Como fazer uma papinha saborosa
Dynamic Graphics/Thinkstock/Getty Images

 

1. Separe mentalmente os alimentos em grupos

  • Carboidratos ou tubérculos: batata, macarrão, arroz, arroz integral, mandioquinha, inhame, cará etc.
  • Proteínas: carne (músculo), frango (peito ou coxa), peixe, ovo e leguminosas (feijão, ervilha, lentilha etc.)
  • Vegetais: cenoura, beterraba, alface, acelga, couve-flor, espinafre, vagem, chuchu, abobrinha etc.

 
2. Misture diferentes grupos de alimentos
Para montar a papinha, escolha dois ingredientes do grupo de carboidratos, um do grupo de proteínas e dois do grupo de vegetais. Quer um exemplo? Macarrão e batata (carboidratos), músculo (proteína), abobrinha e cenoura (vegetais).
 
3. Como preparar

Pique, refogue e cozinhe tudo com o dobro da quantidade de água até os ingredientes ficarem moles. Depois é só amassar com o garfo ou servir picadinho mesmo, dependendo da fase de mastigação em que o bebê está. Pode inclusive oferecer a carne em pedacinhos bem pequenos.
 
4. Varie os ingredientes
Quanto mais você variar os ingredientes, mais sabores seu filho vai experimentar e mais chances terá de gostar, no futuro, de todos os tipos de comida. Depois de um tempo, você pode acrescentar mais opções de vegetais e proteínas à papinha.
 
5. É comum bebês rejeitarem novos alimentos
Esse fato não deve ser interpretado como uma aversão permanente. Em média, são necessárias de oito a dez exposições da mesma comida para ele ser aceito pela criança! Tenha paciência e não desista facilmente.
 
6. Como temperar sem erro
Cuidado com o sal. Quando passamos da medida, o bebê se acostuma com o sabor muito salgado e seguirá assim no futuro. O excesso de sal pode causar hipertensão e problemas cardíacos. Então, use bem pouco ou nada, se possível. Prefira temperar a comidinha com alho, cebola, salsão, salsinha, cebolinha e outras ervas. Algumas gotas de azeite no final também melhoram o sabor. Dependendo da papinha, você pode até ralar um queijo. Não use temperos picantes, como pimenta, páprica e curry. O organismo do bebê ainda não está preparado para eles.
 
7. Acerte na consistência
Antes de os dentes nascerem, seu bebê só conseguirá comer papinhas mais pastosas. Por isso, os alimentos devem ser bem cozidos para ficarem moles e amassados com um talher - não precisa passar pelo liquidificador, pois, dessa maneira, a papinha ficará líquida e, mesmo sem dentes, o bebê precisa de um pouco de consistência para estimular a mastigação. Tenha em mente que com o tempo os dentes nascem e ele não corre mais tanto risco de engasgar. Por isso, a consistência da papinha deve caminhar gradualmente para uma sopa pedaçuda.
 
8. Quando oferecer alimentos macios
Por volta dos 8 meses, experimente oferecer alimentos macios, como batata e macarrão, aos pedaços. As carnes podem ser moídas, picadas ou desfiadas. Com cerca de um ano, a maioria das crianças consegue comer alimentos picados sem grande problema.