Mania de doença

Hipocondria é um mal que atinge cerca de 3% da população mundial. Previna-se dele!

Publicado em 25/10/2008

Revista AnaMaria

Conteúdo ANAMARIA
Mania de doença

Atenção: se você tem o hábito de
se automedicar procure apoio!
Foto: Dreamstime

Peregrinar por consultórios atrás de diagnósticos para toda e qualquer dor, mancha na pele ou pequena indisposição. Manter uma verdadeira farmácia em casa e recorrer a ela, por conta própria, quase que diariamente. 

Você se identifica com essa rotina? Fique atenta! Ela faz parte da vida dos hipocondríacos. Pessoas assim realmente têm um problema, mas ele não é físico. É psicológico.

Quem sofre do mal é rotulado como alguém que tem mania de doença. "Isso acontece porque a pessoa fica o tempo todo se observando para ver se encontra algum problema. Se percebe uma pinta, já acha que é câncer", exemplifica Marco Antônio Brasil, professor de psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O risco da automedicação
"Vagando de médico em médico, esse paciente consegue atenuar a ansiedade, pois sai tranqüilo depois de ouvir que não há nada errado com ele. Mas a calma dura pouco. Basta um dia ou dois para a boa notícia ser colocada em dúvida novamente", diz o psiquiatra.

Vários fatores levam à hipocondria e a única forma de tratá-la é recorrer à psicoterapia. O distúrbio merece cuidado. Em casos mais sérios, a pessoa nem consegue trabalhar: toda a sua atenção se volta para as doenças que acredita ter. E o hábito de se automedicar, típico dos hipocondríacos, é um risco enorme.

A origem do problema
Para desenvolver hipocondria, é necessário ter uma predisposição ou passar por uma situação que seja um gatilho para a doença se instalar. Os principais estopins são:

· Infância com pai ou mãe excessivamente preocupados com a saúde

· Personalidade muito autocrítica e introvertida

· Sofrer de depressão, ansiedade, síndrome do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)

· Alguém da família ou a própria pessoa ter tido uma doença séria anteriormente

· A morte de um parente ou amigo muito próximo

Nesta matéria

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

suzana garibaldi da silva - Minha filha tem 29 anos na adolescencia era meio depressiva,mas ultimamente depois da morte de um primo muito querido que morreu com 24 anos,de um cancer,ela morre de medo de ter canser,chegando a ter crises de ansiedade e fica deprimida,tem medo de sair sozinha na rua e de passar ma,faz tratamento a cinco anos,toma fluroxeina,agora o clinico mandou para um psquiatra e junto toma respidona,ja quetinha mania de doença e medo detercancer issoparalza ela pois nao consegue fazer suas coisas,me responda,pode ser hipocondria.Ja que os medicos dizemque e depressao e fobia por doença. - 20/10/2013 04:13:05

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.