Colesterol: as taxas ideais

Se todos os brasileiros fizessem agora um exame de sangue para medir o colesterol, cerca de 40% veriam que a taxa já ultrapassou os limites saudáveis

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 04/09/2013 em

Saúde é Vital

um conteúdo de

Colesterol: as taxas ideais

Quase metade da população enfrenta problemas com esse conhecido vilão, sempre associado a infartos e derrames quando está em excesso. Mas a grande verdade é que sem o colesterol a gente não sobreviveria. Ele é essencial ao organismo, pois desempenha funções vitais, serve de matéria-prima para a produção de hormônios, do ácido biliar que regula a digestão e da vitamina D, e entra na construção de membranas celulares. E essas são apenas algumas de suas nobres funções. Então o jeito é manter suas taxas no devido lugar.
 
Apesar de conhecido como gordura, quimicamente ele é um álcool. A confusão tem razão de ser: de fato o colesterol se comporta como um lipídeo pois só circula acoplado a moléculas chamadas de lipoproteínas - que, como o próprio nome diz, estão cheias de lipídeos e proteínas. Conforme a carga de colesterol que elas carregam, elas podem ser de dois tipos: LDL, conhecido como mau colesterol, ou HDL, o famoso bom colesterol.
 

Os valores considerados ideais no sangue dependem dos fatores de risco da pessoa:

Adultos saudáveis:
 
· Colesterol total até 200 mg/dl
· LDL menor que 160
· HDL acima de 40 (mulheres devem ter essa taxa acima de 50)
 
Quem tem mais de dois fatores de risco (fumo, hipertensão, histórico familiar, obesidade):
 
· LDL abaixo de 130
· HDL acima de 45 (mulheres acima de 50)
 
Pessoas com doenças coronarianas ou diabete:
 
· LDL menor que 100
· HDL maior que 45 (mulheres acima de 50)
 
*Os médicos ainda não chegaram a um novo consenso, mas a tendência é que essa gente deva manter as taxas de LDL ainda mais baixas, em torno de 70.
 
O colesterol das crianças
 
Nos últimos anos tem aumentado, e muito, o número de crianças com altos níveis de colesterol. A culpa aqui é da alimentação dos pequenos, cada vez mais rica em comidas industrializadas e fast-food. O risco para essa turminha é enorme: quanto mais tempo esse vilão perambula pelo sangue, mais estragos é capaz de fazer. E atenção: o valor ideal para os pequenos é diferente dos adultos. Para eles, um colesterol total de 170 já é alto demais.