Exames pré-nupciais são uma boa aposta!

Garantir a fertilidade no futuro, ter uma gravidez tranquila ou simplesmente evitar doenças sexualmente transmissíveis. É para tudo isso que checkup a caminho do altar está em alta!

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 28/06/2012 em

NOVA

um conteúdo de

Exames pré-nupciais são uma boa aposta!
Reportagem: Rachel Campello - Edição: MdeMulher

Descubra tudo que os exames pré-nupciais podem detectar
Foto: Getty Images

Saiba que hoje o grupo que mais procura por eles é o das solteiras, sexualmente ativas e sem planos a curto prazo de aumentar a prole. É o seu perfil? Essa preocupação faz sentido, uma vez que a maioria de nós, mulheres, adotou a prevenção como palavra de ordem quando o assunto é saúde. Quer um exemplo? Pense em quantos parceiros sexuais teve nos últimos três anos. E quantas mulheres, além de você, eles levaram para a cama? Dependendo das respostas, corre mais ou menos risco de contrair uma doença sexualmente transmissível (DST), e elas são detectadas nos exames pré-nupciais. Não por acaso, ginecologistas e laboratórios constataram que cada vez mais mulheres incorporam à rotina anual esses cuidados para tratar uma infecção assim que ela aparecer ou quando começam um novo relacionamento - o que é uma ótima oportunidade para fazer um checkup no namorado.

Um terceiro motivo é a tendência de jogar a gravidez para a frente. Essa investigação ajuda o médico a avaliar a quantas anda a sua fertilidade e a indicar por quantos anos pode adiar o sonho de ser mãe. Há ainda esta razão: aplacar uma preocupação das mulheres quando se apaixonam, a de que terão um bebê normal. "Os exames permitem que o casal seja preparado para uma gestação saudável", afirma o ginecologista Marco Antônio Lenci, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. "Ou seja, podemos fazer o diagnóstico precoce, o tratamento e até a prevenção de  doenças."

Já para o laboratório

Verdade que a lista de exames é grande, principalmente para nós, da ala feminina. Alguns deles, no entanto, só são pedidos quando existe indicação específica, como a presença de uma doença na família, hábitos de vida comprometedores ou o desejo de ter filhos rapidamente. Também vale lembrar que apenas os mais simples e usuais costumam ser pagos pelos convênios médicos, salvo exceções. A seguir, levantamos os principais recomendados pelo dr. Lenci e pelo urologista Rafael Castilho Jacob, da Sociedade Brasileira de Urologia.

Para conhecer melhor seu corpo e o dele

VOCÊ

Ovulação: pelas dosagens hormonais, via exame de sangue, e pela ultrassonografia, é possível ver se você está ovulando regularmente ou se existe um desequilíbrio — como a presença de pequenos cistos nos ovários (ovários policísticos), que pode prejudicar uma futura gravidez.

Clamídia: exame feito com a secreção do colo do útero para pesquisar a presença dessa bactéria, que destrói as tubas uterinas — canais que transportam o óvulo ao útero. A gestação, se ocorrer, tende a ser problemática.

VOCÊS DOIS

Hemograma: exame de sangue que detecta anemia e infecções.

Exame de sangue: para verificar níveis de colesterol e triglicérides.

Hepatites B e C, sífilis e aids: o exame de sangue também detecta essas doenças. Para a hepatite B, há vacina.

Para ter uma gravidez sem sobressaltos

VOCÊ

Sorologia para rubéola: é preciso saber se você tem defesa contra a doença, que provoca más-formações no bebê. Hoje, os laboratórios recomendam tomar duas vacinas (em vez de uma) para garantir a imunização.

Toxoplasmose: provoca problemas como cegueira e má-formação cerebral em qualquer fase da gestação. Infelizmente, não existe vacina. Por isso é importante saber se você tem os anticorpos e, caso contrário, dobrar os cuidados (como evitar carne crua e leite não pasteurizado).

Citomegalovírus: da mesma família do herpes, esse vírus pode ser transmitido para o feto, causando graves problemas mentais. Também não existe vacina, o que é mais um motivo para você saber se está imunizada.

Tipagem sanguínea: o exame detecta a incompatibilidade de fatores Rh. Se você é positivo ou se ambos são negativo, não existe problema. Mas, se você for Rh negativo e o futuro pai positivo, há chance de o bebê ter o tipo de sangue do pai, o que provocará uma incompatibilidade com o seu. Na primeira gravidez, o problema é contornável, já que o sangue da mãe e o do bebê só entram em contato no parto. Mas nas seguintes o corpo reage, formando anticorpos, e o desenvolvimento da criança é prejudicado. Para evitar isso, a mãe pode tomar uma vacina durante a gestação.

VOCÊ

Ultrassonografia pélvica: o exame vai avaliar seus órgãos reprodutivos e verificar se há alguma má-formação que possa complicar a gravidez ou até mesmo impedir que ela ocorra.

ELE

Espermograma: aquele em que o homem entra em uma cabine e precisa ejacular em um potinho para coletar esperma. Ele é simples, rápido, indolor e revela a qualidade dos espermatozóides, como seu formato, velocidade e quantidade, e se o meio em que vivem está saudável. Ainda detecta infecções que muitas vezes não apresentam sintomas e que podem comprometer a fertilidade. Com tratamento, a situação é revertida.

VOCÊS DOIS

Cariótipo: com algumas células da parte interna da bochecha (basta raspar o cotonete para colher o material; não dói nada), é feita uma avaliação dos cromossomos para detectar alterações no seu número e forma. Com isso, o médico consegue prever se o casal terá dificuldade para gerar um bebê e o risco de haver deformações. Ele é indicado para mulheres que já sofreram abortos naturais e para casais que tiveram filhos ou parentes com problemas genéticos.