Bicho geográfico: prevenção e tratamento

Veja como evitar e acabar com o bicho geográfico, doença que é transmitida por animais domésticos

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 08/12/2010 em

M de Mulher

um conteúdo de

Bicho geográfico: prevenção e tratamento

Evite andar descalça na praia
Foto: Getty Images

A causa

É nas fezes de cães e gatos que se encontra o parasita responsável pela doença. Como muitas pessoas levam seus animais à praia, a areia acaba se tornando um foco de contaminação. Os pés costumam ser o alvo mais fácil, mas mãos, pernas, bumbum e barriga também podem ser afetados.

Os efeitos

"A pessoa sente uma coceira insuportável e só consegue enxergar uma erupção saliente", explica a dermatologista Ana Maria Rachou. No começo, o bicho geográfico parece uma picada de inseto. Depois é que ele começa a fazer um caminho, deixando na pele uma linha avermelhada.

Confira mais doenças comuns no verão no site da BOA FORMA

O tratamento

É preciso procurar um médico, que vai receitar medicamento oral ou tópico, e evitar o sol até que as lesões desapareçam.

Como prevenir

Sempre que possível, circule pela praia de chinelos. Se caminhar na areia ou na beira da água descalça, lave os pés depois com água doce, de preferência fria. Muito cuidado também na hora de sentar ou deitar para tomar sol: use uma toalha limpa ou até mesmo a canga para evitar o contato direto com a grama ou a areia. Além disso, vale o bom senso de não levar animais à praia. 

* Com informações da revista BOA FORMA