Ultrassom: a função das diferentes versões do exame na gravidez

A verdade seja dita: não há exame mais esperado durante a gravidez do que a ultrassonografia. Afinal, é ela que revela o sexo do bebê, mostra os dedinhos, estima peso e altura...

Escrito por

Rachel Campello

Atualizado em 29/06/2015 em

Bebê
Ultrassonografia
Alexander Raths/Thinkstock/Getty Images

 

Ultrassom vaginal

Um dispositivo chamado transdutor é colocado na vagina. Nesse caso, a ultrassonografia mostra o tempo de gravidez, o crescimento fetal e se o embrião está alojado no útero. Indicada a partir da 5ª semana, quando dá para visualizar o saco gestacional.

Translucência nucal

Com o aparelho de ultrassom posicionado no abdome ou na vagina, mede-se o acúmulo de líquido na nuca do feto. O ideal é que esteja abaixo de 2,5 milímetros. "O aumento da medida da prega da nuca está associado ao risco mais elevado de síndrome de Down e a outras anomalias cromossômicas", explica o obstetra Luiz Roberto Milano Silva, membro da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo. Indicada entre a 11ª e 14ª semana. Isso porque, depois desse período, o volume do líquido se altera e o exame perde sua validade.

Ultrassom morfológico

Com o aparelho sobre a barriga, avalia toda a anatomia e detecta mais de 85% das más-formações do bebê. É indicado entre a 20ª e a 24ª semana. "Nesse período, os órgãos já estão bem definidos, então é possível diagnosticar precisamente más-formações de pés, mãos, face, coluna, coração, trato urinário e diafragma", afirma Silva. É possível também, com quase 70% de acerto, determinar o sexo do bebê.

Dopplervelocimetria

Pelo abdome, permite a análise do fluxo de sangue pelas artérias e veias do bebê. Também averigua o peso e as condições da placenta e do líquido amniótico. Deve ser realizada em todos os exames de ultrassonografia.

Ultrassom 3D e 4D

Vale como complemento ao ultrassom convencional. "Não é um exame fundamental em termos de avaliação do feto", afirma o obstetra Marco Antônio Lenci, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. É eficiente, no entanto, para detectar más-formações nas extremidades e no rosto, como a fenda labial. Indicada após a 34ª semana, fase em que, segundo os médicos, a imagem tem a melhor definição.

Mais