Candidíase: entenda a doença e previna-se

A candidíase é um dos problemas femininos mais comuns que existem. Para manter a infecção bem longe, saiba como ela ataca e se previna

Escrito por

Redação M de Mulher

Atualizado em 13/12/2013 em

Women's Health

um conteúdo de

Candidíase: entenda a doença e previna-se
Candidíase: entenda a doença e previna-se

Para não pegar candidíase, evite biquínis molhados por muitas horas
Foto: Dreamstime

Como aparece

A infecção é causada por um fungo (na maioria das vezes, a Candida albicans) e deixa a área afetada inflamada. Apesar de geralmente atingir a região genital feminina, não é transmitida exclusivamente por relações sexuais, mas por qualquer tipo de contato. "Ela nem é considerada uma DST. O fungo é oportunista e o desenvolvimento depende das condições de defesa do hospedeiro. Ele pode inclusive habitar o trato digestivo, principalmente o intestino, e contaminar a área genital, que tem calor e umidade e é o ambiente ideal para que o fungo se prolifere quando a imunidade está baixa", afirma o ginecologista Edílson Ogeda, do Hospital Samaritano de São Paulo. A boca também é um dos locais onde a doença se manifesta. "É o sapinho que surge nos bebês", afirma Ogeda.

Corrimento ou secreção natural? Entenda a diferença!

HPV: ginecologista tira dúvidas sobre a doença transmitida pelo sexo

Além da coceira, ardor e secreção

O sintoma mais comum da doença é a coceira, mas é importante ficar atenta também para o ardor vulvovaginal e o inchaço da região. "Há ainda um corrimento esbranquiçado, grumoso e inodoro, com aspecto de leite talhado", diz o ginecologista especializado em reprodução humana Marcello Valle, da Clínica Origen, no Rio de Janeiro. Outra consequência bem chatinha é a dor durante as relações sexuais e ao urinar. Para passar bem longe da candidíase, a principal dica dos ginecologistas é usar somente roupas íntimas de algodão. Isso porque outros tecidos podem manter a região vaginal úmida e quente, facilitando o desenvolvimento dos fungos. Por isso, também é recomendado dormir sem calcinha, não usar absorvente íntimo diário e evitar roupas muito justas. Durante o banho, lave a região apenas com sabonete de pH neutro. "É importante ainda identificar fatores predisponentes, como pílulas com grande concentração de estrogênio e diabetes descompensado", completa Valle.

Diagnóstico correto

A boa notícia é que, na grande maioria das vezes, a candidíase não traz consequências mais sérias. Mas, além do incômodo e do fato de ela poder facilitar infecções por outros agentes, é importante procurar seu médico o mais rápido possível por outro motivo. Apesar de assintomática na maioria dos casos, outra doença, chamada clamídia, também pode ter sintomas como coceira e corrimento. Uma das DSTs mais comuns, a clamídia é causada por uma bactéria e pode até levar à infertilidade se não tratada.

Tratamento sem mistérios

Se a candidíase é incômoda, eliminá-la não tem nada de complicado. Ainda bem! "O tratamento é bem tranquilo e fácil de ser realizado", diz Ogeda. "Na maioria dos casos, usa-se um creme vaginal e um comprimido via oral para o casal, quando se tem vida sexual ativa." Afinal, se você foi contaminada, provavelmente seu parceiro também foi.

Mais

Mais: