Conheça os principais riscos de consumir semente de sucupira

A semente de sucupira aparece na mídia como sendo a nova planta milagrosa, mas especialista adverte que seu consumo pode ser prejudicial à saúde. Fuja dos riscos!

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 21/10/2011 - 00:00 em

M de Mulher

um conteúdo de

Conheça os principais riscos de consumir semente de sucupira
Daniela Carasco

O chá de semente de sucupira não é liberado para consumo
Foto: Dreamstime

Medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais: essa é a definição dada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aos fitoterápicos, que, assim como qualquer outro tipo de medicamento, devem ter efeitos terapêuticos comprovados, composição padronizada e fornecer segurança de uso para a população. Exigências estas que não são cumpridas pela semente de sucupira.

Chá verde: verdades e mitos

Semente de sucupira pode atuar contra artrite

Há anos, a sucupira é usada popularmente em forma de chá como suposta aliada no combate de artrite, inflamações, diabetes e câncer de próstata. Entretanto, ainda não existe nenhum estudo científico que comprove a eficácia de suas sementes em seres humanos. "Uma coisa é importante ressaltar. Já fizemos testes do extrato e composto da semente de sucupira para identificar a sua atuação. Foi comprovado que ela funciona para inflamações e câncer de próstata, mas somente em animais. Ela não é segura para uso em seres humanos", aleta Mary Ann Foglio, coordenadora da pesquisa "Produtos Naturais Bioativos" pela Unicamp.

De acordo com Mary Ann ainda não foi realizado nenhum estudo relacionado à toxidade do produto. Por se reproduzir em várias regiões do país, são diversas as espécies existentes da semente. Logo, é possível encontrar distintas composições. Ao serem consumidas, cada uma delas pode gerar então comportamentos diferentes, inclusive sérios danos à saúde, como a intoxicação.

"As pessoas que relatam fazer uso do chá podem, sim, ainda não terem tido nenhum problema de saúde, já que as substâncias usadas na bebida não são solúveis em água. Isso faz com que o conteúdo tenha então uma concentração muito pequena das propriedades da semente, podendo não causar toxidade aguda - envenenamento -, mas também nenhum benefício. Entretanto, o uso repetido pode gerar uma toxidade crônica, que costuma vir disfarçada de diferentes patologias, principalmente no caso de idosos", explica Mary Ann.

Não à toa, a semente de sucupira não é um fitoterápico liberado pela Anvisa, que também reprovou a produção de qualquer medicamento, cuja composição contenha tal substância. "Produtos feitos à base de plantas podem fazer muito estrago", alerta a pesquisadora. Portanto, consulte sempre um especialista antes de tomar qualquer decisão e não hesite em questionar.