Nao

Medicamentos: fuja das combinações perigosas!

Sozinho, um remédio é capaz de curar. Misturado a outra "droga", pode perder a função e causar problemas sérios

Publicado em 23/07/2012

Job Henrique Casquel - Edição: MdeMulher

Conteúdo VIVA!MAIS

Foto: Getty Images

Você acorda com a cabeça estourando depois daquela festa, abre a gaveta de remédios e só tem paracetamol. Toma o remédio e a dor só piora. Isso acontece por causa da combinação de uma
droga (o medicamento) com outra (o álcool). É a interação medicamentosa, que pode trazer problemas graves para o corpo. “As interações são várias. Os remédios podem ter o efeito diminuído, amplifcado e até causar danos ao corpo”, explica o médico Eduardo Fávero*. A farmacêutica Maria Eline Matheus* recomenda: “A bula costuma trazer as interações. É importante que o paciente saiba o que pode aumentar os riscos de intoxicação ou diminuir a efciência do tratamento”. Para não arrumar mais problemas na hora de resolvê-los, conheça algumas combinações perigosas e lembre-se: evite-as a todo custo!

Paracetamol + Álcool
Uma combinação comum e muito perigosa! “As duas drogas são metabolizadas no fígado, o que acaba sobrecarregando o órgão”, explica o doutor Eduardo Fávero. “O álcool pode acelerar uma transformação do paracetamol, que gera um composto tóxico para o fígado”, alerta Maria Eline. Então, as duas substâncias juntas, nem pensar!

Anticoncepcional + Erva-de-São-João
A erva é muito popular para tratar depressão e tem como um de seus efeitos a aceleração da atividade das enzimas do fígado. “Isso pode tanto aumentar como diminuir a concentração de certos medicamentos no sangue, alterando seus efeitos”, diz Maria Eline. Entre os compostos afetados pelas enzimas está o principal componente da maioria das pílulas anticoncepcionais, o estradiol. Por isso,
a erva-de-são-joão pode atrapalhar as funções da pílula e até cortar completamente seu efeito. Se você toma algum composto com a erva, peça ao médico para trocar o medicamento e não esqueça de usar a camisinha para prevenir uma gravidez indesejada.

Anticoncepcional  + Cigarro
Quem toma a pílula regularmente e é fumante precisa fcar atenta. “Muita gente não sabe, mas fumar e usar o anticoncepcional aumenta em mais de 20 vezes a chance de ter uma trombose, o entupimento de um vaso sanguíneo”, avisa o médico. Mais um bom motivo para cortar o cigarro, amiga!

Metronidazol + Álcool
Beber durante um tratamento é perigoso e, nesse caso, pode ser fatal. O metronidazol é indicado para tratar doenças sexualmente transmissíveis (DST) e infecções bacterianas na região genital. A combinação com o álcool “aumenta a concentração de um composto químico tóxico na corrente sanguínea, que pode causar desde um rubor facial até morte”, alerta a farmacêutica.

Antiácido + Outros medicamentos

Remédios consumidos por via oral são feitos levando-se em conta o grau de acidez do suco gástrico. Quando você toma um antiácido, altera esse “ambiente” e isso vai reduzir ou potencializar o efeito de qualquer remédio que você tomar em seguida. “O antiácido transforma a molécula do medicamento que chega ao sangue”, explica Maria Eline. Nessa situação, o certo é esperar pelo menos três horas para ingerir um medicamento, tá?

Comentários

Os comentários são pessoais e não refletem a opinião do MdeMulher.

Comente

Li e concordo com os termos de uso do site.