Refluxo: acabe com esse mal-estar

Conheça as melhores maneiras de acabar com esse mal-estar para evitar outros problemas, como mau hálito, tosse e rouquidão

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 03/12/2010 em

AnaMaria

um conteúdo de

Refluxo: acabe com esse mal-estar

20 milhões de brasileiros sofrem desse mal
Foto: Getty Images

Você provavelmente já sentiu uma queimação no estômago depois de comer um prato pesado. Às vezes, esse desconforto é acompanhado de dor no peito. Isso mostra que algo está errado no seu esôfago, o tubo que leva os alimentos da boca até o estômago. A causa desse mal-estar tem nome: refluxo gastroesofágico. Muito comum em bebês, essa doença está se tornando mais frequente em adultos. "Ela costuma estar associada a três maus hábitos da vida moderna: dieta gordurosa, falta de ginástica e obesidade", diz o médico gastroenterologista Giovanni Silva Faria, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Refluxo infantil

Como identificar?
Além dos vômitos, os bebês ficam chorosos e rejeitam a comida. Na hora de dormir, há paradas respiratórias e chiado. Os maiores têm queimação no peito, gosto amargo na boca, tosse, ânsia de vômito e dor ao engolir.

Qual a frequência?
Às vezes, depois de mamar, é normal haver refluxo. Na maioria dos casos, o problema tende a desaparecer a partir dos 6 meses de idade. Desconfie se houver refluxo em todas as mamadas e se a criança não ganhar peso.

Como é feito o diagnóstico?
Por meio de um exame de raio X ou endoscopia. Há também um exame chamado pH-metria de 24 horas: nesse procedimento, uma sonda é introduzida no esôfago e, durante 24 horas, irá medir a quantidade de ácido que sobe do estômago.

Qual o tratamento?
A melhor opção em crianças é o uso de medicamentos que neutralizam a acidez do estômago. Dependendo da gravidade, o médico pode pedir uma cirurgia para corrigir a pressão do esfíncter.

Como atenuar o problema?
Deixe o bebê em pé durante a amamentação, permanecendo nessa posição por meia hora após o término, para ele arrotar. Ao colocá-lo para dormir, eleve um pouco a cabeceira do berço.

Deixa sequelas?
Sem tratamento, ocorre o estreitamento do esôfago. No futuro, isso pode levar ao desenvolvimento de um câncer.

Refluxo em adultos

Como identificar?
O sintoma mais comum é uma tosse insistente, associada a um azedume e um ardor na garganta, além de salivação acompanhada de enjoo e vômito.

Qual a frequência?
É comum ter a sensação de azia e queimação no estômago após a ingestão de bebidas alcoólicas ou de alimentos pesados e gordurosos. Se esses sintomas permanecerem por mais de uma semana, é hora de buscar ajuda de um médico gastroenterologista.

Como é feito o diagnóstico?
Com exame de endoscopia, radiografia ou pH-metria.

Qual o tratamento?
Mudança de hábitos alimentares, medicamentos contra acidez e cirurgia.

Adote estas medidas e evite as crises

- Não beba mais de um copo de líquido durante as refeições.
- Evite as bebidas gasosas, como cerveja ou refrigerante.
- Mastigue bem os alimentos e não coma demais, especialmente no jantar.
- Aguarde pelo menos duas horas para se deitar após comer.
- Pegue leve em vinhos, frutas cítricas e molhos de tomate industrializados.
- Na hora de dormir, use dois travesseiros.
- Reduza o consumo de gordura nas refeições. Além de fazê-la engordar, ela torna a digestão mais lenta, favorecendo o refluxo.
- Tome cuidado com o álcool. Além de relaxar o esfíncter, ele aumenta a acidez no estômago.