nao

Descubra os benefícios do chimarrão

Erva é fonte de complexo B, cálcio, magnésio, sódio, ferro e flúor

Atualizado em 28/11/2011

Reportagem: VIDA SIMPLES - Edição: MdeMulher

Chimarrão

Chimarrão é parte de ritual no Rio Grande do Sul
Foto: Getty Images


Diurético, o chimarrão é um concorrente da cafeína. Se houvesse tarja no mate, estaria escrito atua como estimulante do coração e do sistema nervoso, elimina os estados depressivos e tonifica os músculos contra a fadiga e o cansaço. Não é apenas água e erva, tem complexo B, cálcio, magnésio, sódio, ferro e flúor.

As pesquisas sobre o chimarrão estão iniciando seriamente agora. Revelam que a bebida tem antioxidantes, também presentes no badalado chá verde (chinês), e que produz um leve efeito contra a coagulação no sangue, como a aspirina, diz o cardiologista Fernando Lucchese.

Suas ferramentas são simples, constituídas de cuia (a cabeça do porongo decapitado) e bomba (de prata é a melhor; várias famílias gaúchas têm a peça com bocal de ouro, uma jóia que fica curiosamente na gaveta dos talheres). Retirada da erveira, planta que atinge a altura de 6 a 8 metros e similar a uma laranjeira, a erva-mate cobre dois terços da cuia. Botando menos, é mate comprido. Botando mais, é mate curto.

A água a ser posta deve estar quente, não fervida, pois pode queimar a erva e infundir gosto infeliz de pneu queimado. A cuia tem capacidade de mais ou menos um copo, é cheia com erva até a metade, completando-se o resto com água quente. Quando o mate é de boa qualidade, pode-se escaldá-lo até dez ou 12 vezes sem renovar a erva.

Porém, segundo o cardiologista Fernando Lucchese, o chimarrão pode causar gastrite e esofagite, pela composição da erva ácida e água quente. Está relacionado ao câncer de lábio, esôfago e de língua.

Como preparar
A receita é simples, mas requer alguma habilidade manual, coisa que só a prática dá: a água tem que estar quente, mas não fervida (desligue a chaleira quando ela começar a chiar, não depois por isso é que chaleiras de aço não prestam para o bom preparo).

Enquanto a água esquenta, molhe a cuia por dentro, para aquecê-la. Coloque a erva, com a cuia meio de lado (mais ou menos a metade do volume interno da cuia). Com a erva por assim dizer encostada em um dos lados da cuia, bota-se a água, para firmar o morrinho.

Coloque a bomba quando a água posta para firmar o morrinho já foi absorvida pela erva, de forma que a bomba entra a seco (mas há quem a coloque com a água ainda ali); arrume o morrinho com o bulbo da bomba e está pronto.

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Judite Barboza - Eu paulistana morando em Iguape - SP, recebi visita de meu cunhado que, embora paulistano mora em Antonio Prado/RS a alguns anos e j¿ pegou o costume de l¿. Veio nos visistar a semana passada com uns amigos e a insepar¿vel cumbuquinha de chimarr¿o. Comprei ontem uma para mim. Logo ap¿s o almo¿o preparei um pouco com a erva que me deram. Vim a web procurar os benef¿cios que traz a bebida. Olhe o que encontrei! Quando comecei a ler, dei mais uma sugada entusiasmada. Continuei a ler e fiquei com um pezinho atr¿z. Quem souber mais sobre o assunto, seria bom que comentasse. - 08/08/2012 15:19:27

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.