Gravidez tardia
Thinkstock/Getty Images

 

1. Quais os riscos de uma gravidez depois dos 40 anos de idade – tanto para a mãe como para a criança?

“Para a mulher, a idade avançada está associada ao aumento na incidência de diabete gestacional, hipertensão específica da gravidez, abortamentos, prematuridade e distócia funcional, quando o trabalho de parto não evolui na velocidade esperada. Para o bebê, os riscos estão associados a alterações cromossômicas numéricas ou estruturais, como a síndrome de Down”, explica Gilberto da Costa Freitas, especialista em Reprodução Humana da Clínica de Reprodução Humana, de São Paulo.

O obstetra Adolfo Liao, do Ambulatório de Obstetrícia do Hospital das Clínicas de São Paulo, afirma que até 25% das gestações em idade materna avançada resultam em aborto. “Quando uma mulher com 20 anos engravida, a chance de ocorrer um aborto espontâneo é menor”, completa. A taxa de bebês nascidos prematuramente também é mais alta e chega a 15% devido a complicações como o diabete e a hipertensão.

“Todos são riscos reais, mas os avanços da medicina diminuem esses impactos nas mães e nos fetos com diagnósticos precoces”, complementa Mauricio Simões Abrão, ginecologista e obstetra da Universidade de São Paulo e diretor da clínica Medicina da Mulher .

2. Por que as mulheres estão engravidando mais tarde hoje em dia?

Há várias razões, mas o maior motivo é a busca pela realização profissional. “Primeiro, a mulher deseja se realizar profissionalmente para depois pensar na maternidade”, diz Gilberto da Costa Freitas, especialista em reprodução humana da Clínica de Reprodução Humana, de São Paulo. E a crença em que o avanço da medicina desenvolveu técnicas de fertilização capazes de ajudar a gravidez quando desejarem ajuda nessa decisão de postergar a maternidade.

3. É mais difícil engravidar naturalmente aos 40 anos?

“Sim. A mulher nasce com um planejamento biológico predeterminado, com um número finito de óvulos – em torno de 300.000 –, que naturalmente se esgotarão com a idade. A partir dos 35 anos, existe a diminuição acentuada dos óvulos e, por esse motivo, a gravidez é mais difícil aos 40 anos”, explica Gilberto da Costa Freitas, especialista em reprodução humana da Clínica de Reprodução Humana, de São Paulo.

4. Quais são as vantagens de ser mãe aos 40 anos?

“A mulher está mais madura e tem outra visão do que é ser mãe”, comenta Mauricio Simões Abrão, diretor da Clínica Medicina da Mulher . “Além disso, a gravidez aos 40 pode ser mais desejada e curtida, tanto pelo homem como pela mulher, quando os problemas financeiros, por exemplo, já foram resolvidos”, cita Gilberto da Costa Freitas, especialista em reprodução humana da Clínica de Reprodução Humana, de São Paulo.

5. Existe uma idade ideal para engravidar?

“Por volta dos 20 anos, os riscos gerais são menores”, explica Mauricio Simões Abrão, ginecologista e obstetra da Universidade de São Paulo e diretor da clínica Medicina da Mulher . De acordo com um estudo desenvolvido pelo Hospital das Clínicas de São Paulo, aos 20 anos o risco de anomalias genéticas é de 0,5%. O índice dobra aos 35 anos, passa para 2% aos 37 anos, chega a 5% aos 40 anos e alcança 10% aos 44 anos. A principal anomalia é a síndrome de Down, mas há também as síndromes de Edwards e de Patau, entre outras.

6. A partir de que idade os riscos aumentam?

“A partir dos 35 anos porque há a maior incidência de síndrome de Down e abortamentos”, diz Mauricio Simões Abrão, ginecologista e obstetra da Universidade de São Paulo e diretor da clínica Medicina da Mulher . “Não é possível evitar uma síndrome, mas hoje em dia é possível fazer a detecção precoce. Podemos constatar alterações cromossômicas com nove semanas de gestação por meio de exames específicos”, explica Julio Barbosa, obstetra do Hospital Santa Catarina, de São Paulo.

7. Quais são os cuidados necessários quando uma mulher de 40 anos resolve engravidar?

“Depois dos 40 anos, quando pretende engravidar, a mulher precisa de inúmeros cuidados com a saúde porque passa a ter propensão a alguns problemas, como diabete, hipertensão e alterações cardiovasculares. É importante checar toda essa parte com muita atenção antes de engravidar”, ensina Julio Barbosa, obstetra do Hospital Santa Catarina, de São Paulo.

8. É importante procurar um médico antes de engravidar?

“Sim, é fundamental ter o acompanhamento médico antes porque deve-se fazer a prevenção de problemas como a má-formação. E isso pode ser feito com a administração de ácido fólico”, recomenda o obstetra Julio Barbosa, do Hospital Santa Catarina, de São Paulo.

9. Com quanto tempo de antecedência à gestação é necessário tomar ácido fólico?

Pelo menos três meses antes.

10. O pré-natal de uma mulher com 40 anos é diferente do das outras gestações?

Sim. Tendo em vista as complicações que a gestação de uma mãe com idade mais avançada pode ter, o acompanhamento durante o pré-natal deve ser muito mais intenso. “As consultas são mais constantes, e os exames, mais específicos para esse grupo”, explica o obstetra Adolfo Liao, do Hospital das Clínicas de São Paulo.