Ovulação: aprenda a identificar os dias férteis

Aprenda a reconhecer quando seu corpo está nos dias férteis, ou seja, quando você está ovulando

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 13/07/2011 em

Gloss

um conteúdo de

Ovulação: aprenda a identificar os dias férteis
Gabriella Araújo e Camila Belotti

Algumas mulheres sentem uma dorzinha aguda e localizada durante o período de ovulação
Foto: Getty Images

Você já reparou que lá pelo 14o dia do ciclo menstrual fica mais confiante e com a libido nas alturas? Mérito do estrogênio, hormônio produzido pelos ovários. Ele aguça as sensações sexuais (deixa mamilos e clitóris mais sensíveis) e faz a vagina liberar um gelzinho transparente capaz de facilitar a corrida dos espermatozoides dentro do corpo feminino. São sinais de que você está ovulando.

Os hormônios luteinizante (LH) e folículo-estimulante (FSH) juntos fazem com que o óvulo siga seu caminho para o útero passando pelas trompas. Algumas mulheres sentem uma dorzinha aguda e localizada quando isso acontece - mais um sinal! Ela surge porque o folículo que abriga o óvulo cresce rapidamente até se romper para liberá-lo. Apesar de a ovulação durar alguns minutos, seus sintomas são sentidos por dois ou três dias.

A testosterona também entra em cena nessa dança hormonal. Além de aumentar o desejo sexual, ela incrementa a produção das glândulas sebáceas. Resultado: aparecem espinhas, o cabelo fica mais oleoso... Até que o corpo libera progesterona, hormônio cuja função é "segurar" uma gravidez.

Quando não rola, a substância diminui drasticamente, o que deixa o humor oscilante e o terreno preparado para aquela TPM.

Vestida para pegar


A Universidade de Minnesota fez um estudo com 269 mulheres na ovulação. Cada uma delas viu uma série de fotos de outras mulheres e depois teve de escolher roupas para si mesma. Quanto mais atraente era a modelo da foto, mais provocante foi o look selecionado. Para a coordenadora da pesquisa, a escolha seria inconscientemente guiada pela vontade de superar rivais no período fértil.

Fontes: Elisabete Dobão, ginecologista e obstetra; Flávia Fairbanks, ginecologista e obstetra; José Bento de Souza, especialista em Reprodução Humana e Saúde da Mulher; Fernanda Deutsch Plotzky, ginecologista e obstetra.