer todos o mais próximo possível, pois, caso haja uma falta de energia, um mantém a temperatura congelada do outro”, explica Roberto Martins Figueiredo, o Dr. Bactéria, biomédico da Microbiotécnica.

4. Fuja da mania do congela/descongela

É uma força maior que o ser humano: você congela tudo, descongela, usa só uma parte e congela de novo. Amiga, pare já! Essa técnica terrível é péssima para manter a qualidade dos alimentos, bem como evitar a proliferação de bactéria. “Cada vez que você congela um alimento, existe rompimento celular com extravasamento de líquido, que vai alterando a qualidade dos alimentos. Por isso, não é recomendável recongelar um alimento uma vez descongelado”, afirma Roberto.

O truque é cozinhar tudo de uma vez – como uma peça de carne, por exemplo – e depois congelar em porções, nas quantidades exatas que você vai usar cada uma. Ou então comprar as que já vêm separadas.

5. Seja amiga do “branqueamento”

É um nome esquisito e não parece dizer muita coisa sobre o processo, mas é uma técnica gastronômica extremamente útil quando queremos congelar alguma coisa. Você pode fazer com legumes, vegetais, folhas, carnes e até ossos – cada um tem um método diferente, mas têm o mesmo propósito.

Essa técnica é um pré-preparo, que ajuda a eliminar impurezas da superfície do alimento e prepará-lo para o congelamento. A grosso modo, ferva uma panela bem grande bem cheia de água e jogue o ingrediente ali. Na hora que a água voltar a ferver, conte de dois a três minutos. Vá tirando com um garfo os que já estiverem no ponto (“cozidos, mas durinhos”) e jogue em uma outra vasilha com água gelada (pode colocar gelo). Em seguida, deixe-os secar bem e armazene conforme as indicações acima. Voilà!

6. Quanto menos ar, melhor

A grande questão do contato da comida com o ar é que isso cria um ambiente propício para as bactérias se proliferarem. Você não precisa ter em casa aquela máquina chique de embalar a vácuo, não: coloque o alimento dentro do saco e puxe o ar com um canudinho. Pronto, é só fechar e brilhar!

7. Deixe descongelar e esfriar dentro da geladeira

Pois é: aquela história de deixar descongelando em temperatura ambiente quando há pressa, não é bem verdade. Mesmo que você vá usar naquele dia, o indicado é manter o saquinho na geladeira até que ele descongele por completo e, então, cozinhar. E quando quiser congelar algo pronto, o Dr. Bactéria indica deixar resfriar descoberto na geladeira por duas horas, depois ensacar, tirar o ar e etiquetar.

8. Limpe o freezer

Como tudo na casa, o congelador também precisa de uma limpeza eventual para manter tudo em ordem. Se você usa bastante, o ideal é limpar de três em três meses, mas, se não usa tanto assim, pode estender para seis meses.

9. Saiba o que pode ou não ser congelado

Na vida de quem mora sozinha, o freezer e as comidas congeladas são seus melhores amigos, a gente sabe. Só que nem tudo fica muito bom quando congelado. Alimentos como iogurte, batata, ovo cru inteiro, maionese, cremes e pudins, verduras, tomate cru, pepino, rabanete, pera, manga, banana, gelatina, fermento fresco e chantili sofrem alterações na consistência e sabor, então, deve-se evitar levá-los ao freezer. Alguns outros não são nem bons de deixar sequer na geladeira!

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s