Bicicleta ergométrica: vantagens e desvantagens
Thais Szegö

Foto: Dercílio

Se o que você quer é perder peso, ela não é a melhor opção. Estudos revelam que o gasto calórico chega a ser 40% menor em relação aos exercícios na esteira praticados durante o mesmo período e com a mesma intensidade. O motivo é simples: pedalar exige menos da massa muscular. No entanto, para gestantes, sedentários, obesos e pessoas com problemas nas articulações este é o aparelho mais indicado. Pela mesma razão, o impacto é bem menor, justifica o ortopedista Ricardo Cury, da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Erros mais comuns

Posicionar o selim de maneira inadequada é péssimo. "Se ele estiver muito alto, a pessoa força demais os quadris. Caso esteja baixo, aí os joelhos podem ser lesionados", alerta o personal trainer Silvio Cézar, da academia KS, no Rio de Janeiro. "Para calcular a altura ideal, sente-se sobre a bicicleta e apóie o calcanhar no pedal que está mais baixo. Os joelhos devem ficar semiflexionados", ensina Raul Santo de Oliveira. "Atenção também na postura enquanto pedala", completa Ricardo Cury. "O selim não deve ficar muito longe do guidão, caso contrário você vai ter que dobrar muito o corpo para segurá-lo", diz.


E no spinning? 

A modalidade exige muito preparo físico e, por isso, só é indicada para quem tem um ótimo condicionamento. "Sem contar que as aulas incitam o praticante a acompanhar o ritmo da turma e, se a pessoa não respeitar os próprios limites, exagera perigosamente", diz Silvio Cézar.